Pesquisar Histórias:

Subscrever...

Sobre mim:

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Há muito tempo, no tempo em que eu comprava livros pelo título ou pela capa – no tempo em que eu comprava livros, ponto! – trouxe comigo para casa A Livraria de Penelope Fitzgerald. Como tantos homónimos seus, infelizmente, ficou na minha estante a ganhar pó e na minha vontade, cada vez mais desprezada, de ler. 

Quando recebi o convite da Clube do Autor para assistir ao filme, o e-mail, também ele entre tantos outros, ficou por abrir mas a Sofia, aquela moça com uma resiliência que me ultrapassa e que a própria por vezes desconhece, chamou-me à atenção e à sua companhia e eu, quer por vontade quer por necessidade, cedi feliz. 

Não esperava uma grande produção e quanto ao enredo contava com simplicidade, pelo que recebi isso mesmo com uma subtileza clássica e uma beleza em pormenores que me ultrapassou. Que filme bonito queridos leitores. E que atmosfera fantástica, para nós os amantes mais ou menos fiéis de literatura. 

Não há grandes estrelas no desenvolvimento da ficção e os lirismos são daqueles que se apaixonam por uma boa história, mas as referências, essas, são muitas e marcadas por um compasso que se faz de títulos e amizades nascidas da importância das palavras.

Uma Segunda Grande Guerra recente, uma terra fechada em torno dos seus e o glamour sedutor dos que fingem esquecer a pólvora nos corações dos que tentam renascer durante os anos cinquenta são parte da narrativa visual, enquanto sonoramente chega até nós os sussurros do povo e as cantigas do mar que acompanham aquela jovem, Florence Green, que cumpre uma história de amor com o seu passado e, efetivamente, com os livros. Já citei que é um filme bonito? 


Se tiverem oportunidade espreitem, encontrarão a coragem de quem tem um sonho para vos inspirar, além de que podem escapar um pouco ao lado mais comercial da sétima arte. Por ora, comigo, ficou a vontade de ler o livro – ao qual já tirei o pó para a fotografia. Tenho recomendado aos meus amigos e não poderia deixar de vos recomendar a vocês também. 

Com sinceridade, muito obrigada Clube do Autor. 



P.S.: fui ver o filme no dia 19 de Junho mas fiz uns rabiscos para escrever isto agora. E não é curioso que a minha primeira opinião seja de um filme? É queridos leitores... isto agora vai ser assim, nem eu mesma sei o que se segue mas algo surgirá :)

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

As Guerreiras Maxwell – 1
Esta série tem como protagonistas mulheres com um intrépido espírito guerreiro, que perseguem os seus ideais e conjuga o romance histórico com sensualidade.

Título: Desejo Concedido
Autor: Megan Maxwell
N.º Páginas: 512
PVP: 18,85 €
ISBN: 978-989-657-891-6

Sinopse:
A história é passada na Inglaterra do século XIV.

Lady Megan Phillips é uma jovem muito bela e lutadora que tem a seu cargo dois irmãos mais novos.
A vida não tem sido fácil, porque nasceu com uma personalidade de autêntica guerreira, que não se verga diante de ninguém nem de nada.
O highlander Ducan McRae, mais conhecido como o Falcão, é um homem acostumado a chefiar exércitos, comandar batalhas e sair vitorioso de todas.
Mas ao chegar ao castelo de Dunstaffnage para assistir ao casamento do amigo Alex McDougall, encontra-se com o maior desafio da vida, alguém com quem não está habituado a lidar: lady Megan Phillips, uma morena que não tem medo de nada.
Um autêntico livro de desassossegar a realidade! Um desafio a que crie o seu mundo à imagem dos seus desejos.
Assombrado pelo descaramento e impetuosidade da jovem, o Falcão não consegue afastar os seus olhos verdes dela e, após fazer uma promessa ao avô da jovem, vê-se unido a lady Megan num casamento que durará um ano e um dia.
Que reservará o destino aos senhores McRae?
Conseguirão entender-se ou acabarão a odiar-se para o resto dos seus dias?

Este novo livro, que conjuga o romance histórico com erotismo, possui personagens bem construídas e uma intensa história de amor que fará as delícias das leitoras mais românticas.

Da mesma autora, no blogue:
Pede-me o Que Quiseres Opinião
Pede-me o Que Quiseres, Agora e Sempre Opinião
Pede-me o Que Quiseres ou Deixa-meOpinião
Pede-me o Que Quiseres e eu Dar-te-ei Opinião

Surpreende-meOpinião

Adivinha Quem SouOpinião
Adivina Quem Sou Esta NoiteOpinião

Sobre a autora:
Megan Maxwell é uma reconhecida e prolífica escritora do género romântico. Filha de mãe espanhola e pai americano, já publicou vários romances. 
Em 2010 ganhou o Prémio Internacional Seseña de Novela Romántica, e em 2010 e 2012 recebeu o Prémio Dama de Clubromantica.com e em 2013 o Aura, galardão do Encuentro Yo Leo RA
Vive numa encantadora aldeia nos arredores de Madrid, na companhia do marido, dos filhos, dos cães Drako e Pluty e das gatas Julieta, Coe e Peggy Sue.
Encontrará mais informação sobre a autora e a sua obra em www.megan-maxwell.com

Saiba mais em: Planeta



Título: A Livraria
Autor: Penelope Fitzgerald
N.º Páginas: 192
PVP: 14,00 €
ISBN: 9789897243295

Sinopse:
Florence Green vive numa pequena vila costeira, longe de tudo, e que se caracteriza sobretudo por aquilo que não tem, e decide abrir a primeira livraria da terra. Florence compra um edifício abandonado há anos, gasto pela humidade e com o seu próprio fantasma. Como se não bastasse o mau estado da casa, ela terá de enfrentar as pessoas da vila, que lhe demonstram a sua insatisfação com a existência da primeira livraria local. Só a sua ajudante, uma menina de dez anos, não deseja sabotar o seu negócio?

Sobre a autora:
Penelope Fitzgerald é uma das mais notáveis vozes da ficção britânica. Depois de se licenciar em Somerville College, Oxford, trabalhou na BBC e durante a guerra foi editora de um jornal literário, geriu uma livraria e ensinou em várias escolas, incluindo uma de teatro. Autora de nove romances, três dos quais - A Livraria, The Beginning of Spring e The Gate of Angels -estiveram na shortlist para o Booker Prize, ganhando o prémio em 1979 com Offshore. O seu último livro, A Flor Azul, em 1995 foi eleito como o Livro do Ano.

Saiba mais em: Clube do Autor





domingo, 16 de setembro de 2018

Não sabia muito bem como escrever esta publicação.
Esta é, possivelmente, das mais difíceis que fiz até hoje porque me sinto verdadeiramente em falta e essa falha retrai-me, de alguma forma chega a envergonhar-me. No entanto sempre fui sincera por aqui e assim sendo, sem grandes floreados, espero nas próximas linhas ser sucinta em tudo o que quero partilhar convosco. 

Quando vos escrevi – Queridos mudei de casa – no passado dia 19 de Fevereiro esperava ficar ausente durante apenas duas ou três semanas mas eu nunca tinha mudado de casa e nunca tinha ousado uma vida a dois. Não sabia que seria tudo o que tinha imaginado e muito mais, muito mais mesmo e muito menos, muito menos tempo para ler e escrever – por opção muito feliz, convém referir.

A minha única estante até ao momento - agora tenho de competir saudavelmente por espaço!

Adiante, nestes meses adotei dois gatos, aprendi a cozinhar e descobri o milagre da roupa que não precisa de ser passada a ferro. Vi uma média de três a quatro filmes por mês, duas séries completas – posso falar de tudo isto se desejarem – e descobri no vinil uma nova paixão. Fiz novas amizades, descobri que as de sempre são para sempre e outras tantas tornaram-se dormentes porque a minha vida mudou e enquanto me adapto não consigo chegar a todos. Ainda no que a esta nova vida diz respeito, continuo na luta laboral e há dias me que me sinto muito cansada, mas adormeço e acordo feliz quase todos os dias, mesmo que a vida de casal me esteja a fazer engordar irracionalmente.  


Gata (preta) e o Gato (tigrado)

Quanto ao blogue… quero voltar a partir de hoje no ritmo possível, que se resume a ligar o PC duas vezes por semana e a escrever-vos o que conseguir e na medida do que for acontecendo, porque vos sinto falta, de verdade. 
Este espaço foi durante muitos anos parte de mim e nós só somos completos com tudo o que nos constitui mesmo que, inevitavelmente, outras peças se vão juntando ao puzzle que nos caracteriza e a capacidade de encaixe se vá tornando mais exigente. 

Quase a terminar, neste período de ausência fui surpreendida ao descobrir que novos leitores se foram juntando à Página do Facebook aqui, somos mais de 3200 –, ultrapassamos mais de um milhão de visitas no blogger – embora aqui ache que o link anda a ser divulgado em sítios suspeitos na América e As Histórias de Elphaba fizeram 8 primveras =^.^=
Por fim, onde continuo mais ativa é no Instagram que podem espreitar aqui – onde vou partilhando algumas coisas mais pessoais nos últimos meses mas não tanto como expectável.


E é isto Queridos Leitores. Passei muito tempo sem ler mas no último mês consegui pegar em dois ou três livros e agora quero partilhar essas e outras aventuras convosco portanto, não há volta a dar, tinha mesmo regressar!!! 

Boas leituras*



P.S.: Agora neste novo começo as coisas vão parecer confusas, tenho muito para divulgar e partilhar mas creio que em breve voltarei à minha rotina de divulgações e opiniões. :)

Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado!