Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Divertido e comovente, O Projeto Rosie demonstra que o amor desafia toda a racionalidade.
O Projeto Rosie é um bestseller do New York Times, que vai ser adaptado para o cinema. Uma história de amor como não há igual!

Título: O Projeto Rosie
Autor: Graeme Simsion
Título Original: The Rosie Project
Tradução: Pedro Miguel Elói Duarte
Coleção: Grandes Narrativas nº 642
N.º Páginas: 272
PVP: 14.90 €
ISBN: 978-972-23-5890-3

Sinopse:
Don Tillman decide que está na hora de casar. Só falta escolher a mulher perfeita. 
Don é um professor de Genética brilhante mas, por ser pouco sociável, considera que a forma mais simples de encontrar uma companheira consiste em elaborar um questionário. Cria o algoritmo perfeito que permite excluir as candidatas inapropriadas e, assim, evitar incidentes como os que viveu no passado.
Rosie Jarman, apesar de bonita e inteligente, tem todas as características que Don desaprova e é desqualificada de imediato. No entanto, Rosie procura Don por outros motivos e este aceita ajudá-la.

Leia um excerto Aqui

«Qualquer um de nós gosta de uma história de amor inteligente que faz rir às gargalhadas.» - San Francisco Chronicle
«Um romance divertido e intenso que nos lembra que não encontramos o amor, ele é que nos encontra.» - Glamour
«Uma história de amor muito alegre e comovente.» - Sunday Express
«Um livro bem-humorado e enternecedor. Uma história de amor original sobre o sentimento de pertença, que nos lembra que precisamos de ser mais tolerantes com as diferenças. Imperdível.» - Courier Mail/Daily Telegraph
«Um livro inteligente, divertido e tocante sobre gostarmos de quem somos e daquilo a que nos dedicamos. Vou oferecê-lo a amigos e quero relê-lo mais tarde. É um dos romances mais profundos dos últimos tempos.» - Bill Gates

Sobre o autor:
Graeme Simsion vive na Austrália. O Projeto Rosie é o seu primeiro romance, galardoado, entre outros, com o prémio General Fiction Book of The Year
Já vendeu mais de dois milhões e meio de exemplares, encontra-se em tradução em mais de 40 países e será adaptado ao cinema.

Para mais informações sobre o livro O Projeto Rosie, clique aqui.


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

É chegado o momento de anunciar mais um vencedor no blogue que, desta feita, contou com o apoio Porto Editora

Para sorteio estava disponível um exemplar do livro Maria de Rodrigo Alvarez.

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve.

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*214, Regina Filipe– Caldas da Rainha

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Porto Editora por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo.
Boas leituras*


domingo, 29 de janeiro de 2017

Com o maravilhoso apoio Clube do Autor, trago-vos hoje um novo passatempo queridos leitores. 


Para sorteio, está disponível um exemplar do livro O Templário Negro de Roberto Genovesi. A saga de um cavaleiro renegado em busca das relíquias sagradas da Cristandade.

Para se habilitarem a este exemplar, terão unicamente de responder às fáceis questões abaixo colocadas, ter em atenção as regras de participação e ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
A partilha do link nas redes sociais não é obrigatória, mas se o fizerem podem participar novamente – uma vez por dia.

Podem encontrar as vossas respostas: aqui.

Boas leituras*

Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 12 de Fevereiro de 2017 (domingo).
2. Ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
4. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
5. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
6. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
7. Boa Sorte!


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

O ano passado não foi, de todo, um não de que me orgulhe em números e, confesso, pensei várias vezes se deveria ou não fazer esta publicação sobre destaques. Ainda assim, mesmo tendo lido pouco, posso garantir-vos que li livros muito bons e que recomendo sem restrições para os leitores do seu género ou, simplesmente, para os que procurem algo com qualidade. São esses livros, os especiais, que hoje vos venho sugerir. 

*Romance*
Este é, provavelmente, o género que mais leio. É entretenimento fácil, quase garantido, que não variando muito, a mim, agrada facilmente. Mas, entre todas as obras comprazíeis que fui folheando, há um que se destaca, pela história e pela sua escrita, por todas as personagens tocantes e singulares e pelo muito que fica por dizer nas entrelinhas e que só pode chegar ao coração do leitor. Nem Todas as Baleias Voam de Afonso Cruz, façam um favor a vocês mesmo e leiam-no. 

*Thriller*
Tenho de nomear M. J. Arlidge porque, lendo eu pouco dentro deste género, ele nunca me desilude. Gosto imenso da sua série Helen Grace. No entanto há um eleito, aquele livro que marca e que não nos sai da cabeça e, para mim, Maestra revelou-se uma das surpresas do ano. Até onde percebi, ou se adora ou se detesta este livro e esta vossa leitora ficou, definitivamente, entre os primeiros. Fui conquistada. 

*Fantasia*
Sou uma apaixonada por fantástico e, infelizmente, dou por mim a ler cada vez menos este tipo de histórias que me desafia e fascina. Ainda assim 2016 revelou-se uma Caixa de Pandora, no sentido em que voltou a dar-me esperança na qualidade deste tipo de literatura. Tudo isto se deve a dois senhores que entraram automaticamente para o meu top de eleitos, Brandon Sanderson e Mark Lawrence, por construírem mundos e anti-heróis, respectivamente, simplesmente inesquecíveis. Quero estes autores na minha vida, para sempre. 
O Império FinalOpinião
O Poço da Ascensão Opinião
Príncipe dos EspinhosOpinião

*Ficção Científica* 
Estou sempre a dizer que não percebo muito deste género de ficção e não percebo, não quando oiço alguns especialistas na matéria a comentarem/criticarem estas obras alternativas, repletas de factos que eu desconheço. Mas eu sou uma leitora comum e enquanto leitora, enquanto apaixonada por histórias, todos os anos vou mergulhando mais um pouco nestas narrativas com bases que me fascinam. Em 2016 Ready Player One foi uma surpresa imensa, lido e relido de supetão, para fazer frente àquele que já considero um eleito, Pierce Brown, que deu tudo em O Filho Dourado – simplesmente extraordinários. 
Ready Player One – Opinião
O Filho Dourado – Opinião


E pronto, são estes os meus destaques, sete. Gosto do número sete e gostei também de Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa para os mais pequenitos, já agora. Desculpem, foi mais forte que eu, deixar pelo menos mais um título por aqui. 

Pergunta da praxe, já leram ou querem ler algum destes livros? 

Boas leituras*

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017
Sinopse:
Depois de um ano como caloira, Grace está de volta à Universidade de Briar, mais velha, mais madura. E já não é a borboleta tranquila que era quando se envolveu com John. Se Logan espera que ela implore e rasteje a seus pés como todas as suas outras conquistas, pode esperar sentado. Desta vez, é Grace quem vai ao volante... e ela tenciona guiar de forma selvagem.

Enquanto leitora, por vezes sinto necessidade de ler um determinado género de livro, mais ousado ou mais violento, mais light ou que me obrigue a reflectir, dependendo do que a minha mente me pede, do que procuro… refúgio, entretenimento, aprendizagem e/ou tudo mais o que uma história seja capaz de me oferecer e que eu esteja disposta a aceitar – não se iludam, o valor de uma história também depende da vossa capacidade de a abraçar, mas já estou a divagar. O que eu quero dizer-vos é que escolhi especificamente ler Elle Kennedy por ter a certeza do que iria encontrar, tanto a nível de personagens como de enredo, e não me desiludi. 

Já são várias as obras que tive o prazer de folhear dentro do subgénero New Adult e, sinceramente, a sua perspectiva agrada-me sempre. Agrada-me o mesclar da responsabilidade e ousadia, através de intervenientes que já perderam a inocência e estão a um pequeno passo de enfrentar o peso que eu, enquanto adulta, sinto todos os dias. Esse pequeno passo é, assim, onde me deleito e é o que esta história vos convida a experimentar. 

Após ter terminado o primeiro título da série Off-Campus, O Pacto, fiquei com imensa curiosidade para descobrir mais sobre as figuras ficcionais secundárias que, como adivinhava, se revelam agora protagonistas. Assim, dando continuidade ao período temporal do livro antecedente, Elle Kennedy apresenta-nos agora Logan, um jovem cuja infância me tocou e que presentemente, a cada nova descoberta, semeou nesta leitora ainda mais empatia. 
O Erro conta-nos uma história de amor e de família, fala-nos do valor da amizade e de batalhas emocionais que se tornam físicas, mostrando-nos um daqueles momentos na vida em que descobrimos que podemos fazer mais do que sobreviver, combatendo os nossos medos e permitindo que quem está por perto nos ajude a superar todos os obstáculos. O Erro é uma história simples mas bastante contemporânea o que a torna muito bonita, se a soubermos ver para lá do cliché dos protagonistas. 

No vos vou mentir, o casal principal é bastante característico, comum para este tipo de ficção. Logan é lindo e adorado, tem muitos problemas pessoais que esconde dos seus pares mas, felizmente, tem uma história familiar que nos faz gostar dele, destacando-o dos demais. Grace, igualmente, é o género de rapariga tímida e estudiosa, uma caloira ajuizada que em determinado momento, para seu bem, se transforma ao aperceber-se que está só a ser tola e dramática e assim, também ela, acaba por nos fazer gostar de si. Como casal, sinceramente, tem alguns momentos queridos mas é a atracção sexual que os faz vingar entre a turbulência, por isso, uma vez mais, ainda bem que temos um núcleo secundário forte – com personagens já queridas a terem destaque e novas aquisições divertidas – que vos manterão entretidos ao longo do texto. 

Gostei, particularmente, das temáticas abordadas durante o decorrer da narrativa, que em parte transcenderam os protagonistas para as suas famílias. O divórcio é um dos destaques e aqui estão presentes dois exemplos destinos que mostram quão diferente pode ser o futuro dos que fazem esta escolha pela sua felicidade. A amizade, como já havia referido, é também uma questão particularmente desenvolvida, com bons e maus amigos a terem influência no decorrer do enredo e a mexerem com as emoções de quem lê.
Por fim, há ainda espaço problemáticas actuais como o bullying e o alcoolismo, o segundo a revelar-se bastante bem trabalhado o que me agradou mesmo muito. 

Sucintamente, encontrarão nestas páginas um romance com momentos sensuais, envolvo em questões interessantes e com personagens que valem pelo que as rodeias e os muitos acontecimentos que envolvem as suas vidas. Vão ter direito a algumas gargalhadas e momentos de ternura, mas também aquele desejo singular de estrangular uma personagem a que depois até piscam o olho. 

Uma história agradável da Suma de Letras, que sugiro aos fãs de romance contemporâneo e fazia gosto em continuar a ler – existe mais dois livros da série publicados no original. 

Da mesma autora, no blogue:
O PactoOpinião

Título: O Erro
Autora: Elle Kennedy
Género: Romance
Editora: Suma de Letras


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Inspira-te e torna a tua vida mais positiva!

Partilha as tuas fotografias através do hashtag #maisqueumdiariolivro, no Instagram e no Facebook

Título: Isto é Mais que um Diário
Autor: Adam J. Kurtz
N.º Páginas: 256
PVP: 13.70 €
ISBN: 9789896651749

Sinopse:
Seja qual for o teu estado de espírito, este livro oferece-te um novo ponto de vista sobre ti próprio e o teu mundo, ao mesmo tempo que te inspira e diverte em doses iguais. E não deixa de fora os melhores conselhos de todos: os teus!
Este não é um diário normal: podes abri-lo em qualquer página e deixar a tua marca. Podesvoltar ao mesmo sítio dias ou semanas depois, reler-te e descobrir quem eras então, reflectir, acrescentar ou modificar o que quiseres. Leva-o contigo, faz desenhos, escreve e observa como estás a mudar. As actividades e ideias deste livro não só te vão ajudar a soltar a tua criatividade como te permitirão encarar o presente e o futuro comuma incrível dose de energia e positivismo.

Sobre o autor:
Adam J. Kurtz é um designer nova-iorquino, autor de Uma Página Por Dia e Pick Me Up, cujos desenhos tem uma origem honesta, humor e alguma obscuridade, como ele gosta de dizer. 
Segue o autor em: www.adamjkurtz.com


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

O livro que antecede a estreia da terceira temporada da série, na Primavera de 2017, e que nos revela o que aconteceu às personagens nos últimos 25 anos. 

Título: A História Secreta de Twin Peaks
Autor: Mark Frost
N.º Páginas: 362
PVP: 20.50 €
ISBN: 9789896651459

Sinopse:
Esse é o tempo que passou desde a última vez que visitámos uma estranha, pequena e encantadora cidade no Noroeste do Pacífico que cativou fãs em todo o mundo. E uma peculiar coisa aconteceu nesse tempo. 
O livro está cheio de excertos de diários, blogs, e-mails, correio de voz, texto, Instagram, Facebook e Twiter, assim como os documentos oficiais que esclarecem eventos privados para o registo público; relatórios policiais, relatos de jornais, recibos, prescrições, atas de reuniões, registos hospitalares. O que tudo isto acabará por revelar é que o mistério central em Twin Peaks so foi abordado sucintamente pela série original, e este livro será um companheiro essencial para qualquer pessoa interessada em experimentar toda a viagem, antes da estreia da nova temporada na Primavera de 2017.

Sobre o autor:
Mark Frost, autor de sucesso e vencedor do Prémio Guild Award, foi também nomeado para os Emmy pela série de televisão A Balada de Hill Street. Foi co-criador (junto com David Lynch) e produtor executivo da série de culto Twin Peaks. Mark vive em Los Angeles e Nova Iorque com a sua esposa e filho.

Saiba mais em: Suma de Letras (Facebook)


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Para começar a semana da melhor maneira, hoje venho anunciar mais um vencedor de um passatempo. Este contou com o maravilhoso apoio da chancela Nuvem de Tinta do Grupo Penguin Random House.


Para sorteio estava disponível um exemplar do livro O Clube dos Ténis Vermelhos de Ana Punset.

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*178, Patrícia Madeira– Santarém

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Nuvem de Tinta por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 
Boas leituras*



domingo, 22 de janeiro de 2017

 A saga de um cavaleiro renegado em busca das relíquias sagradas da Cristandade

Chegaram, mataram, queimaram, roubaram, desapareceram… Antigo verso persa

O Templário Negro é um romance épico que dá vida a um período histórico marcado pelas guerras em nome da fé. Nele acompanhamos a saga de um templário renegado que tem como missão preservar a todo o custo uma insignificante lasca de madeira. Deus, ou o destino, escolheram-no para guiar a mão-cheia de heróis que combaterá a última e definitiva batalha em nome da fé.

Título: O Templário Negro
Autor: Roberto Genovesi
N.º Páginas: 400
PVP: 17.50 €
ISBN: 9789897243387

Sinopse:
Terra Santa, 4 de julho de 1187, Saladino, governador do Egito, esmagou os cruzados. Nesse domingo simbólico perdeu-se uma das mais importantes relíquias da Cristandade. Alguém será capaz de recuperar a Vera Cruz?

A narrativa tem início nas colinas de Nimrim, na Palestina, no 25º dia do Rabi al-Thani no ano 583 da Hégira. Neste romance, habilidosamente ambientado na época medieval, alternam-se datas do calendário gregoriano e datas do calendário islâmico. A escolha foi feita com base nos protagonistas dos capítulos de referência. Segundo Roberto Genovesi, o autor que agora damos a conhecer aos leitores portugueses, foram muitos os livros, os documentos e os textos originais consultados para a realização deste romance.

«Um romance bastante original, de largo folego, cheio de personagens, rico em descrições e invenções narrativas.» Il Giornale

Sobre o autor:
Roberto Genovesi é jornalista, escritor, guionista e autor de programas televisivos. Colaborou com os mais importantes jornais italianos, entre os quais L’Espresso, Panorama, e La Reppublica. É um dos mais prestigiados ficcionistas históricos em Itália.

Saiba mais em: Clube do Autor


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Com o fantástico apoio Planeta Manuscrito, é chegado o momento de anunciar mais um vencedor aqui no blogue. 


Para sorteio estava disponível um exemplar do livro O Teu Aroma a Pêssego de Megan Maxwell. A segunda autora de livros eróticos mais vendidos em Portugal e que esta vossa leitora aprecia imenso. 

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*79, Joana Soares – Porto

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Planeta Manuscrito por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 

Boas leituras*

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Sinopse:
Nova Iorque, Aeroporto JFK.
Na cheia sala de embarque, um homem e uma mulher chocam, espalhando as suas coisas pelo chão. Depois de uma discussão normal, recuperam os haveres e cada um segue o seu caminho.
Madeline e Jonathan nunca se viram na vida e é improvável que se voltem a encontrar. Mas, ao apanharem as coisas, trocaram inadvertidamente de telemóveis. Quando se apercebem do engano, já estão a dez mil quilómetros um do outro: ela é florista em Paris, ele tem um restaurante em São Francisco.
Não tarda para que os dois cedam à curiosidade, analisando o conteúdo dos telemóveis. Uma dupla indiscrição, que conduz a uma revelação inesperada: as suas vidas estão ligadas por um segredo que pensavam estar enterrado para sempre...

Resumindo, bastou um comentário positivo e a minha curiosidade sobre este autor de renome, que eu já queria ter experimentado, para ser convencida a pegar nesta obra e, acreditem, que bela surpresa! Não estava, de todo, preparada para este puzzle delicioso escondido sob a aparência de um romance.

O Apelo do Anjo e a sua capa são, para mim, uma partida editorial para livreiros distraídos. Meia-dúzia de capítulos e uma peripécia de pouco humor foram o suficiente para ver que estava perante uma história de segredos e mistérios, cujas personagens, apesar de simples, despertaram a minha curiosidade para saber tudo sobre os seus passados, enquanto as acompanhei num enredo que se foi adensando a um ritmo bem pensado.

Como elucida a sinopse, esta é a história de dois estranhos cujos caminhos se cruzam num aeroporto e que, por descuido, trocam os telemóveis. Quando se apercebem deste facto é demasiado tarde e, em diferentes continentes, começam a entrelaçar os seus destinos, com uma intimidade crescente, que vai prendendo a atenção do leitor. Tudo isto tem, claro está, uma vertente romântica, no sentido em que duas pessoas afectivamente instáveis se começam a conhecer e a ser figuras “presentes” na vida um do outro, mas sem dúvida que é muito mais do que isso como vos contarei mais à frente.

No que respeita a personagens, confesso que a minha empatia não foi imediata porque os protagonistas estão longe de ser perfeitos e apresentam-se num clima tenso. No entanto, conhece-los além da primeira impressão acabou por torná-los agradáveis e interessantes, pois a sua bagagem dá sem dúvida ênfase às suas personalidades. Gostei também da diversidade de intervenientes secundários, como o filho e o melhor amigo de Jonathan, ou mesmo a sua ex. mulher que vai apimentando a trama, bem como do ajudante de Madeline, Takumi, ou o seu noivo, uma vez que todos vão contribuindo para animar a acção. Ainda assim, tenho que admitir que nenhum deles é marcante cumprindo apenas o seu papel.

Independentemente do que vos disse até então, este é sem dúvida um livro com vários pontos de interesse, que proporcionam não só entretenimento como uma análise interessante. 
A apresentação da narrativa conquistou-me de imediato, com mensagens de texto, correio electrónico e excertos de notícias que vão fornecendo informação muito relevante para o desfecho da história, assim como revelando mais sobre as figuras ficcionais. Igualmente, temos acesso às vozes e aos pensamentos de ambos os protagonistas, bem como saltos temporais em que o passado vai tornando o presente ainda mais estimulante. 

O facto de o enredo começar pela troca de telefones é, sem dúvida, uma peça chave que nos permite pensar no quanto estamos presos a estes pequenos aparelhos que contém tanto das nossas vidas. Acessos a redes sociais e conteúdos pessoais são, apenas, uma parte do que os torna imprescindíveis mas também perigosos, algo que fica claro quando o casal principal resolve ceder à curiosidade e investigar mais sobre o dono do respectivo aparelho. 

Além do que já frisei, vale a pena referir que este título tem por base o género thriller, por isso contém com um enigma bem montado que vos poderá surpreender de várias maneiras. Uma coisa é certa, é muito mais que um romance e manteve-me presa às suas páginas do princípio ao fim. Nada mal para uma estreia senhor Guillaume Musso, voltaremos a encontrar-nos de certeza. 

Uma aposta bem-vinda da Planeta Manuscrito, que certamente merece uma oportunidade para os amantes de romances policiais. 

Título: O Apelo do Anjo
Autor: Guillaume Musso
Género: Romance; Policial


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A obra-prima de Carlos Ruiz Zafón
Um romance MAGISTRAL.

Edição Especial dos três primeiros livros da série de maior sucesso de Carlos Ruiz Zafón.

Título: A Sombra do Vento
Autor: Carlos Ruiz Zafón
N.º Páginas: 560
PVP: 14.95 €
ISBN: 9789896578206

Sinopse:
Num amanhecer de 1945, um rapaz é levado pelo pai a um misterioso lugar escondido no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Ali, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e que o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
A Sombra do Vento é um mistério ambientado na Barcelona da primeira metade do século XX, desde os esplendores do Modernismo até às trevas do pós-guerra.  Uma narrativa poderosa, que combina intriga, romance histórico, comédia e costumes, mas que é acima de tudo uma tragédia memorável de amor, cujo eco se projecta através do tempo.

O autor entrelaça tramas e enigmas numa inesquecível trama de segredos do coração e do feitiço dos livros, mantendo o suspense até a última página.

Leia um excertoAqui

Com mais de 25.000.000 de leitores em todo o mundo A Sombra do Vento já recebeu mais de 25 prémios em Espanha, EUA, França, Noruega, Bélgica, Inglaterra e em Portugal (Prémio Correntes d’ Escritas / Casino da Póvoa 2006).

«Um desses raros romances que combinam uma trama brilhante com uma escrita sublime.» - Sunday Times

Sobre o autor:
Carlos Ruiz Zafón é um dos autores mais lidos e reconhecidos em todo o mundo. Inicia a sua carreira literária em 1993 com El Príncipe de la Niebla (Prémio Edebé), a que se seguem El Palacio de la Medianoche, Las Luces de Septiembre (reunidos no volume La Trilogía de la Niebla) e Marina. Em 2001 é publicado o seu primeiro romance para adultos, A Sombra do Vento, que rapidamente se transforma num fenómeno literário internacional. As suas obras foram traduzidas em mais de quarenta línguas e conquistaram numerosos prémios e milhões de leitores nos cinco continentes.

Saiba mais em: Planeta

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

É com enorme prazer que hoje anuncio um novo vencedor no blogue, desta feita com um passatempo que contou com o maravilhoso apoio Planeta Manuscrito.


Para sorteio estava disponível um pack com os dois títulos actualmente publicados da série FERALS, O Rapaz Que Falava Com os Corvos e A Mãe das Moscas de Jacob Grey. Uma série cujos direitos para cinema foram comprados pela Fox.

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*253, Maria Alexandra Carlos – Marinha Grande

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Planeta Manuscrito por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 
Boas leituras*



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017


Porque quero mesmo começar este 2017 com o pé direito, aqui fica como vos prometi a foto dos livros que me Chegaram à Estante em Dezembro
Não sei quando voltarei à Salganhada – porque implica muitas fotos e o meu telemóvel não anda bom –, mas espero conseguir fazer-vos um apanhado mais ou menos breve do que aconteceu no mês passado, para que tudo se mantenha actualizado e vocês não percam nada. Pelo menos no que diz respeito a livros! 

Como podem ver pela foto, foi um Dezembro foi maravilhoso e trouxe verdadeiras pérolas à estante.


Do Grupo Penguin Random House recebi os títulos As Histórias Secretas de Twin Peaks, que é um exemplar maravilhoso e no qual só ainda não peguei porque quero mesmo ver a série primeiro, bem como Wayward Pines – Caos, livro que eu perdi no passado e ainda não fiz opinião para o blogue – é uma daquelas com que vão poder contar este trimestre. 

Já o Pai Natal trouxe-me Histórias das Terras e dos Lugares Lendários do Umberto Eco que, quem me conhece, sabe que eu namorava faz tempo. Dada a minha formação, sou uma apaixonada pela Idade Média e a sua influência na literatura clássica e contemporânea e este livro promete maravilhar-me com curiosidades. É para ir folheando, não sei se o irei opinar por aqui – só se me pedirem! 
O mesmo senhor das barbas brancas trouxe-me Os Vampiros, do imenso Filipe Melo, um artista que admiro e que, como autor, fiquei a conhecer com a famosa série As Incríveis Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy. Mais uma falha minha, por ausência de opinião no blogue, mas ainda não perdi a esperança de um dia vos trazer, pelo menos, um comentário sobre breve sobre a história.

Quanto às minhas compras, adquiri os últimos três títulos da série Sandman do Neil Gaiman, que estavam a sair semanalmente com o Público, ofereci a mim mesma como prenda de natal a edição ilustrada de Harry Potter e a Câmara dos Segredos – que é linda de morrer – e comprei esta edição inglesa das Fábulas de Esopo por estarem a um preço espectacular na Fnac. Sinceramente, Aesop’s Fables devia ser obrigatória em qualquer estante e estou feliz por finalmente ter uma edição catita nas minhas. 


Quase me esquecia, recebi também Destinos e Fúrias da Editorial Presença, cuja opinião já podem encontrar no blogue – aqui.

Relativamente a publicações, Dezembro teve muitas divulgações e alguns passatempos de Natal, cujos resultados já começaram a sair e terminarei de publicar esta semana e durante a próxima.
Resultado – Destinos e FúriasAqui

opiniões, foram publicadas apenas duas mas os livros são óptimos, por isso não percam a oportunidade de as espreitar. 
Nem Todas as Baleias Voam Opinião
A Loucura de Lorde Ian MackenzieOpinião

E é isto, creio que consegui referir o mais importante do mês passado. No que diz respeito a Janeiro, que já vai a meio, espero continuar a publicar ao mesmo ritmo que até agora e prometo-vos pelo menos mais duas opiniões e um novo passatempo antes do mês terminar. 
2017 é o ano em que espero muito, muito, voltar a encontrar-me neste espaço que me sempre me fez tão bem e embora eu saiba que vai ser um ano atribulado vou fazer tudo para me conciliar com as minhas Histórias e vir contar-vos mais sobre este hobby que me faz tão bem, a leitura. 

Boas leituras

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Olá queridos leitores,

Hoje venho convidar-vos a espreitar como foi o meu ano em termos de leituras, segundo o fiel Goodreads, um site que uso e abuso faz tempo – adoro! 



Como podem constatar, no link, fiquei quase a meio do meu Desafio anual de leituras mas, não desanimando, voltei a fazer um novo desafio para este ano. Desta vez coloquei menos 10 livros que no ano passado mas tenho esperança de vir a aumentar o objectivo antes do ano terminar. 
Podem consultar o avanço do meu desafio na barra do lado direito do blogue. 


E vocês, costumam desafiar-se a ler anualmente? 

Boas leituras* 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Sinopse: 
Todas as histórias têm duas versões.
Todas as relações têm dois pontos de vista.
Contudo, às vezes, a chave para um bom casamento não está na honestidade mas nos seus segredos.
Lotto e Mathilde, jovens altos e bonitos de 22 anos, estão perdidamente apaixonados e destinados aos maiores sucessos. Uma década mais tarde, o casamento ainda é alvo das invejas dos amigos, mas a realidade afigura-se mais complexa e extraordinária do que as aparências dão a entender.

Dois factos sobre este livro: tem uma qualidade e complexidade dificilmente comparáveis e é, para mal dos meus pecados, extremamente complicado de opinar. A sua escrita, a estrutura conferida ao desenvolvimento da acção, é muitas vezes rara na poética e articulação e as suas personagens, Destinos e Fúrias, são o reflexo de uma humanidade que nem sempre estamos dispostos a confrontar ou aceitar. 

Dividindo a obra em duas partes que contam histórias umbilicalmente complementares, as vidas de Lotto e Mathilde, respectivamente enquanto indivíduos e dissonantes enquanto par, Lauren Groff dá-nos a conhecer aquele que é considerado o casal perfeito. Numa narrativa em que a linha temporal por vezes se distorce, vamos descobrindo infâncias, adolescências e jovens-adultos, admirando o conjunto uno deste homem e mulher pelas suas singularidades e antevendo segredos e silêncios que o leitor acabará por querer, sem o saber mas mais que tudo, desvendar. 
Acima de tudo interessante, este foi um livro que por vezes se revelou estranho ou até incoerente na sua expressão, que é inevitavelmente paralela ao que nos expõe, múltiplas formas de se amar.  

Como todas as identidades, metamórficas na sua evolução, as representadas neste texto mostram-se cadenciadamente e depois das conhecer a fundo, confesso, tenho alguma dificuldade em não divagar e cometer spoileres, porque elas são, indiscutivelmente, o resultado das vidas e da história de amor que nos é contada. Ainda assim, posso dizer-vos que será fácil maravilharem-se com a excentricidade de Lotto que, desde cedo, se antevê diferente dos seus pares nas emoções e interpretação do mundo. É, sem dúvida alguma, um jovem de artes variadas e cuja inocência nunca deixa de surpreender. Mathilde, por seu lado, fascina pelo véu que parece cobri-la permanentemente, mesmo que seja o centro do seu marido e a ferramenta que faz girar o universo do enredo, mesmo que esteja sempre presente, a verdade é que quanto mais tomamos consciência de si mais certezas temos de que algo nos escapa. São protagonistas intrigantes, que formam uma teia que vai prendendo os vários intervenientes secundários sem que, verdadeiramente, lhes seja dada relevância. 

Embora esta obra possa ser considerada um romance em todas as suas acepções, afinal trata-se da história de um casamento, a moral e o sentido deste enredo afastam-se muitas vezes dos floreados e do sentido mais convencional dos afectos, abordando uma relação conjugal no seu sentido mais cru – uma mistura de nojo e fascínio, de paixão e resignação –, bem como a influência dos outros e das opções peculiares que vão sendo tomadas no caminho a dois. Desta forma, o leitor acaba por se confrontar com o artificial e o medo, com uma realidade que é múltipla porque nem sempre é o que parece, assistindo a um teatro da vida bastante credível onde as lacunas e as dores se despem de pudores e os pensamentos mais bem guardados, do tipo que envergonham, florescem entre páginas. 

Além do que referi, este é ainda um livro sobre Arte. Sobre a arte da representação e a dramaturgia o que, convenhamos, torna este título ainda mais especial, pois a linha que separa a realidade das fantasias de Lotto, na própria ficção de Groff, confere uma consistência e análise únicas à leitura. 
Sinceramente, esta não é a minha primeira aposta em entretenimento mas, sem dúvida, a satisfação e proveito que se retira da reflexão humana contida nesta obra é extraordinária, perdurando e inquietando a memória pelos seus retratos onde, mesmo que o neguemos sempre, haverá tanto de cada um de nós. 

Uma grande, grande aposta Editorial Presença, que me fez começar o ano de forma diferente e, indubitavelmente, muito estimulante. 

Título: Destinos e Fúrias
Autora: Lauren Groff
Género: Romance
Para comprar o livro Destinos e Fúrias, clique aqui.


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades.

Considerado um dos Melhores Livros do Ano por:
Amazon
B&N Teen Blog
Hudson Booksellers
The Miami Herald
School Library Journal

Título: Tudo, Tudo... e Nós
Autor: Nicola Yoon
Título Original: Everything, Everything
Tradução: Isabel Maria Pettermann Frausto
Coleção: Ficção Juvenil nº 12
N.º Páginas: 320
PVP: 14.90 €
ISBN: 978-972-23-5858-3

Sinopse:
Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira - até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. 
De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior - mesmo que isso ponha a sua vida em risco.

Leia um excerto Aqui

«Não o consegui pousar. Perfeito para quem gostou de A Culpa É das Estrelas ou de Se Eu Ficar.» - theguardian.com
«Esta história comovente vai além do habitual ao explorar a fundo as esperanças, os sonhos e os riscos inerentes ao amor.» - Kirkus Reviews
«Terno, criativo, bem escrito e com um excelente final, Tudo, Tudo… E Nós é um dos melhores livros que li este ano.» - Jodi Picoult
«A nova obsessão dos fãs de YA.» - MTV.com

Sobre a autora:
Nicola Yoon nasceu na Jamaica e cresceu em Brooklyn. Mora em Los Angeles com o marido e a filha. Tudo, Tudo… E Nós é o seu primeiro romance, tornou-se bestseller do New York Times e os direitos de tradução encontram-se já vendidos para mais de 30 países.

Para mais informações sobre o livro Tudo, Tudo... e Nós, clique aqui.


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Chegou o momento de anunciar o primeiro vencedor do blogue de 2017, desta feita de um passatempo que contou com o maravilhoso apoio Editorial Presença


Para sorteio estava disponível um exemplar do livro Destinos e Fúrias de Lauren Groff. Considerado por muitos um livro extraordinário e o preferido de 2015 por  Barack Obama.

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

131* Alexandra Guimarães, Cascais

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Editorial Presença por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 
Boas leituras*

Para comprar o livro Destinos e Fúrias, aqui.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Bem sei que não é novidade mas, porque é giro e actual, hoje resolvi trazer-vos este título a passatempo. 


Importante: este exemplar é em segunda mão, foi lido por mim e foi uma oferta Contraponto, na altura, para recensão no blogueOpinião.

Para sorteio, está então disponível um exemplar do livro O Lar da Senhora Peregrine Para Crianças Peculiares de Ransom Riggs.

Para se habilitarem a este exemplar, terão unicamente de responder às fáceis questões abaixo colocadas, ter em atenção as regras de participação e ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
A partilha do link nas redes sociais não é obrigatória, mas se o fizerem podem participar novamente – uma vez por dia.

Boas leituras*

Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 29 de Janeiro de 2017 (domingo).
2. Ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
4. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
5. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
6. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
7. Boa Sorte!




sábado, 7 de janeiro de 2017



Em cada história,
uma nova janela de oportunidades para Sonhar.


Boas leituras*



*Janeiro...
1. Um Rapaz Chamado Natal | Matt Haig (Opinião)
2. Destinos e Fúrias | Lauren Groff (Opinião)
3. O Apelo do Anjo | Guillaume Musso (Opinião)
4. O Erro | Elle Kennedy (Opinião)

*Fevereiro...
5. Tudo, Tudo... E Nós | Nicola Yoon (Opinião)
6. A Maldição do Vencedor | Marie Rutkoski (Opinião)


*Março...
7. Isto É Mais Que Um Diário | Adam J. Kurtz (Opinião)
8. A Última Estrela | Rick Yancey (Opinião)
9.


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017
Sinopse:
Nesta viagem, que tem início na infância pobre e simples do pequeno Nicolau, o autor vai desvendando a verdadeira história do Pai Natal e surpreendendo o leitor com descrições fantásticas e completamente inesperadas.
Um livro encantador, divertido e emocionante, com ilustrações sublimes. Uma jornada imperdível onde não faltam elfos, neve, renas, fadas e muitos pozinhos mágicos, capazes de transformar a tristeza em alegria e os «impossíveis» em amor.

Um verdadeiro clássico de Natal, perfeito para reavivar valores que deveriam estar presentes todo o ano.
Confesso-vos que pedi e guardei Um Rapaz Chamado Natal para ler em vésperas de uma época que me enternece especialmente mas, findada a sua história, acredito que o poderia ter folheado múltiplas vezes em 2016, como um guia simples e pueril para a felicidade.

Narrando a aventura de uma criança muito pobre que, nas mais atrozes condições, percorre durante meses a Finlândia rumo ao Extremo Norte, em busca do seu único ente querido, esta começa por ser, acima de tudo, uma lição de Esperança. Agarrado a este forte sentimento, o nosso jovem herói nascido a 24 de Dezembro, Nicolau, acaba por encontrar Magia e, com ela, uma verdade tão cruel que põe em causa o afecto que sempre o conduziu, o Amor. E a partir daqui, meus queridos leitores, espero que a vossa imaginação permita a entrada da fantasia e deixe actuar a sua arte porque, entre o extraordinário e criaturas maravilhosas, descobrirão que a palavra impossível não existe e como surgiu a mítica figura do Pai Natal. 

Gosto da sinceridade infantil, da imagem natural que as crianças têm do mundo e dos que nele habitam antes de estarem demasiado conspurcadas pela humanidade.  Da mesma forma gostei, muito, das personagens desta história, muito fiéis à noção primária que temos das espécies, reais ou fabuladas. Ora vejamos, com o decorrer da narrativa o Homem está representado diversificadamente, sendo ganancioso e mau mas também dotado de generosidade e bondade, dependendo daquilo em que acredita. Já os Elfos só podem praticar o acreditam ser o bem, mas o bem pode não ser necessariamente bom – estou a fazer sentido? Enfim, neste texto existem ambos, bem como Duendes, Ogres, Ratos e Renas, todos descritos pelo que são quando humanizados de forma natural e isso confere – a Nicolau, André, Blitzen, Micas, A Duende da Verdade ou mesmo Noosh – uma beleza rara e muito apropriada aos livros infantis. 

by Chris Mould

Além da esperança e do amor, para mim esta história fica marcada, sem dúvida alguma, pela Generosidade e Amizade, mas também pela fé que existe em Acreditar no impossível, pois quando contrariamos algo que julgamos inalcançável estamos, definitivamente, um passo mais perto de o tornar real. E, claro, na Felicidade partilhada, ou seja, como o acto de fazer alguém feliz nos pode fazer tão bem a nós próprios. 
Matt Haig

Como referi anteriormente, este livro poderia ser um verdadeiro guia para se ser feliz, algo que torna esta leitura muito saudável para os mais jovens e igualmente importante para os adultos. Ao pesquisar sobre o autor, Matt Haig, que já conhecia do género não-ficção, este título ganhou todo um novo sentido para mim e acho que o seu trabalho em conjunto com o ilustrador Chris Mould, cuja arte passei a admirar, só lograria resultar em algo mágico, como é efectivamente este livro. 

Bem sei, que a temática do Natal está associada a uma época mas, acreditem, este livro além de intemporal adequa-se perfeitamente a qualquer ocasião em que necessitem de encontrar um sorriso. 
Este vai para a estante dos que fazem bem à alma. Obrigado Booksmile

Título: Um Rapaz Chamado Natal 
Autor: Matt Haig 
Género: Infanto-Juvenil
Editora: Booksmile



Redes Sociais

*Passatempo*

*Passatempo*
Até 26 de Março!

Editorial Presença*

Editorial Presença*
Passatempo - Até dia 2 de Abril!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide