Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quarta-feira, 31 de maio de 2017
Sinopse:
Helen Grace, até aqui considerada a melhor detetive do país, é acusada de homicídio e aguarda julgamento na prisão de Holloway. Odiada pelas restantes prisioneiras e maltratada pelos guardas, Helen tem de enfrentar sozinha este pesadelo. Tudo o que deseja é conseguir provar a sua inocência. Mas, quando um corpo aparece diligentemente mutilado numa cela fechada, essa revela ser, afinal, a menor das suas preocupações.
Os macabros crimes sucedem-se em Holloway e o perigo espreita em cada cela ou corredor sombrio. Helen não pode fugir nem esconder-se por atrás do distintivo. Precisa agora de ser rápida a encontrar o implacável serial killer se não quiser tornar-se a sua próxima vítima.

Desde o primeiro livro que sou fã e agora, terminada a leitura do sexto volume publicado da série Helen Grace, posso dizer-vos com toda a sinceridade que o fascínio pela narrativa de Arlidge se mantém com o mesmo nível de intensidade. 
Inovando uma vez mais no cenário e nos contornos atribuídos ao enredo, O Anjo da Morte mostra-se desafiante na premissa e desesperante para o seu leitor que deseja, mais que nunca, a salvação de uma heroína extraordinária. 

Aguardando julgamento na prisão feminina de Halloway, tendo de conviver de perto com aquelas que a odeiam e ostracizada pelos que anteriormente eram colegas de profissão, é no ambiente mais hostil até ao momento que encontramos Helen, uma mulher agora igual, se não inferior, a todos os que a rodeiam. 
Numa luta pela sobrevivência, quando tudo o que deseja é provar a sua inocência, a nossa protagonista vai ser posta à prova de todas as maneiras possíveis mas, nem no poço mais fundo, conseguirá ficar indiferente a um novo e macabro quadro de um homicídio. 

Não vou alargar-me sobre os atributos da personagem principal, cuja integridade e coragem são irrepreensíveis. Tendo nascido para ser detective, creio que é nesta área que ela mais se evidencia durante a narrativa, com os seus monstros, que a colocaram nesta situação, agora deixados em segundo plano. 
O grande destaque, relativamente a intervenientes já familiares, vão para Charlie que mostra o valor da amizade aliado a uma perseverança invejável e Sanderson que, afinal de contas, caiu em si. Já agora, o que é de Emilia Garanita está-lhe reservado e algo me diz que o seu fim se aproxima e não será dos melhores – ela é digna da minha pena.

Para além dos contornos bastante perversos dos crimes que se sucedem em catadupa ao longo do texto e do clima angustiante que passa para o leitor, verdadeiramente arrepiante – para mim o mais emocionante até ao momento – o que mais me chamou à atenção neste título é o retracto da vida na prisão e as suas habitantes. 
É de senso comum que estrutura social que compõe estes locais é absolutamente distorcida mas, para o bem ou para mal, é uma realidade sobre a qual a maioria de nós nunca reflectiu. A marginalização entre pares, a corrupção e a violência quase gratuitas são chocantes, tornando este isolamento quase doentio num risco constante que, definitivamente, põe em causa o valor da vida – que vida é aquela? Lembrem-se que em Portugal não existe perpétua mas no cenário representado sim e saber que o final de todos os nossos, muitos, dias pode ser passado nestas condições atrozes colocou, pelo menos a mim, o seu sentido em perspectiva.

Enfim é um livro verdadeiramente bom que, na minha opinião, consegue superar os seus antecedentes. Sem dúvida alguma, um série da Topseller que vou acompanhar de perto e que recomendo, sem excepção, sempre que alguém me pede uma sugestão dentro do género policial. Adoro. 

Da mesma série, no blogue: 

Um, Dó, Li, TáOpinião
À Morte Ninguém EscapaOpinião
A Casa de Bonecas Opinião
A Vingança Serve-se QuenteOpinião
Na Boca do LoboOpinião

Título: O Anjo da Morte
Autor: M. J. Arlidge
Género: Policial
Editora: Topseller

terça-feira, 30 de maio de 2017

Primeiro livro da nova série da escritora norte-americana Jenny Han.
Com o verão à porta, chegam as férias, a praia, as festas e, claro, novas paixões!

Título: O Verão em Que Me Apaixonei
Autor: Jenny Han
N.º Páginas: 256
PVP: 15.98 €
ISBN: 9789898800961

Sinopse:
Tudo o que é bom e mágico acontece durante o verão, e é a sonhar com o verão que Belly, de 16 anos, passa os seus dias. Para ela, os invernos são insuportáveis e sinónimo de estar longe de Jeremiah e de Conrad, os rapazes que Belly conhece desde a sua primeira estadia na casa de praia. Eles são os seus quase-irmãos, os seus inseparáveis parceiros de aventuras.
Até que chega aquele verão - maravilhoso e ao mesmo tempo terrível - em que tudo muda. Estas poderão ser as últimas férias que passam todos juntos na casa de praia. Chegou o momento de perpetuar memórias, confessar paixões escondidas e, acima de tudo, é hora de, finalmente, Belly começar a obedecer ao seu coração.

Leia um excertoAqui

Um romance com sabor a mar e a liberdade, sobre crescer e apaixonar-se, deixando-nos a desejar por mais.

Da mesma autora, no blogue:
A Todos os Rapazes Que AmeiOpinião
P.S. Ainda Te Amo Opinião

Sobre a autora:
Jenny Han nasceu e cresceu na costa leste dos Estados Unidos da América. Estudou na Universidade da Carolina do Norte e fez um mestrado em Escrita para Crianças em Nova Iorque, onde mora atualmente.
Se pudesse escolher um emprego, Jenny Han gostaria de ser ajudante do Pai Natal, provadora de gelados ou a melhor amiga da Oprah, entre outras coisas perfeitamente vulgares. Tem uma predileção por meias até ao joelho e come qualquer sobremesa, desde que seja de maracujá.
A sua trilogia O Verão em Que Me Apaixonei, que a Topseller começa agora a publicar, é bestseller do New York Times. O livro A Todos os Rapazes que Amei (ed. Topseller, 2014) encontra-se em vias de ser adaptado ao cinema.

Saiba mais em: Topseller


segunda-feira, 29 de maio de 2017


Depois da publicação de Perdida, a emocionante história de amor de Sofia e Ian continua no século XIX. Descubra todos os pormenores em Encontrada: À Espera do Felizes para Sempre.

Título: Encontrada
Autor: Carina Rissi
N.º Páginas: 448
PVP: 17.69 €
ISBN: 9789898843968

Sinopse:
Sofia está de volta ao século XIX, e mais animada do que nunca para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke.  
No meio da loucura dos preparativos para o casamento, contudo, ela percebe que tornar-se a sra. Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. 
As confusões encontram Sofia antes de ela chegar ao altar - e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento de Sofia e Ian é apenas uma delas. Além disso, coisas estranhas acontecem na vila, e Ian parece estar a enfrentar alguns problemas que prefere não partilhar com a noiva. 
Decidida, Sofia está disposta a tudo para ajudar o homem que ama. As suas ações, porém, podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir o seu felizes para sempre... é ela própria.

Leia um excertoAqui

Encontrada traz-nos de volta o mundo apaixonante de Sofia e Ian, permitindo-nos mergulhar uma vez mais nesta envolvente história de amor

Da mesma autora, no blogue:
Perdida Opinião

Sobre a autora:
Carina Rissi é uma leitora apaixonada, lê sempre a última página de um livro antes de o comprar e tem um fascínio inexplicável pelo tema «amores impossíveis». Tem em Jane Austen uma fonte de inspiração.
Nasceu em Ariranha, uma pequena cidade perto de São Paulo, onde vive atualmente com o marido e a filha.
Carina Rissi é autora de vários romances, entre os quais a trilogia Perdida, Encontrada e Destinado, êxitos de vendas no Brasil.

Saiba mais em: Topseller


sexta-feira, 26 de maio de 2017
Sinopse: 
Inédito em Portugal, estes 55 poemas foram escritos entre 1943-1945, no decurso da 2.ª Guerra Mundial, a Guerra que mudou a Europa e também o Brasil. Este é o olhar do poeta brasileiro mais importante de sempre sobre um momento de transformação profunda e a sua obra mais extensa. A primeira obra de Drummond de Andrade é também o seu trabalho de maior expressão de lirismo social e modernista. 
Este conjunto de poemas aprofunda assuntos como a profunda mudança de mentalidade e o corte com o passado; a confusão gerada por estas mudanças; a urbanização supersónica da então capital brasileira, além do sofrimento causado pela Segunda Guerra Mundial. O sofrimento causado pela Guerra na Europa. É, por isso, um trabalho que reflecte um tempo sombrio.

Antes de qualquer comentário a este título permitam-me confessar-vos que nunca fui, creio que nunca serei, facilmente atraída pela poesia. Sempre que me era proposta a leitura ou análise deste género fazia-o de forma contrariada e o resultado nunca foi bonito… No entanto, não nego a mim mesma experiências e, por isso, quando a Companhia das Letras me brindou com esta publicação de Carlos Drummond de Andrade, A rosa do povo, eu soube que acabaria por lhe pegar. Assim fiz, numa tarde com cheiro de primavera, temperada de sol quente e com o peito desperto para emoções, afinal eu tinha a curiosidade do renome mesmo que me faltasse a vontade. 

Algumas das singularidades que me deixam reticente na poesia, pelo menos dentro dos lusófonos que se destacam, é a nostalgia, a melancolia e o saudosismo permanentes na expressão. Existe na rima uma depressão com a qual não me identifico e que tenho dificuldade em interiorizar. De qualquer forma, após a leitura das primeiras páginas deste livro, compreendi que era diferente, que a sua abordagem ao Homem e ao seu sentir, ao universo sonhado e do qual faz parte – num espaço distorcido pelas perdas e ganhos do Eu – tinham os condimentos certos para me cativar ainda que, sem dúvida, esteja presente o pesar do autor no Brasil representado. 

Não tenho, de todo, qualquer tipo de pretensão em fazer uma análise desta obra, não me sinto qualificada para o fazer, não sei se a métrica dos versos é a correcta ou se a historicidade da Terra de Vera Cruz é respeitada. Todavia, acredito que tratando-se deste poeta em particular não faltarão preceitos de louvor técnico. Assim, deixem-me falar-vos antes da emoção, do sentimento que me foi sendo transferido durante esta leitura que espelha uma História, um espaço e um tempo que me são desconhecidos. 

O desenvolvimento dos poemas, a descrição dos factos ou a forma crua da expressão, muitas vezes sem qualquer tipo de floreados ou pudor, vão exactamente ao encontro de algo com o qual me identifico e dei por mim, diversas vezes, enredada na escrita e desejosa de saber mais sobre aquele pedaço de escrita. Agradou-me. 
Foi fácil sentir a revolta, o desejo e a vontade de ver brotar algo diferente da época retratada, Segunda Grande Guerra. Foi perceptível a gravidade com que o autor encarava os acontecimentos sem que, pelo menos da minha parte, se encontrasse derrotismo, pelo contrário. Andrade apela à luta, espelha mesmo indignação, através da contradição e de poemas que diferem na estrutura. 

Quanto a temáticas, está em evidência uma voz crítica relativa à política e ao sistema da época, bem como à sociedade que sob o seu olhar parece não saber lidar bem com o momento de conflito e, por consequência, terá dificuldades em reerguer-se de forma apropriada no pós-guerra. Questões mais comuns, como os afectos, o preconceito e inercia estão também presentes na obra. 
Para terminar, tenho de vos confessar que por vezes achei a opinião do poeta contraditória relativamente a um determinado tema, parecendo divergir no seu parecer de um poema para outro. 

Resumindo, gostei de ter a oportunidade de pegar neste livro que, admito, não consegui ler do início ao fim continuadamente. Foi, isso sim, uma leitura repartida que ainda não está terminada mas à qual, certamente, voltarei mais vezes. 

Creio que é um livro dirigido, particularmente, aos amantes da poesia mas que também poderá ser curioso para quem deseja saber mais deste período da História do Brasil e descobrir, pela primeira vez, Carlos Drummond de Andrade – pela diversidade de temas e interpretações que oferece. 

Título: A rosa do povo
Autor: Carlos Drummond de Andrade
Género: Poesia
Editora: Companhia das Letras


segunda-feira, 15 de maio de 2017

O amor verdadeiro é como o Universo: não tem fim
Por vezes, conhecemos alguém que nos transforma e que muda tudo.

Título: O Universo Nos Teus Olhos
Autor: Jennifer Niven
N.º Páginas: 408
PVP: 16.50 €
ISBN: 978 989 6652 005

Sinopse:
Libby Strout, outrora a rapariga mais gorda da América, conseguiu finalmente ultrapassar o desgosto causado pela morte da mãe e está pronta para voltar a viver. Transformou-se e o que mais deseja é ser a rapariga que consegue ser tudo o que quer. No entanto, o resto do liceu não parece partilhar deste entusiasmo de Libby.
Jack Masselin é o típico rapaz popular do liceu: bonito, sempre com o comentário certo na hora certa. No entanto, o gosto que tem em perceber a mecânica dos objetos, em reconstruir e transformar tudo o que encontra, não lhe serve de muito na sua incapacidade para reconhecer caras. Jack tem prosopagnosia e à sua volta, familiares e amigos incluídos, parecem-lhe desconhecidos e são, para ele, um autêntico quebra-cabeças.
Quando o destino junta Libby e Jack, a solidão que cada um sente dá lugar a sentimentos muito diferentes… Uma história de superação e de um amor verdadeiro e invulgar que nos devolve a esperança no mundo, em nós e no outro.

«O Universo nos teus olhos é muito mais do que a história de duas almas apaixonadas. Fala da necessidade universal de sermos compreendidos.  E é por isso que é um livro tão excepcional.» - Teen Vogue

Sobre a autora:
Jennifer Niven sempre quis ser um Anjo de Charlie, mas a sua verdadeira paixão é a escrita. Fala-me de Um Dia Perfeito, o seu primeiro romance juvenil, está publicado em trinta e quatro países e vendeu mais de 100 000 exemplares nos primeiros três meses nas livrarias, nos Estados Unidos. A autora vive actualmente em Los Angeles.


domingo, 14 de maio de 2017

Uma história de amor ente duas pessoas improváveis
O primeiro romance juvenil que aborda a questão do género

Título: Se Eu Fosse Tua
Autor: Meredith Russo
N.º Páginas: 264
PVP: 16.30 €
ISBN: 978 989 6652 197

Sinopse:
Só porque tens um passado, não quer dizer que não possas ter um futuro.
Mudar de escola no último ano e ser a miúda nova do liceu nunca é fácil para ninguém. Amanda Hardy não é excepção: se quiser fazer amigos e sentir-se aceite, terá de baixar as defesas e deixar que os outros se aproximem. Mas como, quando guarda um segredo tão grande? Quando tenta a todo o custo esconder o seu passado e começar uma vida nova?
Para piorar as coisas, apaixona-se perdidamente pelo rapaz mais popular do liceu e tudo o que mais quer é contar-lhe a verdade# Será que ele é tão especial quanto parece? Poderá confiar nele?
Uma história inspiradora e comovente que nos enche o coração e nos ensina que o amor mais verdadeiro e profundo nasce da coragem de sermos nós mesmos.

Sobre a autora:
Meredith Russo nasceu no Tennessee, onde vive ainda hoje. A sua verdadeira vida começou em 2013 e, desde então, nunca mais olhou para trás. Se eu fosse tua, o primeiro romance que pública, é parcialmente inspirado na sua própria experiência enquanto mulher transgénero e, tal como Amanda, a protagonista desta história, Meredith é grande fã de jogos de vídeo e da saga Guerra das Estrelas. Se Eu Fosse Tua recebeu o Stonewall Book Award e foi considerado um dos melhores livros do ano pelas revistas Publishers Weekly, Kirkus Reviews, e pelas livrarias da Amazon, Goodreads e Barnes and Noble.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Chegou ao fim o mais recente passatempo no blogue e, como tal, venho anunciar-vos um novo vencedor. 


Para sorteio, estava disponível um exemplar do título As Raparigas de Emma Cline, uma publicação Porto Editora.

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:
174* Marilina Fernandes, Mem Martins

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
Boas leituras*
terça-feira, 9 de maio de 2017

Num cenário de intriga internacional interesses ocultos e homens poderosos pretendem dominar o mundo a todo o custo.

Título: Os Conspiradores
Autor: Vito Bruschini
N.º Páginas: 404
PVP: 17.50 €
ISBN: 9789897243486

Sinopse:
Há vários anos que uma congregação ultra secreta, o Priorado, tenta expandir o seu domínio. Composto por antigos jesuítas, este grupo de poderosos quer assumir o controlo da nossa sociedade. Estão dispostos a tudo, inclusive a recorrer aos Protocolos dos Sábios de Sião, uns dos mais ameaçadores documentos da nossa História recente. Os membros infiltram-se nas organizações nevrálgicas do poder mundial e põem em marcha o seu plano.
A congregação pretende subjugar o Conselho dos Treze, a cúpula do Clube Bilderberg, o lóbi mais poderoso que governa na sombra a economia mundial. No ar paira a ameaça do colapso do dólar e até do euro. Será uma guerra financeira o método escolhido para alcançar o domínio do mundo?
O confronto entre estas duas potências será cruel e sangrento, imprevisível e repleto de golpes de cena. Milla Vespignani, uma corajosa funcionária da União Europeia, e o inspetor Solomon da Scotland Yard tentarão impedir o golpe que poderá entregar para sempre o destino da humanidade às mãos de homens sedentos de poder.
14 de janeiro de 2013: o Bundesbank anuncia aos mercados financeiros a sua intenção de reaver para os cofres do Frankfurt 300 toneladas de lingotes de ouro conservados nas caves da Reserva Federal de Nova Iorque e 374 toneladas de lingotes depositados no Banco de França em Paris. Porquê esta imprevista decisão? Alguns meses depois, a Reserva Federal Americana congela os bens nas suas caixas-forte, receando um evento que pode mudar a História da humanidade...

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Título: Slated - Reiniciada
Autor: Teri Terry
N.º Páginas: 488
PVP: 15.90 €
ISBN: 9789898730237

Sinopse:
Kyla Davis está prestes a entrar numa nova vida. As suas memórias foram apagadas e, com elas, todo o conhecimento que tinha antes de ter sido Reiniciada. Como pena para um crime que, como tudo o resto, desconhece, tudo o que a identificava foi removido. Agora, Kyla tem à sua espera uma nova família e um novo início de vida, e a responsabilidade de cumprir tudo aquilo que esperam dela – caso contrário, as consequências poderão ser pouco agradáveis.
Mas, mesmo enquanto se tenta adaptar à comunidade, Kyla começa a questionar. Há pessoas a desaparecer à sua volta e uma vigilância opressiva em que todos parecem estar apenas à espera que ela cometa o seu primeiro erro. E, algures por dentro, há memórias que lutam para surgir. Talvez ela não seja apenas a boa menina Reiniciada que todos lhe exigem que seja. Mas quem é, então?

quinta-feira, 4 de maio de 2017
Sinopse: 
Sofia é uma jovem de 24 anos que vive numa grande cidade e está habituada à sua vida independente e moderna. Divertida, mas solitária, Sofia não acredita no amor, convencida de que os únicos romances da sua vida são aqueles que os livros lhe proporcionam. 
Porém, após comprar um telemóvel novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem saber como ou se poderá voltar para sua casa, para o «seu» século. Enquanto tenta encontrar uma solução, é acolhida pela família Clarke, à qual, à medida que os dias passam, se afeiçoa cada vez mais. 
Com a ajuda do prestável - e lindo - Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba por encontrar pistas que talvez a ajudem a regressar à sua vida.
O que ela não sabe é que o seu coração tem outros planos, e que a ideia de deixar o século XIX pode vir a tornar-se angustiante...

Esqueçam os convites para Hogwarts, neste momento esta vossa leitora dava tudo para viajar no tempo! Na minha vida pessoal não sou do género dado ao romance mas, se pudesse recuar uns séculos, creio que facilmente me perderia nos braços de um cavalheiro em jeito de príncipe encantado. 
É este mesmo convite que nos faz a divertida e criativa Carina Rissi, com uma protagonista que foge a todo o custo aos dilemas do coração e que se vê, como por magia, transportada para o século XIX. Desta feita, peripécias e emoções fortes preenchem um cenário bucólico que equilibra, agradavelmente, realidade e ficção, fazendo com que se incorpore facilmente o papel dos intervenientes. Gostei muito. 

Sofia é a típica jovem contemporânea, stressada e pressionada para evoluir na carreira, para provar a sua independência, e sem tempo para pensar nos assuntos do coração. Ela é verdadeiramente engraçada, sempre atrapalhada e com um sentido de humor a que é difícil resistir, principalmente porque é uma mulher ciente dos seus valores. Quer dizer, ela é assim nos dias de hoje!
Quando certo dia compra um telemóvel muito apelativo – objecto sem o qual já não sobrevivemos –, que a vendedora, excêntrica, sugere veemente e, através do mesmo, é transportada para o passado, Sofia sabe que nada será como antes. Afinal, o quadro edílico em que se encontra e todos os trejeitos estranhos daqueles que a rodeiam fazem-na sentir-se, no mínimo, alienada. Ainda assim, primeiro estranham-se e depois entranham-se e após começar a ver o mundo pelas suas perspectivas, difícil vai ser voltar para tudo aquilo que sempre lhe foi familiar mas que, agora, está longe de ver com os mesmos olhos. 

Quanto às restantes personagens deste enredo, Ian é o típico cavalheiro pelo qual qualquer donzela, independentemente da época, se sente irremediavelmente atraída. Ele é atencioso, amigo e extremamente gentil – existe algo de fantástico na gentileza, que infelizmente assiste muito pouco às pessoas nos dias de hoje. 
A irmã de Ian, Elisa, e a sua melhor amiga Teodora, juntamente com o resto do pessoal da casa e vizinhos são um verdadeiro bónus ao casal principal. Todos encaixaram perfeitamente no desenvolvimento do romance, dando consistência ao enredo e credibilidade quadro montado por Rissi

Além do romance de época a que as leitoras do género já estão habituadas e que nestas páginas encontrarão com qualidade e originalidade, algumas das mais-valias de Perdida são as pequenas problemáticas abordadas e que, na sua maioria, nos remetem para os dias de hoje. 
Por exemplo, quantos jovens nos dias de hoje não se encontram em trabalhos onde têm uma rentabilidade abaixo nas suas qualificações, sujeitos a um tratamento patronal desmotivador? Quantos de nós não se encontram dependentes de aparelhos electrónicos? Pior, quantas vezes não abdicámos de alimentar a nossa afectividade em prol de uma carreira profissional que, de todo, está longe de ser satisfatória? 

São as pequenas questões, juntamente com a leveza desta história de amor e a beleza da sua escrita que fazem desta obra uma fonte de entretenimento que me agradou e que sugiro sem restrições. Um fairy tale para graúdos que já tem continuação publicada em português pela Topseller, Encontrada, e que já conta com quatro títulos publicados no original. 

Próximo livro:

Título: Perdida
Autora: Carina Rissi
Género: Romance
Editora: Topseller

quarta-feira, 3 de maio de 2017


Um homem atormentado pelo passado?
Uma mulher perante a escolha mais terrível da sua vida.

Título: A Mulher do Plantador de Chá
Autor: Dinah Jefferies
N.º Páginas: 416
PVP: 18.79 €
ISBN: 9789898800947

Sinopse:
Aos 19 anos, Gwendolyn Hooper abandona a Escócia para se encontrar com o seu marido, Laurence, em Ceilão, do outro lado do mundo. Recém-casados e apaixonados, eles são a definição do casal aristocrático perfeito: a bela dama britânica e o proprietário de uma das fazendas de chá mais prósperas do império.
Mas, ao chegar à mansão na paradisíaca propriedade Hooper, nada é como Gwen imaginara: os funcionários parecem rancorosos e calados, os vizinhos, traiçoeiros, e o seu marido, apesar de afetuoso, demonstra guardar segredos sombrios. Com Laurence ausente em trabalho, Gwen explora sozinha a plantação. Ao vaguear por locais proibidos, encontra várias portas fechadas e até um pequeno túmulo - pistas de um passado escondido.
Quando descobre estar grávida, a jovem sente-se feliz pela primeira vez desde que chegou a Ceilão. Mas, no dia de dar à luz, algo inesperado se revela. Agora, é ela quem se vê obrigada a manter em sigilo algo terrível, sob o preço de ver a sua família desfeita. Quando chegar o dia de revelar a verdade, será que ela vai ter o perdão daqueles que ama?

Leia um excertoAqui

«Dinah Jefferies conjuga a beleza do Ceilão, atual Sri Lanka, com um elenco de personagens encantador, criando um enredo que seduzirá os amantes de romances históricos.» — Booklist

Sobre a autora:
Dinah Jefferies nasceu na Malásia e mudou-se para Inglaterra com nove anos. Estudou na Birmingham School of Art e, mais tarde, na Ulster University, onde se formou em Literatura Inglesa. Autora bestseller do Sunday Times, colabora com alguns jornais, entre eles o Guardian.
Depois de ter vivido em Itália e em Espanha, regressou a Inglaterra, onde vive com o seu marido e o seu cão, e passa os dias a escrever e a desfrutar dos tempos livres com os netos.
A Mulher do Plantador de Chá, que a Topseller agora publica, foi bestseller do Sunday Times e selecionado para o Richard and Judy Book Club.
Saiba mais sobre a autora em: www.dinahjefferies.com

Saiba mais em: Topseller


terça-feira, 2 de maio de 2017


Um livro simplesmente inesquecível,
Que nos fica gravado na pele e na alma.

Título: A Única Memória de Flora Banks
Autor: Emily Barr
N.º Páginas: 288
PVP: 16.99 €
ISBN: 9789898855640

Sinopse:
O meu nome é Flora Banks, tenho 17 anos e tenho amnésia.
Quando tinha dez anos, removeram-me um tumor do cérebro. Desde então, sou incapaz de me lembrar do que acontece no dia a dia. Não consigo criar novas recordações.
O meu nome é Flora Banks, tenho 17 anos e tenho amnésia.
A minha memória reinicia inúmeras vezes. Suspende-se e recomeça como se a desligassem da corrente sem aviso. Para me lembrar de quem sou e do que gosto, escrevo-o em papéis. Gravo-o até na minha própria pele.
O meu nome é Flora Banks, tenho 17 anos e tenho amnésia.
Esqueço tudo o que me acontece, exceto o momento em que beijei o Drake. Um beijo que pode ser a minha cura. Um beijo que está prestes a levar-me numa viagem arriscada e que mudará a minha vida para sempre. Será que estou preparada para tudo o que vou encontrar?
O meu nome é Flora Banks, tenho 17 anos e tenho amnésia, mas sou muito corajosa!

Leia um excertoAqui

Um livro marcante!
Uma jornada emocionante que nos faz acreditar no impossível.

«Extraordinário e comovente, este é um livro que nos parte o coração, mas nos faz acreditar na vida.» - Daily Mail

Sobre a autora:
Emily Barr estudou História da Arte, foi investigadora e, enquanto jornalista, teve uma coluna regular no The Guardian e outra no Observer. A sua paixão pela escrita e pelos livros levou-a a abandonar tudo para apostar na sua carreira de escritora.
Nos últimos 15 anos, Emily publicou mais de uma dezena de livros. A Única Memória da Flora Banks é o seu primeiro livro para jovens adultos e já está publicado em 23 países.
Adora viajar e é apaixonada por música, sobretudo pelas canções de Leonard Cohen. Vive na Cornualha, Reino Unido, com o companheiro e os filhos.
Mais sobre a autora em: www.emilybarr.com

Saiba mais em: Topseller


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Não sei se os meus queridos leitores já tinham saudades de ver os meninos que me têm chegado às estantes mas eu, definitivamente, já estava a sentir falta de mostrar as minhas preciosidades. 


Março e Abril foram meses um pouco diferentes a nível pessoal, trabalho, saúde, etecetera e, assim, as coisas andaram um pouco desequilibradas no blogue. No entanto, estou de volta em plena forma e faço questão de que Maio seja um mês lindo para As Histórias de Elphaba

Aquisições de Março
Sem pedir nenhum, recebi imensos livros de editoras no mês da Mulher e tenho de vos confessar que andava a namorar alguns deles. Por isso, muito em breve, vão ter uma oportunidade de leitura. 


Grupo Penguin Random House: adorei a capa de A Tua Segunda Vida Começa Quando Percebes Que Não Terás Outra, estou desejosa de ler O Universo Nos Teus Olhos porque fiquei fã de Jennifer Niven no livro anterior e, surpreendentemente, o número de thrillers policiais cá por causa aumentou, o que me agrada bastante – é um género que quero ler mais. Ora vejamos, recebi A Rapariga de Antes, A Substância do Mal e Desaparecidos, qualquer um deles me parece uma boa opção.  
Marcador: qualquer livro de Carla M. Soares é uma leitura sempre bem-vinda e, desta vez, recebi de surpresa O Ano da Dançarina autografado. Fiquei muito feliz
Planeta Manuscrito: pelas deliciosas edições, Mango & Bambang já teve direito a ser folheado mas quero ler com a atenção para vos fazer opinião. Sinto a Tua Falta parece ser um bonito romance e a aposta erótica de Monica James não me-é indiferente. 


Quanto a ofertas e aquisições, creio que me portei muito bem. Só comprei dois livros e um deles tinha sido pago em Fevereiro (ou antes), assim, teoricamente, só comprei um livro em Março – foi Saga, Volume 6, colecção que ando a fazer. Golden Son foi a tal compra anterior mas que só me chegou às mãos mais tarde e Cândido ou o Optimismo veio com a revista Visão. 
Ofereceram-me Onde Estás, Audrey? que eu quero muito ler, gosto de Sophie Kinsella e As Raparigas é repetido e por isso está a passatempo no blogue. 

Aquisições de Abril
Por comparação, Abril foi um mês sem grandes excessos, sendo que nesta foto estão não só os títulos que as editoras me enviaram, como também a minha única compra do mês. 


Topseller: O Anjo da Morte foi pedido por mim, para dar continuidade à leitura da série Helen Grace que tanto gosto – Arlidge não desilude. 
Planeta Manuscrito: recebi as novidades deste mês que vão ao encontro dos meus gostos. Confesso que estou particularmente interessada no novo livro da Megan Maxwell, Desejo Concedido, mas tanto Philippa Gregory como Javier Moro são autores atractivos. 
Clube do Autor: não esperava nenhum título desta editora e tanto Coração de Gelo, como Os Conspiradores, vão ser postos a passatempo no blogue. 
Grupo Penguin Random House: Se Eu Fosse Tua, da chancela Nuvem de Tinta, está ali a piscar-me o olho e ou muito me engano ou será uma das próximas leituras. 

Encontrei, mais uma vez, a edição de O Principezinho da Visão e desta vez não deixei escapar a oportunidade, comprei e não estou nada arrependida. Eu já tive várias edições deste livro mas acabo sempre por oferecer a crianças quando vêm cá a casa – desta vez isso não vai acontecer. Adoro-a!  


Nestes dois meses foram vários os livros a passatempo mas creio que, de momento, importa informar-vos que está no ar o passatempo As Raparigas. Não deixem de participar: link


No que respeita a opiniões as coisas estiveram verdadeiramente fraquinhas. Não pela qualidade dos livros lidos mas, definitivamente, pela minha falta de disponibilidade para ler/escrever. 
Isto É Mais Que Um Diário | Adam J. Kurtz (Opinião)
A Última Estrela | Rick Yancey (Opinião)
Sete Minutos Depois da Meia-Noite | Patrick Ness (Opinião)
Na Boca do Lobo | M. J. Arlidge (Opinião)
Filhos do Vento e do Mar | Sandra Carvalho (Opinião)

Dos opinados há 3 que se destacam mas Sete Minutos Depois da Meia-Noite é, definitivamente, o eleito. Façam um favor a vocês mesmo e leiam-no. 

Continuo a publicar no Instagram, umas vezes a título mais pessoal, outras vezes com os meus queridos livros. Não se esqueçam de passar por lá: AQUI

E, muito sucintamente, é a isto que se resumem dois meses. Algumas compras, poucas leituras e ainda menos opiniões. Andei realmente fugida do blogue mas, acreditem, houve mesmo uma necessidade de me dedicar em pleno à minha vida pessoal. 
Espero que Maio seja, efectivamente, um mês lindo para todos nós. Recheado de pequenas conquistas pessoas e muitas vitórias interiores. 


Um mês muito feliz meus queridos…
Boas leituras*


Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide