Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

sexta-feira, 14 de junho de 2013
Sinopse:
A sensata Kate Sheffield está decidida a encontrar para a sua meia-irmã Edwina um marido de reputação impecável. Mal ela sabe que o visconde Anthony Bridgerton já traçou um plano... que inclui a belíssima jovem! E ele não está habituado a ser contrariado... Embora Anthony seja o solteirão mais cobiçado da temporada, a sua reputação de mulherengo perturba Kate. Ela terá de agir rapidamente, pois Edwina vê com muito bons olhos os avanços do visconde. Mas Edwina fez uma promessa que não está disposta a quebrar: nunca casará sem a bênção de Kate. Cabe, pois, a Anthony convencer aquela que (espera) será a sua futura cunhada. Ele é um homem determinado e seguro de si... e não contava encontrar uma adversária à sua altura. Frente a frente, Kate e Anthony apercebem-se de que têm mais em comum do que imaginaram. Mas o que os une ameaça separá-los para sempre.

Creio, com quase absoluta certeza, que não há quem tenha lido o primeiro título da série Bridgerton e não tenha gostado, ou até ficado fã, de Julia Quinn. Esta autora, na minha opinião, não é apenas boa, ela sabe o que faz e é, por isso, das melhores entre as melhores dentro do seu género literário. Quando penso na sua história, como um todo, não consigo deixar de elogiar a sua criatividade genial para conceber uma família unida, de oito irmãos díspares, divertida e de empatia fácil que, com apelativas personalidades peculiares, levam o leitor a desejar que todos tenha um final, nada mais, nada menos, do que absolutamente feliz.

Relativamente ao livro Peripécias do Coração, foi para mim uma leitura perfeita para descontrair - se é que quando ficamos viciados numa história, e não a conseguimos largar até ao final, descontraímos, mas adiante. Para quem gosta de romances de época com um teor humorístico forte, encontrará no casal de protagonistas abordado um escape exemplar que, entre as regras e imprevistos do ton, com a necessidade de um casamento para breve, proporcionará diálogos tão interessantes quanto assertivos, até que mais um membro da família Bridgerton encontre a bem-aventurança no amor.

Como irmão mais velho da extensa prole a que pertence, Anthony sabe que é chegada altura de se entregar ao casamento, sob uma importante condição, obviamente - ele e a sua futura noiva não podem estar apaixonados (oh sim, pois, claro… homens!). E é com esta perspectiva no pensamento que conhecemos um homem maduro, tão responsável para com a família quanto boémio, mas com forte sentido de honra e respeitado nos círculos a que pertence. Um homem sem pinga de romance e que de início os leitores sentirão vontade de esganar, ou seja, um homem que tem muito para aprender sobre as Peripécias do Coração. No entanto, Anthony altera-se completamente no decorrer do texto tornando-se bastante interessante e agradável, pelo que é possível acabar por aceitar e compreender o seu comportamento inicial ligado a um passado que, embora seja ligeiramente dramático, não tira a leveza à obra, acabando, isso sim, por incentivar o lado divertido, complicadamente descomplicado, da narrativa e, mais importante ainda, proporcionando até cenas hilariantes.
Kate, irmã de Edwina, a flor do ton escolhida por Anthony para atingir mais um objectivo, embora não esteja interessada no casamento porque ela própria não se considera interessante, está ainda menos interessada que um Lorde libertino, independentemente da sua riqueza, conquiste a sua irmã, o que dá início a um jogo peculiar entre um casal invulgar, com direito a muitas picardias e alguma sedução até que um deles dê o braço a torcer. (E não, a opinião de Edwina aqui não conta para nada!)

Em linha gerais, tenho de confessar que não há nada de extraordinário no enredo de Quinn, no entanto é impossível não afirmar que a sua história é especial, porque efectivamente é, através dos seus diálogos irresistíveis, personagens convencionais mas arrojadas e um busílis absurdamente cómico que culmina em momentos de prazer puro para quem lê. Ou seja, Quinn escreve histórias de entretenimento irrepreensíveis.

Neste livro, gostei particularmente de Kate e da sua família, ela pela sua língua viperina, espírito irreverente e personalidade mordaz, que a tornam assustadora perante a aristocracia tradicional mas extremamente apelativa para o leitor, e quanto à sua família, achei interessante a relação que Kate mantém com a madrasta e a meia-irmã, tendo em atenção a afeição entre elas na época em que se passa a acção, uma época em que a imagem prevalecia sobre os afectos.

Em relação aos Bridgerton, foi um enorme prazer ter notícias do casal Daphne e Simon, bem como de todos os outros que pertencem ao clã. Foi igualmente agradável saber um pouco mais sobre esta família e o seu passado, uma família que enternece o coração de quem lê pela sua união nas dificuldades e nas diferenças. Todos têm um coração de ouro, em particular o casal principal que ficamos a conhecer melhor.

Relativamente a Julia Quinn, a autora segue o mesmo estilo de escrita do livro anterior, simples e assertiva, prendendo a atenção do leitor até ao final que, ainda que previsível, é muito atractivo.
As suas descrições são breves, suficientemente cuidadas apenas para que o leitor se sinta enquadrado espacialmente, sendo, como citei anteriormente, os diálogos e as caracterizações das personagens o seu ponto forte, o que, juntamente com o seu humor singular e o magnetismo entre intervenientes, é delicioso.

Quanto a mim, adorei esta história que li num único dia, pelo que já sei que quando pretender ler algo com qualidade e que me abstraia de tudo o resto esta é a opção certa, uma opção que por sinal é muito divertida e cheia de valores.
Por agora, estou curiosa para ler em breve o terceiro título desta série, já publicado, Amores e Enganos e tentar descobrir finalmente quem é a Vossa Autora, uma personagem muito especial e que é mais um toque de génio de Quinn - sim, é minha personagem preferida até ao momento. Fazem-se apostas!

Esta autora foi uma das grandes apostas ASA em 2012 e creio que o será sempre que publicada. É, portanto, um livro que recomendo a todos os leitores que gostem de romances, em particular de comédias românticas de época, sem qualquer tipo de restrições. Maravilhoso.


Livro I
Série Bridgerton




Crónicas de Paixões & Caprichos (Opinião)


Título: Peripécias do Coração
Autora: Julia Quinn
Género: Romance de Época; Comédia
Editora: ASA


2 comentários :

Catarina* disse...

Olá :)

Adoro, adoro mesmo, Julia Quinn. Primeiro pensei que fossem os Bridgertons, pensei, bem, esta família é especial (e é!9 e é por isso que gosto tanto dos livros dela. Li o primeiro em inglês quando ainda era o único traduzido, e entretanto comprei todos os outros em inglês, e mais uma trilogia dela. E tenciono comprar todos! São histórias simples sim, sem nada de extraordinário, mas ainda assim que me emocionam e me fazem rir alto às 3 da manhã! São histórias que embora pareçam previsíveis, acabam por ter sempre alguma surpresa.

E não podia deixar de referir os segundos epílogos, que terminei hoje mesmo de ler, e são do melhor. Dizer-nos como estão os nossos personagens adorados uns anos depois foi de génio, especialmente porque fico sempre um pouco triste quando chego ao fim de um dos livros de Julia Quinn. A pequena história da Violet é linda, linda, não sei em que outra palavra descrever!

E quanto à outra trilogia de Julia Quinn que já tive a oportunidade de ler, é a Belvestoke! O primeiro encantou-me, adorei o segundo, mas o terceiro...esse foi o melhor :)

Já recomendei Julia Quinn a várias amigas, e consegui até que começassem a ler em inglês, porque a curiosidade leva a melhor! Acho que são mesmo daqueles livros que nos fazem bem num dia mau :)

Beijinho, e espero que adores o próximo! :)

P.S. São 8 irmãos, não 7! Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth :)

Elphaba J. disse...

Olá Catarina *.*

Em primeiro lugar obrigado por me corrigires, nada como uma *mega fã* de Quinn para me ajudar :P Eu acho que só contei 7 porque em algum momento Anthony deve ter referido os seus 7 irmãos e eu sou muito distraída! Obrigado, a sério!

Em segundo, eu estou muito tentada em fazer esta colecção nas duas línguas porque acho as edições inglesas maravilhosas e depois deste teu comentário mais ainda!

Não sabia que a autora tinha uma trilogia à parte, isso são óptimas notícias, obrigado também por isso!

E sim, tenho a certeza que vou adorar o próximo livro! Obrigada! Beijinhos**

P.S.: Eu li este livro há 3 meses mas só consegui fazer a opinião agora, por isso, se houver algo que aches que não esteja bem na minha recensão, por favor, elucida-me (envia-me email) que terei todo o prazer em falar um pouco mais sobre esta história. :)

Redes Sociais

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo 1 - Até 18/07!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado em breve!

*Passatempo*

*Passatempo*
Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide