Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Título: Pura Coincidência
Autor: Renee Knight
N.º Páginas: 304
PVP: 17.50 €
ISBN: 9789898775757

Sinopse:
E se de repente se apercebesse de que é o protagonista do aterrador romance que está a ler? Catherine tem uma boa vida: goza de um grande sucesso na profissão, é casada e tem um filho. Certa noite, encontra na sua mesa de cabeceira um livro com o título O perfeito desconhecido. Não sabe como terá ido parar a seu quarto ou quem o terá ali posto. Ainda assim, começa a lê-lo e rapidamente fica agarrada à história aterradora de suspense. Até que, depois de ler várias páginas, chega a uma conclusão aterradora. NÃO É FICÇÃO. O perfeito desconhecido recria vividamente, sem esquecer o mais ínfimo detalhe, o fatídico dia em que Catherine ficou prisioneira de um segredo terrível. Um segredo que só mais uma pessoa conhecia. E essa pessoa está morta.

Sobre a autora:
Renee Knight foi realizadora de documentários para a BBC antes de se dedicar à escrita. 
Pura Coincidência é o seu primeiro romance, que será publicado em mais de 25 países. Um thriller psicológico brilhante e profundamente perturbador, sobre uma mulher atormentada pelos seus segredos e um desejo avassalador de vingança, que está a conquistar os leitores e a crítica de todo o mundo. 




domingo, 22 de novembro de 2015

Queridos leitores, 

É com algum pesar que hoje escrevo esta publicação mas, sendo consciente, respeitando-vos e estado eternamente grata pelo vosso carinho, tenho de ser completamente honesta convosco. 

Aconteceu, novamente. Alguma coisa mudou na minha vida pessoal e, consequentemente, na minha postura para com o blogue. Se em algum momento ousei ser blogger sei que, neste momento, não consigo sê-lo em pleno. Não consigo vir todos os dias ao computador nem oferecer-vos o que esta “quase profissão” deve aos seus leitores. 

Não estou, com isto, a dizer-vos que o blogue e aquilo que representa para mim vai terminar, de todo… simplesmente tenho de admitir que virei aqui muito menos vezes que antigamente e publicarei apenas quando me for realmente permitido, acompanhando, desta feita, este mundo virtual com maior distância – o que já se verifica há algumas semanas. 

Sei que estou atrasada em diversas publicações, passatempos e opiniões em particular, mas confesso que são as segundas que me preocupam pelo compromisso que assumi ao aceitar os livros que me são gentilmente cedidos pelas editoras. A minha gratidão por todos aqueles que me permitem partilhar convosco inúmeras histórias é imensa e vou, sem dúvida alguma, respeitar e honrar os compromissos assumidos até à data. A seu tempo, todas as opiniões serão partilhadas. 

Enfim, eu vou continuar a falar-vos de livros, hoje e sempre, como parte intrínseca que são da minha vida e formação, e por representarem a paixão que escolhi fazer perdurar até ao fim dos meus dias. Mas, efectivamente, não estranhem se o ritmo for lento, será o ritmo possível. 

Hoje vou responder às muitas mensagens e emails que me têm enviado e vou tentar preparar algumas coisas para os próximos dias. Depois disso, devido à dependência do meu quotidiano, não vos posso fazer promessas, além de que a minha vontade de estar presente, neste espaço que me-é tão querido, se mantém. 


Boas leituras*

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Sinopse:
Victoria Seaton cruzou um oceano. Para trás, deixou tudo o que amava. A sua cidade, Nova Iorque. Andrew, o homem dos seus sonhos. E a casa onde nasceu, agora tristemente vazia após a morte súbita dos pais.
Desamparada, Victoria não tem outra solução que não rumar ao desconhecido. A Inglaterra, um país que que nunca visitou. Aos aristocráticos Fielding, uma família que nunca viu e à qual pertence apenas no papel. A uma herança que não sabia existir. O seu único conforto é a sua irmã Dorothy, a quem protege fingindo ser a mulher corajosa que, intimamente, teme não ser. A alta sociedade britânica rapidamente a põe à prova com as suas regras rígidas, tão diferentes dos modos calorosos e simples do seu país natal. Igualmente impenetráveis são as reacções da família. Quando conhece a avó – a duquesa de Claremont - Victoria não percebe o porquê do seu olhar venenoso e a sua obstinação em acolher apenas Dorothy. As irmãs acabam por ser separadas e Victoria fica à mercê do jovem lorde Jason Fielding, seu primo afastado. Jason é um homem frio, sensual e implacável. Nos salões da moda, é o alvo de todas as atenções, a chama que atrai homens e mulheres, o “felino selvagem entre gatinhos domésticos”. Ele permanece um mistério aos olhos de Victoria, que recusa submeter-se às suas ordens ríspidas. Por seu lado, Jason não sabe como reagir ao temperamento explosivo da jovem americana. A relação de ambos é tão excitante quanto impossível. Sobre ela paira - negra e omnipresente - a sombra do passado com os seus mistérios, segredos e crimes...


Ébria, é assim que por vezes me sinto com palavras doces e finais felizes, romances que terminam com sorrisos e muitas promessas que idealizo cumpridas, lá, onde há lugar apenas para imaginação. 
Com esmero e qualidade, Judith McNaught destacou-se entre um género literário de que uso e abuso para entretenimento, não só pelo retracto de época elaborou como pelos afectos trabalhados, revelando excelência no enredo e nas suas personagens tão emocionantes quanto cativantes, que conseguiram proporcionar-me momentos-chave até um final que me deixou com uma imensa vontade de continuar na companhia da suas palavras, da sua próxima história – já editada pela ASA, com o título Algo Maravilhoso.

Em Para Sempre o começo é trágico para dois jovens em continentes opostos que, repentinamente, se vêm apartados dos que lhes são mais queridos. Mas enquanto ela mantém a esperança num noivado há muito prometido, ele, empedernido, jura a si mesmo nunca mais abrir o seu coração. Felizmente, o destino e parentes idosos, bastante casmurros, convenha-se, têm em mente uma ideia contrária e deliciosa para juntar este par improvável. 
Um primeiro e atabalhoado encontro, que envolve uma carroça partida e um leitão desvairado, é apenas o rastilho de inúmeras peripécias que darão início a uma relação enternecedora, apaixonante, e uma coisa é certa, entre mortos e feridos o amor triunfará de forma tão divertida quanto original, numa comédia sensual de outros tempos que encantará todos os fãs deste género. 

Bem sei que tendo a derreter-me com alguns intervenientes deste tipo de narrativas mimosas, mas acreditem que desta vez tenho todas as razões para adorar a protagonista. 
Eu gostei imenso da Vitoria, do primeiro momento em que a conheci até ao seu final muito merecido. Longe do protótipo de coitadinha, apesar do presente infeliz, esta mulher revela constantemente o seu carácter corajoso, mesmo quando não se sente assim, e uma personalidade espirituosa irresistível, pelo que conseguiu a minha empatia imediata. Jason, por outro lado, irritou-me por diversas vezes, devido ao seu mau-feitio extremo que o torna intratável. Mais, ele não é cavalheiro, não tem princípios e também não respeita o próximo, mas pronto, no final, pese embora tivesse ultrapassado todos os limites, lá consegui perdoá-lo entre resmungos – sou uma romântica, é o que é. 

Já no que diz respeito a personagens secundárias, os destaques vão para a condensa e o duque, os maiores responsáveis por esta história de amor, assim como os empregados da casa de Jason, que contribuíram com momentos verdadeiramente hilariantes. 

Um dos pontos fortes do texto diz respeito às relações afectivas e, neste campo, não só o casal triunfou; gostei da forma como a amizade está espelhada, aquece o coração. Igualmente, a vertente sensual do enredo é composta por descrições cuidadas, sem a necessidade de explicitar, o que permite ao leitor dar asas à sua imaginação nas entrelinhas. 
Por fim, todo o ambiente e sociedade são dados a ver  na perfeição e neste ponto a variedade de cenários, rurais e citadinos, são uma mais-valia, com diversas características e preceitos expostos. 

Sumariamente, esta é uma história encantadora no seu todo e primorosa nos pormenores que, efectivamente, vingará no seu género proporcionando entretenimento de topo. Gostei mesmo. 

Esta é mais uma aposta de sucesso da ASA, para os fãs de Julia Quinn ou Mary Balogh, que eu recomendo vivamente. 

Título: Para Sempre
Autora: Judith McNaught
Género: Romance de Época
Editora: Edições ASA

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Título: Perto do Paraíso
Autor: Judith McNaught
N.º Páginas: 608
PVP: 17.70 €
ISBN: 9789892333588
Disponível para compra: aqui
Disponível em eBook: aqui


Sinopse:
Lady Elizabeth Cameron, condessa de Havenhurst, tem apenas  17 anos quando conhece Ian Thornton, um enigmático homem de linhagem misteriosa e reputação sombria. Numa época em que a alta sociedade adora escândalos e valoriza títulos e dinheiro acima de tudo, Elizabeth e Ian cometem o erro de se apaixonarem. 
Ian não sabe que a jovem pertence à nobreza e pede-a singelamente em casamento. Um momento de intimidade que é testemunhado por Robert, irmão de Elizabeth. Desdenhoso, Robert revela que a irmã já está prometida a outro homem, um aristocrata, como manda a tradição. Ian fica destroçado perante a ideia de ter sido um mero objeto para a sua amada. Também Elizabeth se sente traída, ao pensar que ele não passa, afinal, de um caçador 
de fortunas. Mas a sua reputação já está irremediavelmente manchada.
Dois anos passam e os amantes voltam a encontrar-se. E mesmo após tanto tempo e tanta mágoa, os seus sentimentos revelam ser tão fortes como antes. Esta que promete ser uma segunda oportunidade para ambos será também o começo de uma dança de paixão e intriga, um caminho tortuoso desde os salões elegantes de Londres à beleza agreste das Terras Altas da Escócia… Um turbulento romance entre duas pessoas destinadas a ficar juntas, numa época em que o casamento nada tem a ver com amor.

Sobre a autora:
Judith McNaught nasceu nos Estados Unidos. Antes de se dedicar inteiramente à escrita, teve uma carreira profissional muito diversificada, tendo sido a primeira mulher a trabalhar como produtora executiva na rádio da CBS. Atualmente, a sua obra é publicada um pouco por todo o mundo e já vendeu mais de 30 milhões de exemplares. Vive em Houston, Estados Unidos.


quinta-feira, 5 de novembro de 2015


Não meus queridos leitores, no decorrer desta publicação não irão estar, por ventura, a ver em duplicado, simplesmente Outubro foi demasiado caótico e complicado para que eu tivesse tido oportunidade de publicar atempadamente a Salganhada relativa a Setembro e, assim, achei por bem descomplicar fazer algo como um dois em um num extenso (e extenso é a palavra-chave) post. Mas vamos por partes e, assim, recuar no tempo. 

Para quem nunca viu esta rubrica, espreitem aqui

Sejam bem-vindos a Setembro, um mês que para esta vossa leitora implicou o começo de uma nova rotina e uma imagem esquisita do seu blog. Ou seja, além de estar com dificuldades em conciliar tempo para vir a este espaço quando o conseguia deprimia – um bocadinho só, mas o suficiente para me chatear. A anterior imagem de As Histórias de Elphaba tinha sido inteiramente criada por mim e, com o passar do tempo, apercebi-me que cada um a via com uma formatação diferente, dependendo do equipamento e sistema com que acedia. Pessoalmente isso aborrecia-me, no entanto como a mim me parecia bonitinho deixei andar… até ao dia em que também eu passei a ver As Histórias com imensas lacunas. Era algo a mudar para breve, sendo nesse mês a prioridade ler um pouco mais e escrever, o que não foi inteiramente conseguido mas também não foi dramático; houve meses piores e mal eu sabia o que me esperava… Mas vamos a contas. 


Sonhos & Sobras

Nesta foto está o que eu sonhei para Setembro. (Antes)

Aqui podem ver o que ficou por concretizar. (Depois)

Li um total de cinco livros, um deles não está nas imagens porque foi recebido, lido e opinado no decorrer do mês o que, tendo em conta a minha disponibilidade, foi bom. Sinceramente, em Setembro ainda sonhava poder alcançar os números de outrora e idealizava noites de leitura sôfrega até altas horas. Isso morreu com o meu novo trabalho que, em certos dias, me deixa fisicamente derreada. 

Tudo ao Molho 
(Nem tanto assim que por cá tratamos bem os livros.) 

Sim, sim! Seguem-se três imagens diferentes porque o número de livros recebidos e comprados em Setembro é quase absurdo. Como desculpa tenho o facto de ter sido o meu aniversário – deste lado há alguém a amadurecer mas, ainda assim, longe de criar juízo. Vejamos… 

Na primeira imagem estão as melhores prendas de aniversário, oferecidas com aquele sorriso que vale milhões e recebidas de coração cheio e agradecimento profundo. 
As minhas companheiras de luta na blogosfera acertaram em cheio com The Winner’s Curse e são responsáveis pela maioria das coisas bonitas que vêm na imagem, postal, marcadores fofos, papel e laços que me tornam vaidosa daqui até à Lua – amor e só amor! 
Depois têm uma pilha de desejados e ansiados meninos em português, o último livro da Julia Quinn, Aquele Beijo, O Mistério na Cornualha de Liz Fenwick, o curioso romance de Mila Gray, Volta para Mim, e, por último, talvez o ansiado livro do ano, Letras Escarlates da grandiosa Anne Bishop, que teve direito a saco para a colecção. Apaixonei-te completamente por esta foto, vocês não?

Na segunda foto estão as minhas compras do mês e foram só grandes compras, creiam-me. 
Perdi a cabeça com o Throne of Glass, mas eu queria mesmo esta edição e finalmente vi chegar até mim o Another Day porque tanto ansiava e aqui não poupei. Por outro lado, as novelas gráficas do O Futuro do Árabe e Finalmente o Verão foram compradas com um mega desconto no cartão Bertrand, Os Três vieram com o desconto de aniversário da SDE e antologias de contos do John Skipp (de diversos autores bastante conhecidos) vieram por menos de 10€… o achado do mês na FNAC

E como se não bastasse tudo o que já vos mostrei, as editoras voltaram a mimar-me como ninguém e acabei por receber mais livros do que aqueles que seria humanamente possível ler num mês, mesmo em tempos áureos. 
Topseller – enviou-me o ARC de Peregrino, que me deixou bastante curiosa. 
Porto Editora – fez-me estrear com Sveva Modignani, autora cujo trabalho desconhecia e há muito queria experimentar. Sou uma privilegiada e tive direito não só ao ARC como ao original autografado para mim – muito bom! 
Individual – mandou-me o segundo livro da série The School for Good and Evil, que me parece um exemplar com uma edição cinco estrelas… só é pena eu não ter o primeiro livro da série para ler antes. 
Editorial Presença – daqui veio Estação Onze, um título que despertou de imediato a minha atenção e que agora, depois de lido, cumpriu efectivamente dentro do seu género. 
Planeta Manuscrito – sempre a tomar conta de mim, enviou-me as novidades do mês e lamento verdadeiramente ainda não ter tido tempo de lhes pegar. Uma Proposta Indecorosa de Jennifer Haymore, autora que quero muito voltar a ler, Saudade de Linda Holeman, A Minha Cor Preferida é Ver-te e A Casa de Hades de Rick Riordan são os novos habitantes da estante. 
Saída de Emergência – recebi um pedido há muito realizado. Finalmente vou ter oportunidade de mergulhar em O Império Final e, por acréscimo, vieram meninos igualmente muito desejados: O Homem do Castelo Alto, A Invenção das Asas, A Rainha Vermelha. Cada um melhor que outro, não concordam? 

O Mais Desejado

Não houve… era impossível escolher entre tantos livros e tão bons… 

Coisas Boas 
(Não, eu não colecciono só livros, mas também tudo o que está associado aos meus adorados.)


Os vossos olhos brilham tanto como os meus a olhar para estas coisas bonitas? Já sabem como sou com os marcadores e acho que o saque de Setembro foi particularmente bom. Os lápis que vêm têm o meu nome e não resisti a partilhá-los na imagem. Bonitos, não são?


Opiniões 

Pequenas Grandes Mentiras | Liane Moriarty (Opinião)
Half Wild - Entre o Humano e o Selvagem | Sally Green (Opinião)
Seconds | Bryan Lee O'Malley (Opinião)
Amor Por Encomenda | Catherine McKenzie (Opinião)
A Vinha do Anjo | Sveva Casati Modignani (Opinião)

Não são muitas, é um facto, mas algumas são bem sumarentas e outras tantas o suficiente para me oferecerem entretenimento de qualidade, como são disso exemplo o Half Wild e Amor Por Encomenda
Desilusão: A Vinha do Anjo. Esperava muito mais de uma autora com a fama da Sveva.  
Favorito: foram dois, Pequenas Grandes Mentiras, que vai directamente ao encontro do que eu procuro numa ficção e Seconds, que é provavelmente a melhor novela gráfica que li até hoje, tanto relativamente ao enredo como na arte – lindo! 

Sonhadora
(Sim sou, muito, e literariamente falando pior ainda!)


Fui, claro. O mês de Setembro já findou faz tempo e, claro está, excedi-me verdadeiramente nas expectativas. Acho que neste ponto em particular nem vale a pena estender-me nos comentários, como constaram um pouco abaixo. 

Mais Coisas

Já passaram, não é? Agora creio que só vale a pena comentar este tópico relativamente ao mês de Outubro mas uma coisa é certa, não faltaram passatempos e resultados, leitores felizes (ou pelo menos assim espero).

E agora, Outubro. 
Drama, tanto drama… mais um doloroso mês para o meu blogue. O mais doloroso, diria eu. Faltou-me tudo, o tempo e a disposição, mas em contrapartida a vontade de continuar com este espaço permanece e a prova disso é o novo visual, mais clean e direccionado para o que este cantinho representa – o meu lado sonhador, especialmente dedicado para a libertação das histórias no meu imaginário Elphaba. Mas avancemos…

Sonhos & Sobras

Nesta foto está o que eu sonhei para Outubro. (Antes)

Aqui podem ver o que ficou por concretizar. (Depois)

Li muito pouco, três livros, menos de um livro por semana e acho que nunca li tão pouco na minha vida desde que me lembro de ser gente a ler, igualmente, escrevi menos ainda, fiz apenas duas opiniões. Em meu abono, tenho o facto de o blogue ter estado fechado mas mesmo assim era espectável um pouco mais. Enfim, não vos vou mentir, tenho saído muito mais que o habitual para desanuviar, depois do trabalho, no entanto não creio que isso seja a única desculpa. Ando mais cansada quando paro em casa. Ponto. 


Tudo ao Molho 
(Nem tanto assim que por cá tratamos bem os livros.) 


Depois de em Setembro ter usado e abusado, em Outubro penso que me consegui controlar, mais ou menos. Aproveitei acima de tudo promoções, cometi uma loucura e o que me chegou de parcerias não foi solicitado, por isso acho que fui uma boa menina – parabéns para mim. Recordando... livros no móvel são aquisições minhas e os livros em cima da mala foram recebidos de parceria. 

Como sempre, aproveito uma vez mais para agradecer às editoras as oportunidades de leitura. 
Editorial Presença – chegou-me a prequela de Maze Runner, Vírus Mortal, série de que gostei e que é actualmente a minha leitura. 
Penguin Random House – daqui recebi 4 livros bastante diferentes e inesperados. O middle grade O Clube dos Ténis Vermelhos, que não sei de leio ou deixo para passatempo no Natal, Vira a Página, uma edição muito gira e original, em particular para leitores de coração partido, Pura Coincidência, que quero imenso ler, e Fala-me de Um Dia Perfeito parece o meu estilo de leitura. Acho que vou ler os últimos dois em breve. 

Quanto a comprinhas, os livros em inglês, Daughter of Deep Silence e The Archived estavam na wish há algum tempo e apanhei-os com um grande desconto – não chegaram aos 11 € cada um. E aproveitem uma promoção a Fnac para trazer os muito desejados O Deus das Moscas e A Imperatriz da Russia, gastei 30 € e pouco mas acumulei 15 € cartão – pareceu-me bem. Ali no meio está ainda a BD mais fixe de sempre em hardcover, The Wnderful Wizard of OZ, e o livro de pintar mais original de Zombies. 


O Mais Desejado


Esqueci-me de o fotografar como deve se ser mas, recentemente, tirei uma foto do interior deste livro para mostrar a uma amiga pela web a arte, espero que não se importem de ser esta a imagem que tenho para partilhar convosco. Este livro é lindo e faz parte da colecção de BD da Marvel dedicada aos clássicos que eu quero fazer. Será o primeiro de muitos mas, contudo, será uma colecção lenta de fazer. Estes livros são caríssimos. 


Coisas Boas 
(Não, eu não colecciono só livros, mas também tudo o que está associado aos meus adorados.)


Os marcadores não são muitos mas só os do Book Depository compensam – acho que desta é que tenho a colecção deles terminada e é cada um mais bonito que o outro. Na imagem está ainda um saco muito lindo, alusivo à leitura, que a minha mãe me ofereceu para a minha colecção, bem como a nova BANG!, lápis da Dom Quixote e ainda um marcador com íman do Algarve (mais uma mini-prenda que adorei). Só coisas lindas, confere. 


Opiniões 

A Cascata do Amor | Lauren Kate (Opinião)
Peregrino | Terru Hayes (Opinião)


Foram apenas duas, acho que nunca foram tão poucas, e estão em extremos na qualidade. O livro da Lauren Kate foi uma desilusão e Peregrino foi uma surpresa maravilhosa. Sem dúvida um dos melhores livros que li este ano. 


Sonhadora
(Sim sou, muito, e literariamente falando pior ainda!)


E lá vamos nós outra vez… Para quem desconhece a rubrica, os livros em baixo são os por opinar e os em cima da mala os que quero ler.
A verdade é que este mês quero mesmo opinar tudo o que conseguir terminar de ler – os 8 escolhidos seria o ideal – e vocês sabem que tenho mais opiniões por fazer do que aquelas que vos mostro, logo ambiciono mesmo escrever sobre todos os livros que estão em cima do móvel. Se acho que vou conseguir, claro que sim, tenho mesmo de pensar positivo se não começo a desesperar. 

Mais Coisas

O blogue mudou e algumas das razões para tal, bem como a minha felicidade, estão espelhados neste post aqui

O Dia das Bruxas, também conhecido como Halloween, teve lugar no último dia de Outubro e a Elphaba deixou mazinha mensagem da praxe – aqui

Está no ar um passatempo, até dia 14, com o apoio Editorial Presença, em que podem e devem participar – aqui.  


E foram finalmente publicados os resultados de aniversário em atraso, que podem encontrar nos links abaixo: 
Resultado, A Menina Sem NomeAqui
Resultado, Os sonhos que TecemosAqui
Resultado, A Alquimista das Cores Aqui
Resultado, duologia da Lauren KateAqui.
Resultado, A Princesa Azul e a Felicidade EscondidaAqui.
Resultado, FrankensteinAqui.
Resultado, Younger – Mais Uma OportunidadeAqui.
Resultado, trilogia Wayward PinesAqui.
Resultado, Três Semana com o Meu IrmãoAqui.
Resultado, A Eterna DemandaAqui.

Em Suma

Enfim, posso não ter lido nem escrito muito, mas este foi definitivamente o mês em que limpei e arrumei a casa, com os passatempos finalmente organizados e o blogue todo catita outra vez. 
Espero, sinceramente, não voltar a ter um mês tão mau como este. Não voltar a sentir o desespero de ter tudo em atraso, incluindo a vontade de ler e não ter força anímica para o fazer mas, como sempre, só posso prometer dar o meu melhor. Mesmo que as coisas andem com um ou dois dias de atraso quanto às datas que prevejo, pelo menos no final do mês quero sentir que dei o meu melhor, coisa que em Outubro não consegui. 

Como miminho final, deixo-vos uma imagem da minha pilha de leituras na mesa-de-cabeceira; tento torna-la atractiva para me puxar para a leitura. Há por aí leitores que fazem o mesmo? 


Votos de um mês de Novembro excelente e... 
Boas leituras*


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Com o maravilhoso apoio da Editorial Presença, hoje começa um novo passatempo para os fãs de literatura fantástica. 


Para sorteio, está disponível um exemplar do livro A Chave do Céu – Endgame 2 de James Frey e Nils Johnson-Shelton – a segunda parte de uma história original que é, simultaneamente, um jogo de vida ou morte.

Para se habilitarem a este exemplar, terão unicamente de responder às fáceis questões abaixo colocadas, ter atenção as regras de participação e ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
A partilha do link nas redes sociais não é obrigatória, mas fico grata se o fizerem.

Descubra a sua resposta aqui no Blogue ou em Editorial Presença.

Boas leituras*

Para mais informações sobre o livro A Chave do Céu – Endgame 2, clique aqui.
Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 14 de Novembro de 2015 (domingo).
2. Só é possível uma participação por pessoa e e-mail.
4. Ser seguidor do blogue e/ou fazer GOSTO na página do Facebook do blogue.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
5. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
6. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
7. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
8. Boa Sorte!



Redes Sociais

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Até 13/08!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo 1 - Resultado!

*Marcador*

*Marcador*
Passatempo 2 - Resultado!

*Clube do Autor*

*Clube do Autor*
Passatempo 3 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 4 - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo 5 - Resultado!

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo 6 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 7 - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide