Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Sinopse:
Antes de ser Merlin, ele era apenas um menino, sem terra, sem memória, sem nome. Um mar tempestuoso lançara-o para as costas escarpadas do país de Gales, juntamente com uma mulher de extraordinária beleza que dizia ser sua mãe. Cinco anos mais tarde, estão a viver juntos numa aldeia, mas o rapaz sonha descobrir a verdade sobre si próprio e sobre os seus estranhos poderes, e parte em busca das suas origens.
Chega a uma ilha, Fincarya, que se assemelha ao paraíso na Terra, mas rapidamente se apercebe de que uma entidade maléfica, em conluio com o rei da ilha, Stangmar, ameaça destruí-la. Sem saber que Fincarya é a sua terra e Stangmar seu pai, o jovem empenha-se na salvação da ilha e do seu povo e, com a ajuda de um grupo de novos amigos - um pequeno falcão; Rhia, uma rapariga que fala com as árvores; e Shim, um gigante que tem o tamanho de um anão -, tenta entrar no castelo rodopiante do rei, enfrentando perigos inimagináveis.

Para todos aqueles que sempre tiveram curiosidade a respeito do mago mais famoso de todos os tempos, T. A. Barron idealizou uma narrativa que remete o leitor para a infância desta maravilhosa personagem num universo fervilhante em criaturas mágicas, com aventuras emocionantes em cenários extraordinários, que agradará a todos os leitores jovens de fantasia épica.

Com uma nota de autor interessante que oferece a quem lê a possibilidade de conhecer a perspectiva do escritor perante a sua obra, esta história inicia-se muito antes de o pequeno protagonista sonhar com tudo o que viria a ser, muito antes de ele sonhar sobre a sua verdadeira identidade. Curiosamente, é na procura de respostas a perguntas que o próprio Emrys ainda desconhece que tem início a demanda desde jovem, uma demanda que desafiará tudo o que este sempre temeu, a magia, e que será repleta de aprendizagens, encanto e descobertas, numa ilha fantástica que lhe ensinará preciosas lições sobre afectos e a amizade.

No que respeita a personagens principais estas são bastante jovens, o protagonista e uma das personagens de maior destaque têm aproximadamente 12 anos. Dito isto, nem sempre são coerentes na medida em que estão em permanente evolução na busca por autoconhecimento… são crianças. Ainda assim, os primeiros traços de coragem e perseverança vão surgindo com o decorrer do texto, acompanhados por uma curiosidade que é própria dos mais miúdos, bem como um espírito sonhador, vivo e real na fantasia, traços presentes tanto em Rhia como em Emrys.
Gostei muito de Shim, o gigante com tamanho de anão, medroso mas com grande coração, que proporcionou momentos muito divertidos, e de Branwen que espero voltar a reencontrar no próprio livro desta série.

Este título encontra-se dividido em três partes muito distintas que definem fases do protagonista, assim como da sua jornada, com obstáculos que este terá de ultrapassar.
Na primeira parte, gostei particularmente das poucas informações que são fornecidas sobre a Idade Média, permitindo visualizar a pluralidade cultural do século VI. Já na segunda parte adorei a deliciosa entrada na Ilha de Fincarya e a forma como são dadas a conhecer as singularidades deste lugar mágico, que prima por cenários e ambientes extraordinários, e na última parte foi interessante o desfecho para procura inicial, num ambiente mais sombrio e pesado, de acordo com as informações e responsabilidades adquiridas pelos intervenientes.


A maior qualidade de T. A. Barron para mim está na sua imaginação, na forma como descreve e cria a Ilha de Fincarya, e como a liga a mitos e histórias certamente conhecidas de leitores mais adultos – chega mesmo a citar personagens importantes da Idade Média. A sua escrita é apropriada para os mais novos, o público-alvo do livro, pelo que nada tenho a apontar, quer aos diálogos quer ao ambiente que é dado a ver.

Em suma, é um livro de leitura breve para quem gosta de aventuras fantásticas que, confesso, me encheria as medidas se eu fosse uns anos mais nova. Como não sou, gostei mas não fiquei fascinada, no entanto sou curiosa no que diz respeito a universos mágicos e vou querer saber o que se segue na próxima etapa deste mundo de criaturas estranhas e próximas da natureza, criaturas humanas e não-humanas que exploram valores importantes em qualquer idade.

Esta é uma aposta Editorial Presença que eu recomendo a adolescentes em particular, mas também a todos os que queiram conhecer uma perspectiva imaginativa, fértil e, até, inocente, de um passado nunca explorado de Merlin.


Título: Merlin – Os Anos Perdidos
Autor: T. A. Barron
Género: Middle Grade; Fantasia Épica
Editora: Editorial Presença



0 comentários :

Redes Sociais

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Até 23 de Junho!

Editorial Presença*

Editorial Presença*
Passatempo - Resultado em breve!

*Passatempo*

*Passatempo*
Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide