Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

terça-feira, 30 de julho de 2013

Sinopse:
E se a única forma de salvar quem amas fosse sacrificar a tua própria vida?
Prestes a tornar-se Rainha, Wendy enfrenta uma escolha impossível. Para conseguir salvar o seu reino terá de se sacrificar a si própria. Conseguirá ela escapar ao destino? A vida de Wendy está prestes a mudar para sempre. Dentro de alguns dias, quando fizer 18 anos, vai casar-se com um homem que não ama e tornar-se rainha dos trylle. E parece inevitável entrar em guerra contra o próprio pai, o maléfico rei dos vittra. Wendy enfrenta a mais difícil escolha da sua vida. A única forma de salvar os trylle dos seus inimigos mortais é sacrificando-se a si própria e entregar-se como prémio ao pai. Mas como poderá ela abandonar as pessoas que ama, mesmo quando essa é a única maneira de as salvar? Como se tudo isto não bastasse, Loki, o vittra que ajudou Wendy a fugir do rei Oren, vem pedir-lhe asilo. O seu súbito aparecimento faz despertar novamente a paixão que os une. A sua vida amorosa complica-se ainda mais, pois Finn, o seu leal guarda-costas, não parece disposto a abrir mão dela. Nunca tanto esteve em jogo e Wendy, apaixonada por Finn e por Loki, vai ter de se decidir...

Adoro terminar uma trilogia e sentir que finalmente todas as peças de um puzzle, construído ao longo de centenas de páginas, se encaixam na perfeição revelando o verdadeiro valor da sua a história. Claro que nem sempre os finais são bem construídos, mas não é o caso. 
A trilogia Trylle, que de início me deixou reticente, mostrou ser uma grande aposta para os adeptos de fantasia YA, para jovens adultos, cumprindo todas as promessas e explorando todo o potencial das suas peculiares criaturas, trolls, que por detrás de uma figura quase tacanha escondem uma beleza encantatória, com uma historicidade apelativa e repleta de magia. Em Rainha percebemos, enfim, aquilo que começou a transparecer no livro anterior e todo o esplendor desta narrativa fantástica destapa, definitivamente, os merecidos louros que Amanda Hocking conquistou.

Se em Trocada me senti ludibriada por muitas possibilidades por explorar e imensas questões em aberto, recordo-me que quando terminei Dividida fiquei com a certeza de que tinha feito a escolha certa apostando nesta ficção diferente, que expõe numa raça que tinha aprendido a detestar - devido às muitas intrigas de corte, aos desamores complexos e aos riscos trazidos pelo aparecimento dos vittra, uma outra vertente dos trolls.
Embora não possa falar-vos das conclusões escolhidas por Amanda para o triângulo amoroso Wendy, Loki e Finn, e muito menos dizer-vos como ficou esta guerra que ameaçava divulgar as criaturas mágicas aos humanos, manks ou não, posso no entanto revelar-vos que estou muito contente com os caminhos escolhidos e com o amadurecimento geral de todos os intervenientes, ainda menores quando nos foram apresentados, agora soberanos de um segredo que deve ser guardado para todo o sempre.

Das muitas personagens que se rebelaram e, mais tarde, agradaram ou desiludiram, Wendy é quem mais se destaca pela figura de poder que acaba por representar. Para quem nada sabia deste universo e que, à mesma velocidade que o leitor, se vai enquadrando no lugar a que pertence, são perfeitamente aceitáveis as suas reticências e dilemas constantes, explosões emocionais ou gestos gelados, de quem acaba por conquistar mais responsabilidade do que deveria, algum dia, ambicionar.
Outra personagem que merece destaque é Loki, um vittra que se apresentou misterioso e que, quase até ao final, tente a revelar emoções dúbias. Ainda assim, para mim, ele é o típico cavaleiro que eu gostaria de apreciar na minha adolescência e creio que fará as delícias das jovens leitoras. Já Finn, por seu lado, sempre foi um interveniente que despertou em mim antipatia e embora, no final, este tenha finalmente despertado para uma realidade além do seu egocentrismo, julgo que o papel que lhe destinado, ainda que acertado, não foi merecido.

Para lá dos protagonistas do triângulo amoroso, personagens com Tove, os amigos do círculo íntimo de Wendy e Elora, desempenham funções cruciais e proporcionam momentos fascinantes, apelando a um lado mais sombrio da fantasia mas essencial para vencer o cliché das histórias de encantar. Pelo que o leitor deverá ter presente que em qualquer história existem perdas e ganhos, deverá ter presente que neste terceiro livro são quase tantos os que se conquistam como os que se perdem - como em qualquer texto que se esforce para que prevaleça o equilibro entre o bem e o mal.

Quem ousar arriscar terminar ou começar esta trilogia, poderá contar com muitas revelações no Reino dos Trylle, através dos cenários mágicos e das faculdades extraordinárias pontuam todas as páginas, entrelaçadas de forma criativa com a nossa realidade.
As batalhas e as disputas, sejam verbais, psicológicas ou físicas, continuam a ser uma constante e foram aquilo que mais me atraiu durante toda a leitura, em particular neste terceiro livro em que reinou a acção e a aventura, os riscos e, até, momentos de paixão - Amanda não se privou de transpor para uma ficção juvenil aquilo que qualquer jovem de 18 anos, repleto de hormonas, seria capaz de realizar.


Muitas surpresas são reveladas logo a partir das primeiras páginas, atendendo ao facto de acção se desenrolar no momento imediato em que Dividida terminou, e é importante para mim assegurar-vos que todas as questões anteriormente colocadas terão finalmente resposta no momento certo, ainda assim, confesso, que eu tenha sentido que os assuntos emocionais obrigaram a uma resolução demasiado rápida para quem se afeiçoar aos intervenientes e tenha vontade de descobrir um pouco mais.

Como citei em opiniões anteriores, a escrita de Amanda Hocking é extremamente agradável e apelativa, proporcionando uma leitura quase sôfrega, algo que alia a uma imaginação fértil com resultados bem conseguidos.
As suas descrições, embora breves, continuam a ser cuidadas em relação ao maravilhoso e, neste fim, consegui até a ligação com as personagens que tanto tinha procurado nos livros anteriores.

Em suma, um livro que sugiro a qualquer leitor de fantasia que procure algo leve para se entreter, com a certeza que a determinado momento acabará certamente por se admirar com o talento desta autora e com as suas singulares personagens.
Eu, pelo menos, gostei mesmo do resultado final da saga Trylle que se faz acompanhar, evidentemente, por uma capa maravilhosa tal como os seus antecedentes.

Esta é uma excelente aposta da ASA que está de parabéns pela diversificação, por oferecer a muitos leitores menos experientes a oportunidade de embarcar em mais um universo fantástico que os levará para além da imaginação.



Trocada (Opinião)
Dividida (Opinião)



Título: Rainha
Autora Amanda Hocking
Género: Fantasia; YA; Romance
Editora: ASA - Adquirir AQUI




Título: A Herdeira Acidental
Autor: Vikas Swarup
N.º Páginas: 400
PVP: 17,50 €
ISBN: 9789892323923
Adquirir – AQUI

Sinopse:
A jovem Sapna está destroçada. Obrigada a abandonar a universidade para se dedicar a um emprego medíocre como vendedora de eletrodomésticos em Nova Deli, ela é agora a única responsável pelo sustento da mãe doente e da fútil irmã mais nova. Mesmo para um coração otimista como o seu, é cada vez mais difícil acreditar num futuro melhor... até que um dia, quando o seu desespero é absoluto, algo insólito acontece: um milionário excêntrico quer fazer dela sua herdeira. Sapna pode vir a receber mais dinheiro do que alguma vez sonhou e, com ele, mudar a sua vida e a de todos os que ama. Em troca, terá "apenas" de superar os sete testes do "livro da vida". Sete testes sobre os quais o seu estranho benfeitor mantém segredo absoluto. Assim começa uma viagem rocambolesca que vai testar o seu caráter, a sua coragem e o seu coração. Pelo caminho, conhece pessoas inesquecíveis. De um casal de noivos em fuga a um sex symbol de Bollywood ou a uma insuspeita cleptomaníaca, todos vão, de alguma forma, transformá-la. E quando se depara com o sétimo e último teste - aquele para o qual a vida não a preparara -, Sapna questiona até que ponto será capaz de se sacrificar por um sonho.

Vikas Swarup, autor de Quem Quer Ser Bilionário? - que inspirou o filme vencedor de oito Óscares e quatro Globos de Ouro - está de volta com uma história hilariante e dramática, terna e cruel, como o seu próprio país. Tanto a Índia como a sua heroína estão presas entre tradição e modernidade neste romance que nos leva questionar os nossos próprios sonhos e limites.

Leia as primeiras páginas AQUI


Sobre o autor:
Vikas Swarup nasceu em Allahabad, na Índia, no seio de uma família ilustre. Frequentou a Universidade de Allahabad, onde se destacou como campeão de debates, vencendo diversas competições a nível nacional. Após a conclusão do curso, seguiu uma carreira diplomática, tendo sido destacado para países como os Estados Unidos, a Turquia, a Etiópia e o Reino Unido e a África do Sul. Vive atualmente no Japão, onde é cônsul-geral da Índia.

Saiba mais em: Chocolate para a Alma




Deslumbrante é o primeiro volume da série As Flores Mais Raras
Mais uma apaixonante e sensual saga histórica pela mão da Rainha do Romance.

Título: Deslumbrante
Autora: Madeline Hunter
N.º Páginas: 320
PVP: 16,90 €
ISBN: 9789892323725
Adquirir – AQUI
Em eBook – AQUI

Sinopse:
Numa época em que a reputação de uma mulher é o seu bem mais precioso, Audrianna desafia todas as convenções. Ela é uma jovem determinada, independente... e disposta a tudo para aniquilar o seu adversário, o altivo Lord Sebastian Sommerhayes. A uni-los está um homem: o pai de Audrianna, que morreu envolto nas malhas de uma conspiração. Para Audrianna, essa tragédia significou o fim da sua inocência. Para Sebastian, que liderou a investigação, foi apenas uma morte merecida. Audrianna jurou limpar o nome do pai, mas nunca esperou sentir um desejo tão avassalador pelo homem que o arrasou. A busca pela verdade vai levá-la demasiado longe numa sociedade que é implacável perante a ousadia feminina. Ao ver-se mergulhada num escândalo que pode ser-lhe fatal, Audrianna tem apenas uma inconcebível opção...  

Leia as primeiras páginas - AQUI


Sobre a autora:
Madeline Hunter publicou o seu primeiro romance em 2000. Escreveu já vinte romances históricos e ganhou por duas vezes o prémio RITA, da Romance Writers of America, com Stealing Heaven em 2003 e Lessons of Desire em 2008. Quase todos os seus livros figuraram na lista dos mais vendidos do USA Today e é uma das autoras favoritas da publicação Romantic Times. As suas obras encontram-se traduzidas para doze línguas, tendo vendido seis milhões de exemplares. Para além de Os Pecados de Lord Easterbrook, no catálogo da ASA figuram já os seus romances As Regras da Sedução, Jogos de Sedução e Casamento de Conveniência, entre outros. Doutorada em História de Arte, dá aulas numa universidade.

Saiba mais em: Chocolate para a Alma


segunda-feira, 29 de julho de 2013
Com o fantástico apoio da ASA, chegou ao fim mais um maravilhoso passatempo aqui no blogue.

Para sorteio encontrava-se um exemplar do livro Direitos de Sangue da autora Kristen Painter. O primeiro livro de uma série paranormal que eu adoro.

Excepcionalmente, aproveito para fazer uma chamada de atenção para o cuidado no preenchimento dos dados – vi-me obrigada a anular várias participações por estarem incompletas ou devido ao número sorteado não se encontrar entre dos seguidores do blogue ou Facebook.

Gostaria de agradecer a todos pelas vossas participações. E se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve.


Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*76 - Sara (…) Vieira - Nick: Fénix

Os meus sinceros parabéns ao vencedor/a, espero que usufrua de uma excelente leitura.

E os meus sinceros agradecimentos à ASA, por me proporcionar mais este passatempo.


Boas leituras©


Quem se recorda do desafio Arco-Íris (aqui)?

Confesso que este ano os desafios e objectivos que defini para mim não estão a correr muito bem, mas creio que antes do final do ano, a data limite, conseguirei pelo menos terminar este.
Queria ter feito esta actualização anteriormente, mas aqui ficam as leituras/opiniões até ao momento:



Vermelho: Maximum Ride - Adeus à Escola | James Patterson
Laranja: Que a Festa Comece | Niccoló Ammaniti
Amarelo: Os Guerreiros do Arco-Íris | Andrea Hirata (Opinião)
Verde: A Marca das Runas | Joanne Harris
Azul: Menina de Ouro | Chris Cleave (Opinião)
Índigo: Sussurros Ousados | Emma Wildes (Opinião)
Violeta: Peripécias do Coração | Julia Quinn (Opinião)

Estão curiosos para descobrir alguma destas cores?
Boas leituras ©

domingo, 28 de julho de 2013
Sinopse:
Numa aldeia vizinha da cidade de Visão ninguém conhece o sabor da mágoa e da angústia, mas essa comunidade, aparentemente idílica, esconde um segredo tenebroso. Quando era pequena, Nalah não percebia porque a mandavam levar um bolo à menina muda a quem chamavam «A Voz» sempre que se sentia mal. Sabia apenas que isso a ajudava a melhorar. Já crescida, desvenda esse mistério e anseia por fugir da aldeia opressiva onde sempre viveu. Só depois de visitar a cidade de Visão e de conhecer o Templo das Mágoas, compreende o que tem de fazer para se libertar…

Até nos mais pequenos textos Anne Bishop expressa a intensidade que a caracteriza. E se sou uma leitora suspeita por ser sua adoradora, não o sou certamente no traço perverso que a comunidade apresentada em A Voz espelha, não o sou na bondade de algumas das suas personagens com violentos anseios do coração e, menos ainda, no ritmo que se impôs, quase encantatório, que me prendeu até à última frase da sua escrita.

Inocência. É com a leveza pueril dos pensamentos de Nalah, enquanto criança, que começa a nossa narrativa e é, igualmente, com ingenuidade dos 10 anos de idade que esta personagem se apercebe que algo estava mal na sua terra sem lágrimas. Mais tarde, no entanto, quando os receios da infância são apenas uma recordação e a realidade se adivinha bem mais crua do que antes, Nalah soube que ou ela ou o seu mundo teriam de mudar e uma viagem mudou tudo, uma viagem que a fez compreender que para sobreviver tinha de tentar resgatar quem poderia salvar.

Sendo esta uma short story pertencente à trilogia o Mundo de Efémera é essencial para quem, como eu, vai ou está mergulhar no título Ponte de Sonhos, o último da sobre esta terra de luz e escuridão, conceito que se repudia, complementa e equilibra, que está bem presente neste pequeno texto.
Não vos posso contar muito, mesmo sobre as personagens, que conhecerão melhor no terceiro livro, mas posso, ainda assim, falar-vos um pouco da jovem Nalah, da Voz e do muito que a cidade de Visão poderá ter oferecer, em contradição ao inferno mascarado de paraíso de onde provém a protagonista.

Forte, astuta e pouco convencional, Nalah revela ao longo do seu crescimento uma percepção do lugar em que vive diferente dos restantes habitantes, isto porque a sua curiosidade e, mais importante ainda, a sua sensibilidade face ao mal não lhe permitem fechar os olhos a uma mulher muda e órfã que que se alimenta das dores e do sangue que a comunidade não expressa. Mais tarde, quando são demasiadas as verdades que percepciona, e após conhecer um templo para consolar a mágoa que se recusou a partilhar, é pela coragem que o leitor recorda Nalah que, certamente, nunca mais será encarada como apenas mais um interveniente de Bishop.

A Voz, como personagem muda, é um sufoco desde o primeiro momento que nos prende atenção, e ao qual ninguém ficará indiferente. Ela é aquela em torno da qual giram todas palavras por dizer, sentenças e emoções de dor e de angústia, silêncios e mais silêncios que tudo permitem antever, para quem tem a infelicidade de todo mundo para esconder. É uma prisioneira da escuridão ansiosa pela luz, é isso que ela é.


Mas esta pequena história não é um negrume absoluto, esta é uma história escrita pela mestra das sombras e, portanto, para lá de todos os horrores ocultados - às mãos dos que detém o poder, às mãos dos que se reflectem nas almas mais fracas circundantes -, está presente o amor e a amizade, ligeiros cheiros doces que nos ajudam a combater tudo o resto, cheiros que se propagaram com o conhecimento da existência de Visão, um lugar onde se encontra apenas o que se consegue ver e, felizmente, Nalah não consegue olhar mais para o lugar onde sempre viveu.

Embora este pequeno livro não reflicta todo o potencial de Anne Bishop, não será uma desilusão para os seus fãs, que rapidamente se sentiram acolhidos pelas sua sublime narrativa, através de descrições cuidadas e de um jogo de palavras excepcional como só a rainha do dark fantasy tem para oferecer.

Eu confesso que já estou a mais de meio do livro Ponte de Sonhos e estou a amar cada momento com aquela que é uma das minhas autoras favoritas, aquela que me proporciona sempre o melhor que se pode pedir numa viagem entre páginas.

Esta é uma aposta Saída de Emergência que eu recomendo a todos os leitores de fantasia mas, obviamente, em particular para os fãs de Anne Bishop curiosos pelo Mundo de Efémera e, obrigatoriamente, para quem lê ou leu esta trilogia.

Mundo de Efémera


Sebastian (Opinião) - Livro 1
Belladonna (Opinião) Livro 2

Título: A Voz
Autora: Anne Bishop
Género: Fantasia, Horror
Editora: Saída de Emergência



A história oficial do filme épico After Earth.

Título: After Earth - Depois da Terra 
Autor: Peter David
N.º Páginas: 240
PVP: 16,96 €
ISBN: 9789896375256

Sinopse:
O general Cypher Raige, do Corpo Unificado de Patrulheiros, é apenas o último de uma longa linhagem de heróis. Durante mil anos, desde que o apocalipse ambiental dominou a Terra, os Raige foram um instrumento fundamental para a sobrevivência da humanidade. Lideraram o caminho quando os sobreviventes foram forçados a abandonar a Terra, instalaram-se num planeta inóspito ao qual chamaram Nova Prime, enfrentaram a chacina por parte de uma misteriosa força alienígena e estabeleceram um novo lar na ponta mais longínqua da galáxia.
Cypher acabou de regressar para junto da família após uma prolongada missão no exterior. Para o seu filho de treze anos, Kitai, acompanhar o lendário pai é a aventura de uma vida – e uma oportunidade para salvar a relação deles.
Mas, quando um asteroide colide com a nave deles, despenham-se e Cypher fica seriamente ferido, correndo risco de vida. Kitai Raige sempre quis provar que estava à altura de conviver com um apelido tão ilustre. E agora, talvez cedo de mais, terá a sua oportunidade. Com a vida do pai em risco, Kitai tem de se aventurar em terreno desconhecido e hostil num novo mundo que parece estranhamente familiar: a Terra.

Sobre o autor:
Os seus romances incluem, a nível de literatura fantástica, Tigerheart, Sir Apropos of Nothing, The Woad to Wuin, Knight Life, e a original história de lobisomens Howling Mad. É conhecido por ter escrito alguns dos romances originais de O Caminho das Estrelas, a Geração Seguinte, incluindo Imzadi e A Rock and a Hard Place, assim como os romances oficiais dos filmes Battleship – Batalha Naval, Transformers, Homem de Ferro, Homem-Aranha e O Incrível Hulk. Escreveu para quase todos os livros de comics de super-heróis, incluindo o Capitão Marvel, Homem-Aranha e o futurista Homem-Aranha 2099, assim como o argumento da bem-sucedida adaptação gráfica de Gunslinger Born, da série Dark Tower, do conceituado Stephen King. Colaborou com J. Michael Straczynski nos romances e comics de Babylon 5 e com Bill Mumy criou a série televisiva da Nickelodeon Space Cases. No seu tempo livre, David escreve argumentos de filmes, livros para crianças e argumentos televisivos.

Saiba mais em: Saída de Emergência



Onde acaba a realidade? Onde começa a ficção? Saiba todos os segredos da vida de Dante. O criador da obra mais épica de todos os tempos..

Título: Inferno e Paraíso
Autor: Peter S. Hawkins
N.º Páginas: 240
PVP: 15,98 €
ISBN: 9789896375416

Sinopse:
Durante mais de sete séculos, Dante e a sua obra-prima, A Divina Comédia, ocuparam uma posição especial na cultura ocidental. O poema é simultaneamente uma viagem vívida através do Inferno até alcançar o Paraíso, uma tocante história de amor e um retrato do relacionamento da humanidade com Deus. É tão ricamente imaginativo que uma primeira leitura poderá ser avassaladora. Em resposta, Peter Hawkins escreveu uma introdução inspirada ao poeta, à sua maior obra e à sua influência continuada. O seu conhecimento de Dante e o entusiasmo sentido pela sua visão tornam-no um guia exímio para o leitor interessado.

«Peter Hawkins desvenda Dante como autor e como pessoa. Não só o faz com uma erudição impecável, mas também com emoção, senso comum e empatia – tudo através de uma prosa tremendamente clara.» - Matthew Pearl, autor de O clube de Dante


Sobre o autor:
Peter S. Hawkins é professor de Religião na Universidade de Boston, onde dirige o Luce Program in Scripture and Literary Arts. As suas publicações incluem Dante's Testaments: Essays on Scriptural Imagination (1999), The Poets' Dante: Twentieth-Century Reflections (editado com Rachel Jacoff, 2000) e The Language of Grace (2005).

Saiba mais em: Saída de Emergência


sábado, 27 de julho de 2013
Sinopse:
Com flores magníficas, acepipes deliciosos e momentos inesquecíveis, Nora Roberts partilha a viagem emocional e mágica de uma mulher rumo à paixão.
Quando eram crianças, as quatro amigas Mackensie, Emma, Laurel e Parker, passavam horas a imaginar como seria um dia de casamento perfeito. Anos mais tarde, as suas fantasias tornam-se realidade, mas de uma forma que não esperavam: criaram uma empresa de organização de casamentos e realizam os sonhos de outras mulheres.
Em Um dia Perfeito, ficamos a conhecer Mackensie Elliot, uma fotógrafa bonita e independente, que adora captar os momentos felizes e únicos que descobre nos casamentos. Mas tanta felicidade ao seu redor por vezes recorda-lhe um passado de amargura e que quer deixar para trás.
Quando conhece Carter Maguire, irmão de uma noiva, sente que um inofensivo flirt pode ser mesmo aquilo que precisa para tirar a cabeça de tantos casamentos. O que não esperava era que o coração lhe pregasse uma rasteira e exigisse algo que ela julgava impensável... Poderá Mackensie descobrir o caminho para a felicidade e rumar, um dia, ao altar?

Terminada mais uma leitura de Nora Roberts, questiono-me - pela última vez, prometo -, como é que durante tanto tempo os seus livros não me despertaram a atenção e, sinceramente, não consigo encontrar uma justificação, apenas uma certeza, a de que doravante isso não voltará a acontecer, pois não descansarei enquanto, a pouco e pouco, não enriquecer a minha colecção com as suas palavras.

Romântico, leve e divertido, Um Dia Perfeito é o protótipo de páginas assertivas para quem procura simplesmente relaxar e descontrair na companhia de um enredo interessante, com personagens inteligentes e que se encontram à beira de sucumbirem aos dilemas do coração, ou este não fosse o romance em todo o seu esplendor.

Mac, Emma, Laurel e Parker são as melhores amigas de sempre e, desde que se lembram, que brincam aos casamentos como quem brinca às bonecas. Cresceram, e com o amadurecimento os problemas trouxeram-lhes a garra para concretizar um sonho que, na actualidade, tem o nome de Votos - uma empresa que realiza sonhos, que realiza casamentos.
Entre pétalas, flashes, doces e muito trabalho, tudo isto envolvido em suor e amor, continua no entanto a faltar um par a cada uma destas magníficas mulheres e quem mais sofre neste momento, em cada instantâneo, quando vê reflectidos todos os sorrisos menos o seu, é Mac, uma mulher que espelha segurança no trabalho mas que se encontra à deriva pela mágoa de não conseguir ser feliz.
Quando se vê obrigado a acompanhar a irmã para uma reunião a respeito do seu casamento, Carter surpreende-se ao reencontrar em Mac uma paixão da juventude, e embora tudo tenha mudado desde então, nas curvas e contracurvas dos seus percursos, tanto este professor como a bela fotógrafa sentem de imediato uma atracção, que segundo Mac terá de ser evitada, que segundo Carter é a oportunidade para ser feliz.

Como devem ter percebido, este livro é o primeiro da série Quarteto de Noivas, em que cada título é dedicado a uma das quatro amigas, e nesta narrativa temos a oportunidade de explorar Mackensie profundamente, assim como o seu par romântico Carter - penso que Nora não poderia ter começado melhor forma a sua história.
Mac é uma personagem intensa e penso que muitas serão as leitoras que se irão identificar com a sua postura defensiva face ao seu passado mal-amado. Amante do seu trabalho e esposa das suas amigas falta-lhe, no entanto, descobrir a mulher que existe dentro de si, algo que só encontrará ao lado de um homem que a compreenda -  é  muito interessante ver o seu crescimento emocional, enquanto vence o seu feitio retorcido e as batalhas pendentes do seu passado.
Eu adorei Carter, adorei mesmo. Fora do comum, este protagonista começou por me conquistar enquanto professor de literatura e, mais tarde, por vencer a sua timidez e encontrar a persistência necessária para alcançar a mulher que deseja.
Como casal - óbvio desde início, pelo que não creio estar a cometer um spoiler -, eles são opostos que se equilibram e têm uma credibilidade evidenciada pelos muitos erros que comentem um com o outro e para com a vida, são um tanto inocentes, é um facto, mas também são muito divertidos em conjunto ou de forma singular.

Como em todo o bom romance, existe lugar para algum drama providenciado por personagens secundárias, mas vou abster-me de especificar porque acho que vos dará gozo descobrir. Posso no entanto falar-vos um pouco de Emma, Laurel e Parker, as próximas protagonistas da série, que permitiram antever um pouco dos traços que as caracterizam a nível de personalidade, bem como em relação ao seu trabalho na Votos.
Estou muito curiosa para descobrir a Laurel em particular, uma que é responsável por alimentar os corações alheios, mas muito pouco permitiu saborear sobre si própria, já Emma permitiu espreitar a fragilidade de uma flor com receio de florescer e Parker, por sua vez, um pulso forte para comandar e organizar o que a rodeia, enquanto os seus sentimentos estão longe de ser arquivados. As quatro mulheres permitem, igualmente, uma pequena homenagem ao feminino por parte de Nora, o que se verifica através da paixão com que se empenham na Votos e no laço que as une, elas são um pequena força da natureza, repleta de afectividade e que demonstra o verdadeiro valor da amizade.

Para quem procura um pouco mais de substância num texto, para lá do campo sentimental, é curioso analisar as questões relacionadas com uma família disfuncional, assim como o trabalho de Mac, que nos oferece inúmeras peculiaridades para quem gosta de fotografia. A visão do seu universo é credível e consente, oferecendo uma perspectiva interessante sobre cada retrato, o registar de momentos únicos para que perdurarem quando, quiçá, a vida pregue uma partida e reste apenas o olhar para esta forma de arte. É muito bonito. E igualmente bonita é a Votos, existe tanto amor e tanto cuidado nesta empresa que é quase como uma quinta personagem principal  uma distribuidora de alegrias, emoções e que confere muita acção ao enredo sendo, na minha opinião, uma dos pontos mais interessantes e apelativos da história.  


Em suma, para quem procura uma história de amor, com algumas peripécias na medida certa e espaço para algum drama, esta é definitivamente uma escolha acertada que entreterá todos os fãs deste género literário.  

Quanto a Nora Roberts, não há muito a acrescentar a tudo o que já possa ter dito anteriormente. Ela é romântica, tem criatividade quanto baste para criar casais singulares e, o melhor de tudo, tem uma escrita assertiva que promove uma leitura veloz.
As suas descrições não são nada de extraordinário, mas situam perfeitamente quem lê durante a acção. Neste livro em particular, através da Votos, consegue um cuidado especial produzindo imagens realmente bonitas da magia que brota das suas amorosas protagonistas.

Da minha parte gostei e vou, sem dúvida alguma, continuar a acompanhar esta série com entusiasmo. Houve mesmo alguns momentos que me despertaram a atenção e, um deles em particular, vale apena citar pela assertividade das palavras da autora, pelo que escolhi a seguinte frase, da página 64, que me parece perfeita para todos os seguidores deste blogue, nos quais eu estou incluída: «A ficção popular é uma força importante e viável da literatura. É por isso que é popular. Ler pelo simples prazer de ler (…).».

Esta é uma aposta Chá das Cinco, uma chancela do Grupo Saída de Emergência, dedicada ao público feminino, assim como a todos os que gostem de explorar os assuntos do coração.
 
Título: Um Dia Perfeito
Autora: Nora Roberts
Género: Romance


Elizabeth Chadwick sabe exactamente como escrever ficção histórica convincente e apelativa.

Título: O Nó do Amor (Ed. Especial)
Autora: Elizabeth Chadwick
N.º Páginas: 448
PVP: 15,90 €
ISBN: 9789897100574

Sinopse:
No verão de 1140, Oliver Pascal regressa de uma longa peregrinação para encontrar a Inglaterra devastada pela guerra civil. Entre os sobreviventes que encontra está um filho ilegítimo do rei e Catrin, a jovem aia do rapaz. Viúva, altiva e impetuosa, esta tem muito em comum com Oliver. E quando parece que o destino talvez os vá juntar, eis que ele é feito prisioneiro e Catrin descobre que o seu marido afinal não morreu em batalha. Mas será que ela quer voltar para ele?

Um romance histórico apaixonante, onde Elizabeth Chadwick nos mostra que mesmo com os perigos de uma época violenta e as convulsões de uma guerra contínua, o amor pode nascer e sobreviver.

Sobre a autora:
Elizabeth Chadwick vive em Nottingham com o marido e dois filhos. É membro da Regia Anglorum, uma sociedade de recriação medieval, que se dedica à reconstituição rigorosa do passado. Dá aulas de escrita de ficção romântica e histórica. Venceu o Prémio Betty Trask com o seu primeiro romance, Wild Hunt. Em 1998, foi nomeada para o Prémio de Romancistas Românticos pelo romance The Champion, em 2001 venceu com White Castle, em 2002 com The Winter Mantle e em 2003 com The Falcons of Montabard.

Saiba mais em: Saída de Emergência


Uma história maravilhosa, romântica e repleta de aventuras, uma fantasia deslumbrante.

Título: Ponte de Sonhos
Autora: Anne Bishop
N.º Páginas: 448
PVP: 18,76 €
ISBN: 9789896375294

Sinopse:
Quando os magos ameaçam Belladonna e o seu trabalho para manter Efémera em equilíbrio, o seu irmão Lee sacrifica-se para a salvar — e acaba por ser internado num Asilo na cidade de Visão, longe de tudo o que conhece.
Ao mesmo tempo, umas estranhas trevas parecem estar a espalhar-se — uma escuridão que esconde a natureza dos Xamãs que cuidam da cidade e da sua população. Danyal, um dos Xamãs, é o responsável pelo Asilo. Mas talvez por estar a tentar descobrir os seus próprios sonhos, Danyal sente-se intrigado pelos aparentes delírios de Lee.
Com a ajuda de Zhahar, uma mulher com os seus próprios segredos tenebrosos, a mente e o corpo de Lee melhoram, e as suas palavras começam a fazer sentido. Em breve, Danyal e Zhahar começam a vislumbrar o mundo como nunca haviam imaginado.
Quando Danyal, Lee e Zhahar se unem para descobrir o que ameaça a cidade, serão obrigados a olhar para além de si mesmos — e para dentro de si mesmos — para descobrir quem são… e até que ponto podem ser demasiado perigosos.
 
Mundo de Efémera
Sobre a autora:
Anne Bishop vive em Upstate New York onde gosta de passar o tempo a jardinar, ouvir música, e a escrever negros romances. É autora de vários romances, incluindo a premiada Trilogia das Jóias Negras.

Saiba mais em: Saída de Emergência


Redes Sociais

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Até 13/08!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo 1 - Resultado!

*Marcador*

*Marcador*
Passatempo 2 - Resultado!

*Clube do Autor*

*Clube do Autor*
Passatempo 3 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 4 - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo 5 - Resultado!

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo 6 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 7 - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide