Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Sinopse:
Com dezasseis anos, Cinder é considerada pela sociedade como um erro tecnológico. Para a madrasta, é um fardo. No entanto, ser cyborg também tem algumas vantagens: as suas ligações cerebrais conferem-lhe uma prodigiosa capacidade para reparar aparelhos (autómatos, planadores, as suas partes defeituosas) e fazem dela a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim. É esta reputação que leva o príncipe Kai a abordá-la na oficina onde trabalha, para que lhe repare um andróide antes do baile anual.
Em tom de gracejo, o príncipe diz tratar-se de «um caso de segurança nacional», mas Cinder desconfia que o assunto é mais sério do que dá a entender.
Ansiosa por impressionar o príncipe, as intenções de Cinder são transtornadas quando a irmã mais nova, e sua única amiga humana, é contagiada pela peste fatal que há uma década devasta a Terra. A madrasta de Cinder atribui-lhe a culpa da doença da filha e oferece o corpo da enteada como cobaia para as investigações clínicas relacionadas com a praga, uma «honra» à qual ninguém até então sobreviveu. Mas os cientistas não tardam a descobrir que a nova cobaia apresenta características que a tornam única. Uma particularidade pela qual há quem esteja disposto a matar.

© A última opinião de 2012 é de um dos melhores livros do ano…
… é bom terminar assim! ©


Ao longo do ano tenho vindo a render-me às distopias e a sua capacidade de ensaiar, distorcer e perspectivar um futuro ousado. Mais do que a tecnologia ou a fantasia, neste género literário fascinam-me as alterações sociais que a humanidade poderá vir a sofrer para se adaptar, encanta-me que as emoções possam vir a ser mais preciosas, quando agora são muitas vezes desvalorizadas, e surpreende-me reflectir sobre o pouco que tenho agora imaginando-o, num tempo distante, como algo inestimável. Cinder conseguiu seguir todos estes conceitos à risca e muito mais, pontuando consecutivamente o seu enredo de pormenores brilhantes e desenvolvendo uma heroína intemporal, modificando-a eximiamente sem que esta perder-se a sua originalidade, ao longo de uma narrativa com um fundo conhecido de todos nós.

Como próprio título induz, esta história foi, em parte, inspirada no clássico da Cinderela, um conto de fadas que tem perpetuado ao longo de muitas épocas diferentes sendo, a mais antiga, datada de, aproximadamente, 860 a. C., no entanto a forma como a autora o trabalhou este texto comum funcionou na perfeição, evidenciando as características principais do enredo original atendendo, contudo, enquadra-lo numa comunidade arrojada que espelha na perfeição dicotomia futuro e antiguidade.

Em relação à protagonista, Cinder segue a mesma linha até então adoptada para a Cinderela com excepção de não haver o cuidado de evidenciar a sua beleza, muito pelo contrário. Ela uma cyborg, ex. humana, a quem foi salva a vida através de uma actualização tecnológica muito avançada acabando por ficar com partes do corpo mecânicas sendo, por ironia, ela própria uma mecânica que, seguindo a linha original de encantar, é explorada pela madrasta que pretende ver uma das suas duas filhas biológicas casada com o Príncipe Imperador Kai. No que respeita a outras personagens estas são o ponto fraco do livro, muito embora sejam superiores à maioria das personagens secundárias que podemos encontrar. São interessantes, sim, mas no geral nenhuma tem particularidades excepcionais e acabam por ser exploradas de forma ligeiramente superficial, exceptuando, talvez, o andróide que acompanha Cinder, Iko. Este robô faz-nos reflectir até que ponto existe justiça na criação de uma máquina com emoções quando existe a possibilidade de, posteriormente, ser considerada uma produção falhada. E isto, meus caros leitores, é um tema que me faz pensar bastante em relação aos avanços que a humanidade vai alcançado nesta área científica em particular.

O ambiente é outro dos aspectos bem conseguidos nesta obra. A autora consegue criar um conceito inovador em torno da actual Pequim, local onde se desenvolve a acção, e ao mesmo manter-se fiel aos dramas sociais de sempre. Desta feita, quem lê pode visualizar arranha-céus e carros voadores misturados com vendas de rua e a pobreza de um povo derrotado pela peste. Esta peste, uma doença que está a destruir a população terrestre a conduzi-la para um fim previsível, é outro dos conceitos explorados que está bem conseguido, evidenciando que por muita tecnologia que se crie estamos sempre um passo atrás no que se trata de encontrar curas para o que é realmente importante.

No que se trata de pormenores, gostei bastante dos lunares, sobre os quais não vou adiantar assunto nesta primeira opinião porque, creio, vos dará bastante prazer descobri-los vocês mesmos. Posso, no entanto, adiantar-vos que vivem na Lua e que têm uma rainha má, muito má, e que esta vilã acaba por ser quem impulsiona todo o desenvolvimento da história que, de certa forma, consegue fugir um pouco ao habitual conceito de romance YA, ao brindar-nos com tudo o que vos disse anteriormente.

Em suma, esta é uma leitura que aconselho a quem gosta não só de distopias como de ficção científica mas, também, aos leitores que sabem apreciar as entrelinhas de uma narrativa de entretenimento.

Marissa Meyer tem uma escrita acessível a qualquer leitor e conquistou-me, particularmente, pela sua criatividade e imaginação extraordinárias, bem como através do método adoptado para aliar todos os temas que explora ao longo do texto.
As suas descrições são particularmente cuidadas na criação de ambiente, em questões relacionadas com a tecnologia e todo o conceito maravilhoso da ficção. Existe também primor ao retractar as emoções de Cinder, que facilmente criará empatia com os leitores (não fosse ela a Cinderela), ao mesmo que tempo que não nos deixa esquecer a sua juventude versus maturidade conseguida através das dificuldades da sua vida.
Marissa é uma autora inteligente e Lunar Chronicles promete futuras leituras maravilhosas, eu, pelo menos, estou ansiosa pelo próximo livro que será publicado no original em Fevereiro com o título Scarlet.

Quanto a mim, adorei a história e vai certamente contar entre os melhores dentro do seu género.
Gostei de tudo aquilo sobre o qual me fez reflectir e da simplicidade e valor transmitidos através de alguns gestos de amizades. Gostei igualmente da janela que se abriu para um novo mundo e me fez sonhar, assim como de recordar a intemporalidade das histórias de encantar.
Já agora, não sei bem porquê, mas houve alguns momentos que me fizeram lembrar o tecnologia de Star Wars, o que não é mau, de todo, e me leva a citar que também achei interessante a forma como o nosso mundo está dividido e tudo o que esta relacionado com o imperialismo chinês.

Esta obra é uma grande aposta Planeta Manuscrito, que em 2012 se esmerou particularmente para oferecer boas leituras a todos nós. É uma obra que eu gostava de sugerir a todos os leitores mas que, por receio de ser mal interpretada, sugiro apenas ao leitores deste género literário.

Título: Cinder
Autora: Marissa Meyer
Género: Distopia, Ficção Científica
domingo, 30 de dezembro de 2012

… Especial Natal!


Considero um pouco vergonhoso o facto de ter as minhas divulgações relativas às aquisições muito atrasadas e vir, com tanta brevidade, publicar os miminhos que recebi este Natal… mas eles foram tão desejados que não resisti!  
Aqui estão eles:




© Uma Morte Súbita – J. K. Rowling
Este era obrigatório, obrigatório mesmo! Estou desejosa de descobrir esta nova faceta desta autora que marcou as minhas literatices.



© O Hobit – J. R. R. Tolkien
Queria tanto! Uma coisa é certa, não vou ver o filme sem ler o livro, mesmo que não veja a dita “obra de arte” nas salas de cinema.




© Incarceron – Catherine Fisher
Este não sei de vou ler tão cedo mas a sinopse parece mesmo muito interessante e quero adquirir a série/trilogia completa para a ler de num tirinho (ou pelo menos assim espero).

© A Vida de Pi – Yann Martel
Este livro tinha de vir para a minha estante, desse por desse, só sei que o ano não podia terminar sem ele por cá! 
Como podem ver foi uma prendinha muito primorosa que teve direito à t-shirt e ao saco com a imagem da capa do livro. Digam lá que não é um conjunto bonitinho? Oh sim, sou uma leitora feliz! *.*



© A Boneca de Kokoschka – Afonso Cruz
Tenho de ler mais em português e quero ler com qualidade. Todos os elogios em torno desta obra conquistaram-me e será definitivamente uma das minhas primeiras leituras de 2013.


© Agenda London 2013
Eu sou doida para agendas e tenho a paranóia da organização. Esta é já uma presença habitual nas minhas prendas de Natal. Espero, fervorosamente, que esta sirva para manter as coisinhas em dia aqui no blogue e para eu não me esquecer de partilhar nada que seja respeitante a livros com os leitores deste cantinho -.-!



Por fim, mas não menos importante:
© Capa de LivroArtes Minhas
Já conhecem esta loja online?
Esta capa maravilhosa, de preço absolutamente apetitoso, foi o meu miminho pessoal para os meus meninos, que é como quem diz, uma prenda de mim para mim. Adoro-a, é linda e tem o tamanho perfeito.




Parece-me que tenho o kit completo para começar o meu ano com leituras maravilhosas, estou desejosa de ler algumas delas. Um muito obrigado cheio de carinho a todos os que contribuíram para tal!


Espero nos próximos dias actualizar as minhas restantes aquisições mas, para já, contem-me o que vos trouxe esta época de festividades? Algum dos meus presentes é partilhado por vocês?

Boas leituras! ©

Sinopse:
Charles Gibson é um escritor de êxito, mas devido aos temas que escreve afasta as mulheres e sujeita-se a blind dates que os amigos lhe propõem. Candance Whitman, recém-chegada à literatura erótica, tem encontrado diversos obstáculos pelo caminho. Cansada de ser criticada, decide ir a uma conferência de escritores com o objectivo de aprender, onde acaba por conhecer o seu ídolo: Charles Gibson, o autor best-seller de romances eróticos. Charles propõe-lhe cinco lições para lhe ensinar as noções básicas do erotismo, criação de cenas, ou seja, conselhos muito válidos para obter bons resultados. Mas o que nenhum dos dois esperava era que as lições teóricas passassem à prática. Infelizmente, a desilusão de Candace em relação ao novo romance que está a escrever – no qual Charlie desempenha o papel principal – ameaça-lhes a possibilidade de desfrutar de um amor verdadeiro. Conseguirá ela separar a fantasia da realidade?

Para quem procure uma leitura de entretenimento simples, erótica e de enredo básico, o livro Sedução é, sem dúvida alguma, a escolha acertada.
Tudo nesta história é descomplicado começando pelas emoções que são comuns ao leitor, passando pelas sensações espelham as acções e terminando nas palavras, cruas, retractam na perfeição o primitivo acto de fazer amor. Dito isto, e porque confesso não estar habituada a romances sensuais tão explícitos, confesso-vos que este pequeno livro me apanhou de surpresa e, não tendo sido uma leitura extraordinária, considerei-o um breve e diferente momento entre páginas.

No que respeita ao enredo, pouco tenho a acrescentar em relação ao que a sinopse oferece. Temos duas personagens, uma masculina e uma feminina, que manipulam toda a narrativa que se baseia nos seus desejos de romance e, durante esse processo, vão passando para o leitor as suas diferentes perspectivas emocionais e, no caso de Candance, também profissionais. Charles e Candance são ambos escritores de romances eróticos e, por casualidade, acabam por se envolver em peculiares lições de sensualidade criativa que os irão inspirar, ou não, para a escrita de futuras ou actuais obras.

A sexualidade é o objecto central de todo o livro e encontra-se explícita de forma a mostrar a sua influência na vida dos protagonistas.

Relativamente a pormenores, gostei do facto de termos uma história a desenvolver-se dentro de outra, ainda que baseada no romance principal. Acontece que a protagonista Candance, após uma primeira e singular lição com Charles, começa a desenvolver o seu romance sensual com base nos acontecimentos da sua aula encaminhando, expressando, as suas dúvidas e esclarecimentos através da sua própria ficção. Este é, para mim, o ponto forte do livro.

Bella Andre tem uma escrita simples e fluida que não oferece nada de novo mas que motiva a uma leitura rápida pela naturalidade com que trata o tema.
As suas descrições baseiam-se nos actos de volúpia, não havendo o cuidado de descrever tudo o que ultrapassa esses momentos e, na minha opinião, até mesmo retrato dos próprios intervenientes ficou um pouco aquém do que poderia ter sido feito.

Pessoalmente, não sei se gostei ou não deste livro, não me consigo decidir.
Não me aborreceu, li depressa e gostei do enredo criado pela protagonistas mas, fora isso, esta foi uma leitura com a qual não criei grande empatia e não consegui sentir nada em relação aos intervenientes.
Claro que darei outra hipótese à autora, quem sabe o seu próximo livro me surpreenda positivamente mas, por agora, a linguagem desta história em nada tem a ver comigo enquanto leitora, o que até poderia ter sido contornado com outros aspecto positivos mas, infelizmente, não aconteceu.

Esta pequena obra é uma aposta Planeta Manuscrito no género romance erótico que aconselho, exclusivamente, a quem gosta desde género literário e não é facilmente impressionável com o uso rude da linguagem que pode ser adoptada nestes textos.

Título: Sedução
Autora: Bella Andre
Género: Romance Erótico

sábado, 29 de dezembro de 2012

Depois da leitura intensa e viciante de Halo, chega agora o segundo volume desta inesquecível trilogia romântica entre anjos e humanos que já arrebatou o coração dos leitores e apaixonou a Disney.

Título: Hades
Autora: Alexandra Adornetto
N.º Páginas: 356
PVP: 19,95 €
ISBN: 978-989-657-318-8

Sinopse:
O anjo Bethany Church está prestes a cometer um grande erro e não tem qualquer razão para o fazer.
Neste momento tem uma vida tranquila com o amor do namorado Xavier Woods e dos irmãos Gabriel e Yvi, mas decide que todos devem ter uma segunda oportunidade e é aliciada por Jake Thorn, para um perigoso passeio de mota.
Nem Xavier nem os irmãos conseguem impedir nem demover Bathany de ir para a frente com o seu plano e tarde de mais ela percebe que o passeio acaba no inferno.
Um vez lá, Jake Thorn negoceia a libertação de Beth para que esta possa voltar à Terra. Mas o que ele lhe pede em troca não só a vai destruir como também aos seus entes queridos. Mas poderá Bethany voltar a confiar em Jake?
1.º Volume
Trilogia Halo



«Esta série é absolutamente brilhante! Estou apaixonada pelo livro.
As personagens são complexas e o enredo como uma montanha-russa de que não se quer sair. A escrita é bem estruturada mas lê-se com grande facilidade e todos o irão adorar. Alexandra Adornetto é um talento inato e mal posso esperar pelo próximo livro da série.» - Moonlight Book Reviews


Sobre a autora:
Alexandra Adornetto tem 18 anos e 14 quando publicou o primeiro livro, ­the Shadow ­Thief, na Austrália.
Filha de professores de inglês, confessa-se uma compradora de livros compulsiva que, ao ver-se sem espaço nas estantes, amontoa as suas leituras «em pilhas instáveis, no chão do quarto».
Alex vive em Melbourne, na Austrália.

Saiba mais em: Planeta Manuscrito


Alera – A Princesa Herdeira, a extraordinária estreia literária de uma jovem escritora de dezanove anos, vencedora do Reader Views, que cativou os leitores de todo o mundo, regressa agora com o segundo volume desta trilogia.

Título: Alera - Tempos de Vingança
Autora: Cayla Kluver
N.º Páginas: 424
PVP: 19,95 €
ISBN: 978-989-657-326-3

Sinopse:
Uma rainha de dezoito anos está apaixonada pelo comandante inimigo, numa altura em que os dois países se confrontam, num combate do qual não há regresso possível.
Casada com um homem que não ama, a rainha Alera de Hytanica tem de esquecer Narian, o jovem que lhe prendeu o coração, porque este está destinado a conquistar Hytanica no comando dos exércitos do seu senhor, o poderoso soberano. Alera não acredita que Narian se disponha a combater Hytanica – até ao momento em que as tropas de Cokyri atacam a sua pátria, cheadas pelo próprio.
Confrontada com a mais terrível traição que um coração pode conhecer, Alera será forçada a esquecer os seus sentimentos e a conduzir o seu reino nesta hora de tremenda provação. E, quando parece que a esperança, a vontade e a coragem estão perdidas, terá de encontrar a força que lhe permita manter-se de pé, recordando que nem a mais negra das noites impede o nascimento de um novo dia.

1.º Livros da Trilogia


Mais um romance envolvente, cheio de intriga, suspense, amor e batalhas que nos leva a entrar no mundo da fantasia e dos contos de fada.

O terceiro livro da trilogia será publicado na Primavera de 2013.






Sobre a autora:
Cayla Kluver completou o primeiro rascunho do livro Alera – A Princesa Herdeira apenas com 14 anos.
Para uma autora tão jovem e desconhecida, ser capaz de atrair a atenção dos editores não é tarefa fácil, assim Cayla, com a ajuda da mãe, decidiram fazer uma edição de autor.
Depressa a história começou a circular nas escolas e bibliotecas dos EUA, ganhando diversos prémios e tornou-se numa estreia literária impressionante e extraordinária.
Cayla Kluver foi a primeira autora do projecto AmazonEncore, a chancela editorial que a livraria online Amazon criou para editar e publicar livros e autores emergentes de grande potencial.
Em 2008, a primeira edição da obra ganhou o Prémio Literário Reader Views e a medalha de bronze do Prémio Moonbeam Children’s Books de ficção para jovens.
Tem dezanove anos e vive com a família e a sua musa (Nina, a gata) no Wisconsin, onde só os duros conseguem sobreviver.

Saiba mais em: Planeta Manuscrito

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

… Possuída pelo temível, horripilante e aterrador Demónio dos Passatempos!

É que só pode! Quantos foram? Dois? Três? No mesmo dia? God!
Não e ainda me falta lançar um… triplo!

Em que é que a imagem se relaciona com o Post?
Em nada! 

Depois disto sinto que eu e o cantinho nunca mais seremos os mesmos. Vou ter, literalmente, de passar por um confessionário e de me exorcizar em opiniões. Ámen!

Confessando-me primeiro lugar… (porque é mais lógico e mais fácil e mais rápido e porque não tenho opiniões escritas, claro -.-‘), aqui vai:
Se eu fosse, mas só se eu fosse, uma blogueira atinada estes passatempos já deveriam estar no ar há uma semana, no mínimo, mas como eu ando sempre a namorar as minhas estantes e a dar mimos aos meus livros, é assim que as coisas são.  

Dito isto, já a começo sentir-me mais purificada…

Boas leituras ©

P.S.: Agora apanhei o vício dos ©©©, que lamechice! 

Em colaboração com a Saída de Emergência dou início a um fantástico passatempo comemorativo, com um livro de um dos melhores escritores de fantasia da actualidade!

Para sorteio está disponível um exemplar do título O Dragão do Inverno & Outras Histórias da autoria do maravilhoso George R. R. Martin.

Para se habilitar este livro basta responder acertadamente às questões abaixo colocadas e ter em atenção as regras de participação.

Descubra as suas respostas aqui no Blogue e através do excerto disponibilizado em Saída de Emergência.

Boas leituras©


Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 11 de Janeiro de 2013 (sexta-feira).
2. Só é possível uma participação por pessoa e e-mail.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
4. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
5. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
6. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
7. Boa Sorte!


George R. R. Martin, autor de As Crónicas de Gelo e Fogo, regressa com algumas das suas melhores histórias de sempre.

Título: O Dragão do Inverno & Outras Histórias
Autor: George R. R. Martin
N.º Páginas: 400
PVP: 17,76 €
ISBN: 9789896374617

Sinopse:
Uma criança do inverno cria uma relação especial com um dragão. Uma nave espacial ruma no espaço em busca de uma mítica raça, mas estará o mistério na própria raça ou na estranha nave em que navegam? Uma velha torre de cinzas serve como refúgio para um homem destroçado. Um escritor cria um universo de personagens, e cada uma delas vive no mundo que ele lhes determinou. Um milionário convoca os seus antigos colegas para um confronto de xadrez com revelações inesperadas. Um homem adora comer mas odeia ser gordo, conseguirá a provação do tratamento do macaco ajudá-lo a definir prioridades? A vida sexual de um manipulador de cadáveres pode ser relativamente perfeita, mas não quando se acredita no amor.

Dez histórias multipremiadas que exploram temas universais, de leitura indispensável para os fãs do autor e para todos os que desejam conhecer o verdadeiro potencial da literatura fantástica.

Sobre o autor:
George R. R. Martin trabalhou dez anos em Hollywood como argumentista e produtor de diversas séries e filmes de grande sucesso. Autor de várias coletâneas de contos e noveletas, foi em meados de anos 90 que começou a sua obra mais famosa, As Crónicas de Gelo e Fogo. É a saga de fantasia mais vendida da atualidade e uma adaptação televisiva de grande sucesso foi realizada pela HBO. Um autor multifacetado, a sua obra estende-se a diversos géneros como o horror, a fantasia, a ficção científica, e a prova disso são os títulos Dying of the Light, Windhaven (com Lisa Tuttle), The Armageddon Rag e Sonho Febril. O autor vive em Santa Fé, Novo México, com a sua mulher, Parris.

Saiba mais em: Saída de Emergência

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Em colaboração com a Quinta Essência dou hoje início a mais um romântico passatempo para alegrar o coração dos leitores para o Novo Ano que se principia!

Para sorteio está disponível um exemplar da narrativa Noite de Reis da autora Trisha Ashley.

Para se habilitar este livro basta responder acertadamente às questões abaixo colocadas e ter em atenção as regras de participação.

Descubra as suas respostas aqui no Blogue ou em Quinta Essência.

Boas leituras©


Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 10 de Janeiro de 2013 (quinta-feira).
2. Só é possível uma participação por pessoa e e-mail.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
4. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
5. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
6. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
7. Boa Sorte!


Em colaboração com a ASA dou hoje início a mais um maravilhoso passatempo, para entrarmos no Novo Ano da melhor maneira possível!

Para sorteio está disponível um exemplar da fantasia Dividida da autora Amanda Hocking.

Para se habilitar este livro basta responder acertadamente às questões abaixo colocadas e ter em atenção as regras de participação.

Descubra as suas respostas aqui no Blogue.

Boas leituras©


Regras de participação:
1. Passatempo válido até 23h59 do dia 10 de Janeiro de 2013 (quinta-feira).
2. Só é possível uma participação por pessoa e e-mail.
3. Só serão aceites participações de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
4. O vencedor será sorteado aleatoriamente, será posteriormente contacto por e-mail e o resultado será anunciado aqui, no blogue.
5. Todas as participações com questões erradas e/ou que não obedeçam às regras serão automaticamente anuladas.
6. A administração do blogue não se responsabiliza pelo possível extravio no correio de exemplares enviados pela própria e/ou pela editora.
7. Boa Sorte!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012
Sinopse:
Começou como uma caça às bruxas, mas o plano do Inquisidor-Mor para eliminar todos os vestígios de poder feminino que há no mundo prevêem agora a aniquilação dos barões de Sylvalan que se lhe opõem… e a destruição do berço de toda a magia: a Serra da Mãe. Humanos e feiticeiras formam uma aliança difícil com os Fae para fazerem frente a esse inimigo terrível. No entanto, mesmo unidos, não têm força suficiente para resistirem aos exércitos mobilizados pela Inquisição. Procuram por isso o apoio do último aliado ao qual podem recorrer: a Casa de Gaian. As feiticeiras que vivem isoladas na Serra da Mãe têm poder suficiente para criarem um mundo… ou para o destruírem.
O antigo lema das bruxas: «Não fareis o mal», arrisca-se a ser esquecido por força de uma necessidade mais premente: a necessidade de sobreviverem.

Tenho quase a certeza que me vou repetir nesta opinião, relativamente às antecedentes desta mesma autora, sobre o prazer que é para mim folheá-la mas, a verdade, é que quando leio Anne Bishop é sempre um prazer único, algo que não se comprara a outros autores. Ela é a minha favorita. A sua escrita, a sua imaginação e a sua forma de falar sobre qualquer questão através de uma fantasia é inigualável e, neste terceiro livro da trilogia Pilares do Mundos, reafirmou uma vez mais o porque de eu a adorar consecutivamente.

Desde já alerto que esta opinião não só será extensa (é impossível que não o seja), como também terá, provavelmente, incongruências para quem não leu os títulos que antecedem A Casa de Gaian, no entanto para falar desta história tenho mesmo referir pontos da trilogia que nos levaram ao ponto em que iniciamos este livro.

Chegou o momento. Os inquisidores não podem continuar a ferir todos os locais que atravessam, não podem perpetuar o mal contra as mulheres e, mais importante ainda, não podem destruir a magia que alimenta a terra, que sustenta a vida e que de todos cuida.
Finalmente, despertos do seu pequeno mundo, os Fea dividem-se, enquanto uns se unem a esta causa maior ao reconhecerem os caprichos do seu passado, outros terão pagar um elevado preço pela sua arrogância. O que não pode acontecer, de forma alguma, é manterem-se indiferentes face a uma causa que está a destruir os seus clãs, que pode destruir o mundo como o conhecem.
Num recanto do mapa, a Serra Mãe faz a sua parte, desperta, revela-se. As suas Filhas mais poderosas vão lutar e como arma terão toda a energia e magia que consigam alcançar, independentemente do seu lema de bondade, porque para a luz prevalecer a maldade terá de desaparecer, morrer.
A última e grande batalha vai começar… muitas vidas serão perdidas, muitas almas serão estropiadas mas no fim, suprimindo as lágrimas, aquelas a quem a Mãe abençoou, seja qualquer for a sua raça, terão de vencer. Não existe segunda opção.

Grande parte do leque de personagens deste terceiro livro já são familiares ao leitor, que terá obrigatoriamente de ler os seus antecedentes, Os Pilares do Mundo e Luz e Sombras. Assim sendo, O Caçador, Senhor do Viço, Ashk é tudo aquilo que prometeu anteriormente e um pouco mais. A sua força, a sua garra causam arrepios e fascínio em simultâneo ao desempenhar nestas páginas um dos papéis principais da dura luta que se aproxima. Uma das minhas personagens favoritas, A Ceifeira, Morag, revela-se tão humana quanto possível, algo que já vinha a permitir antever, infelizmente o seu papel é muito ingrato nesta narrativa e, como sempre, enterneceu o meu coração.
Para além das duas protagonistas que acabei de citar, as várias Bruxas que já conhecemos, ou que só agora se entram em cena, são o que são, são as verdadeiras Filhas da Mãe que não conseguimos deixar de idolatrar. A sua benevolência, a sua força e a sua perseverança são incentivo mais que suficiente para maravilhar, uma e outra vez, ao sofrerem e renascerem consecutivamente por aquilo em que acreditam. Breanne é uma destas Bruxas que ficará na memória do leitor.
Uma das personagens que só agora vem enriquecer o enredo é Selena. Não podendo deixar de a citar, também não vos posso falar muito sobre ela sem fazer muitos spoilers, no entanto digo-vos que sem ela este livro não seria o mesmo e que a sua actuação ao longo da história extraordinária.
Antes de terminar, relativamente aos intervenientes deste texto, tenho obrigatoriamente de citar Adolfo, o Inquisidor-Mor, também conhecido por Flagelo das Bruxas. Este é o vilão dos vilões, que já cometeu as atrocidades mas vis e retorcidas que se possa imaginar mas que consegue ainda surpreender neste terceiro livro. A sua perversidade não tem fim, ele é realmente muito bom. 

Em relação ao cenário, este é ligeiramente mais abrangente que os anteriores visto que existem várias frentes de batalha com ambientes diferentes o que, não só põe à prova as criatividade de Bishop, um desafio que foi totalmente superado, como também nos permite observar a magia de muitas perspectivas diferentes, o que é magnífico. O poder é palpável ao longo das páginas, o leitor esta completamente envolvido por toda a acção e sente enraizar-se a força que brota da própria Terra para aqueles que a conduzem.
Este é igualmente um livro em que tudo está a um nível superior e mais intenso, onde cada passo dado pelos intervenientes é crucial e, consequentemente, são várias as histórias que decorrem em paralelo mas que visam o mesmo fim.

Uma das passagens mais fortes é, na minha opinião, quando conhecemos a origem dos Fea, Wiccafea, Povo Menor e das Feiticeiras e, embora este esteja apresentado uma glosa – pequena história dentro de outra –, é tão bela que me chegou ao coração. Bishop tem destas coisas, conquista e comprova o seu mérito com simplicidade e, quando o leitor se apercebe, ela já cimentou um lugar muito especial nas minhas estantes. 

Em relação à mensagem que é passada para o leitor, esta não difere muito do habitual, sendo todo o texto é uma ovação à glória feminina em todo o seu esplendor. No que respeita às descrições, os actos de horror são excelentes, como sempre, e tão equivalentes quanto contraditórios às soberbas reproduções do maravilhoso. Quem conhece esta autora sabe que ela tão depressa nos embala como nos deixa suspensos em momentos de medo e tensão, em relação a personagens por quem temos estima, e aqui não foi excepção, alguns perder-se-ão.

Acho que já vos disse tudo sobre Anne Bishop, por isso reafirmo apenas que é uma contadora de histórias incomparável e uma criadora de mundos magistral, que se faz acompanhar por uma escrita bonita e cuidada, que oferece o verdadeiro prazer da leitura.
Neste seu livro destaco as sensações e contrariedades, onde o leitor sente com naturalidade o cheiro da Mãe Natureza e do derramamento de sangue, onde a cor incorpórea de um espírito cresce e expande com a dor de todas as almas do mundo e onde a esperança é maior arma face à derrota de quem quer ir mais além.  


Quanto a mim, senti-me inundada de poder e maravilhei-me com as Bruxas em particular. No geral, considerei todo o livro  extraordinário e a um nível muito superior das minhas leituras habituais.
Citando a própria autora: «Feliz por este encontro, com felicidades me despeço e feliz seja o reencontro.» Eu acredito que será e já estou cheia de saudades de voltar a folhear Anne Bishop.

Uma aposta maravilhosa da Saída de Emergência, que continua a trabalhar para trazer para terras lusas o que de melhor se produz deste género lá fora. Recomendo sem qualquer restrição a todos os leitores de fantástico.

Volumes 1 e 2
Trilogia Os Pilares do Mundos


Os Pilares do Mundos (Opinião)
Luz e Sombras (Opinião)



Título: A Casa de Gaian
Autora: Anne Bishop
Género: Fantasia


Redes Sociais

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Até 23 de Junho!

Editorial Presença*

Editorial Presença*
Passatempo - Resultado em breve!

*Passatempo*

*Passatempo*
Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide