Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

domingo, 16 de dezembro de 2012

Sinopse:
Três anjos – Gabriel, o guerreiro; Ivy, a curandeira; e Bethany, a mais jovem e humana de todos – são enviados para levar o Bem a um mundo que sucumbe ao poder das trevas.
Esforçam-se por esconder o brilho luminoso que os envolve, os poderes sobre-humanos que detêm e, representando o maior dos perigos, as asas, ao mesmo tempo que evitam qualquer tipo de relação com os humanos.
Mas Bethany conhece Xavier Woods e ambos se revelam incapazes de resistir à atracção que sentem um pelo outro. Gabriel e Ivy tentam tudo para impedir aquela relação, mas o sentimento que une Xavier e Bethany é demasiado forte.
A missão dos anjos é urgente e as forças das trevas são ameaçadoras.
Irá o amor lançar Bethany na perdição ou salvá-la?

Com uma forte aposta na literatura fantástica juvenil, a Planeta Manuscrito tem vindo a explorar através do seu catálogo a grande multiplicidade de seres míticos, ficcionais, interessantes que este género proporciona e, entre eles, já divulgados através de diversas autoras na sua selecção fantástico, encontram-se os anjos em todas as suas vertentes. No entanto, confesso-vos, que nunca tinha visto estas divindades apresentadas com tanta fidedignidade como em Halo que apelou em mim, com naturalidade, ao fascínio que estas criaturas têm na nossa sociedade.

Mais do que uma simples história angélica, esta narrativa surpreendeu-me pela credibilidade contida logo nas primeiras páginas em que exemplifica a chegada dos três protagonistas, anjos com níveis diferentes de aprendizagem, à Terra para uma missão de bondade e de luz.
Confusas, inadaptadas e encantatórias, estas três personagens transmitem para o leitor a perspectiva avassaladora que consiste em descobrir e assimilar todas as emoções que a humanidade contém em si, principalmente, através de Bethany.

Bethany é um jovem anjo belo e inocente, nas primeiras fases de desenvolvimento da sua espécie, que pouco conhece do ser humano e, por isso mesmo, é com um misto de temor e fascínio que se ambienta na nossa sociedade. Um dos pontos altos da história passa pela descrição dos seus pensamentos em relação aos sentimentos de deslumbramento que sente, quer estes sejam em relação à sua própria natureza ou em relação às reacções físicas necessárias a sustentabilidade do corpo, frágil, que facilmente esquecemos possuir.
Gabriel, o fictício irmão de Beth entre nós, é um anjo guerreiro com um papel fundamental junto de Deus. O seu papel é de juiz, por vezes frio e intransigente no que se trata a ceder para os humanos, impondo, desta forma, seriedade ao texto e mantendo clara a mensagem do Senhor para que nenhum dos anjos se desvie da sua missão. Tem um papel fundamental no enredo e nas partes cruciais, sendo também ele, à sua maneira, uma representação muito interessante da sua raça.
Ivy, o terceiro anjo que temos o prazer de conhecer, não tem um papel tão activo na acção mas é, por seu lado, uma peça fundamental no romance. Ela tem uma beleza extrema, uma bondade natural por todas as coisas e o poder da cura como arma contra o mal. Entrosa-se com facilidade entre os humanos mas não deixa de cumprir sem mácula o seu papel, é portanto, na minha opinião, o anjo que melhor se comporta na Terra, combatendo sempre com o bem.

Para lá dos personagens fantásticos, de que eu gostei bastante, existem vários intervenientes secundários com papel activo no enredo, entre eles um vilão e, principalmente Xavier, o rapaz por quem Beth se apaixona. Possivelmente este rapaz e o seu amor deveriam ser encarados por mim como motor chave desta história mas, confesso-vos, que eu me agarrei muito às descrições e a parte sensorial da trama que desenvolve o maravilhoso, bem como a sua forma actuar e a sua perspectiva transmitida do meu, nosso, mundo.

Por tudo isto, os pormenores são mais que muitos e são fundamentais para que o leitor consiga abranger a dimensão desta fantasia. Também a moralidade, quase religiosa sem o ser, é de elevada relevância e passa de forma constante mensagens belíssimas e de valor extremos para o público-alvo (juvenil) deste livro, no entanto isto não invalidade que a obra seja folheada por leitores mais maduros que com maior facilidade reflectiram nas palavras impressas.
No que respeita à descrição e acção, numa primeira parte a narração é mais expositiva o que pode causar impaciência, mas julgo que não poderia ser de outra maneira. Na segunda metade do livro, por sua vez, já encontramos menos descrições, mais movimento, mais drama e mais romance, o conquistará rapidamente o público jovem. Como nota pessoal quero acreditar, uma vez mais, que um apaixonado por fantasia irá recordar a primeira parte desta obra por mais tempo do que a segunda.

Como citei anteriormente, Alexandra Adornetto surpreendeu-me bastante pela positiva, até porque os comentários, raros, que ouvi sobre si não foram encorajadores.
É uma autora que embora muito jovem, transparece uma grande sensibilidade para a escrita, no que respeita a transmitir sensações e emoções simples (que por vezes podem ser as mais difíceis de retractar). Eu fiquei fã.
A autora é descritiva, sem cair no exagero, e a sua imaginação e criatividade são trunfos a ter em atenção atendendo ao quanto os seres divinos são explorados na literatura fantástica.

Pessoalmente, gostei muito do livro e quero ler a continuação, Hades, que já se encontra publicada, em breve, embora tenha a noção que este possa ser mais dedicada ao romance.
Uma coisa é certa, as batalhas entre o bem e o mal, a luz e a escuridão, têm sempre um magnetismo cativante e neste livro isso não é excepção.

Uma obra com o carimbo Planeta Manuscrito que certamente agradará a leitores de fantasia mais jovens mas também a um público mais maduro que goste de explorar palavras cuidadas no âmbito do fantástico.

Título: Halo
Autora: Alexandra Adornetto
Género: Fantasia; Romance

5 comentários :

Clarinda disse...

Ando muito curiosa sobre esta autora!

Elphaba J. disse...

Eu gostei muito Clarinda foi uma grande surpresa para mim. Nunca li anjos tão belos como estes :)

Carol disse...

Eu quero tanto, mas tanto este livro, que já está na minha lista de pedidos de oferta de Natal!Quero mesmo experimentar por 3 razões: 1- quero muito ler algo do género fantástico; 2- a sinopse cativa-me intensamente e 3 - porque os anjos são seres muito interessantes e associados ao romance ainda melhor!

Carol disse...

Ah já esquecia-me, realmente os comentários que li também não foram muito favoráveis, por isso fico feliz que tenhas gostado :)

Elphaba J. disse...

Sim gostei mesmo Carol. É caso para dizer... ainda bem que não gostamos todos do mesmo. Sabes que se procuras um livro com muita acção este pode desiludir, mas as descrições são mesmo bonitas :)

Redes Sociais

*Passatempo Halloween*

*Passatempo Halloween*
Passatempo - Até 12 de Novembro!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado!

*Planeta*

*Planeta*
Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide