Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Sinopse:
Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor.
A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado na minha vida até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia.
Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida.
Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e… desejos.
Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.

O romance sensual afirma-se e é um dos géneros literários mais procurados do momento. Seja ele mais ou menos erótico, desenvolvendo-se na actualidade ou numa época especifica do passado, certo é que tem a capacidade de chegar ao público feminino em geral e, neste caso em particular, vem comprovar o recente sucesso da chancela 5 sentidos da Porto Editora. Rendida, o mais recente título desta marca, caracteriza-se por uma forte carga de luxuria, o real sentido da palavra poder e o espelho de dramas psicológicos raramente evidentes para terceiros o que, para o leitor, poderá ser uma forte motivação na tentativa de descobrir mais através do olhar invulgar do intenso casal que protagoniza a série Crossfire.

Eva é uma jovem em ascensão no início da sua carreira e, rapidamente, destaca-se por poder ser o protótipo que muitas mulheres desejam alcançar devido à sua confiança, inteligência e beleza incontornáveis que já provaram ser irresistíveis ao olhar de variados espécimes masculinos.
Gideon é patrão (eu não resisti, tinha mesmo de utilizar esta expressão). Alto, com um porte invejável, irradiando poder e virilidade por todos os poros, este homem é o astro em torno do qual todas desejam girar e Eva, logo no primeiro encontro casual, não consegue resistir à tremenda atracção do seu olhar. Juntos, Eva e Gidion, são personagens tremendamente cativantes. A perspectiva que ambos partilham sobre relacionamentos, com delicadas reticências, aliada a dois passados difíceis e capazes de despertar muitos medos é um cocktail perfeito e torna esta narrativa ousada e actual que, após a última página, deixará um desejo imenso de continuar a ler.

Não faz sentido para mim, como fazedora de opiniões, aprofundar esta minha recensão sem em primeiro lugar citar uma das questões com que mais me tenho defrontado, falo-vos, efectivamente, das similaridades entre a trilogia Fifty Shades e a série Crossfire e, assim sendo, vou ser muito directa em relação a este tema que a mim me tem passado ao lado. Ora vejamos, ambas as personagens masculinas são possessivas e sentem uma necessidade de controlo compulsiva, ambos têm dinheiro e ambos têm problemas psicológicos. Fim de comparações.
Existem tantos, tantos outros livros que alcançam o sucesso tendo por base pontos em comum com narrativas mais antigas que, a mim, me custa criticar esta questão. Lamento se vos desiludo. Adiante…

Aquilo que realmente me suscitou a atenção e destaco com maior prazer em Rendida são as suas personagens. Tanto Eva como Gideon são livres de ambiguidades e têm, definitivamente, tudo a ver um com o outro, se é que me faço entender. Ela é uma mulher sensacional por tudo o que já ultrapassou e por tudo aquilo a que sujeita em nome da paixão que sente, não deixando que o passado, no geral, crie conflitos na sua rotina diária e social. É claro que, se falarmos de um parceiro opressivo, pode surgir alguma incompatibilidade e, emocionalmente, a questão complica-se mas é aí que se encontra parte da graça do enredo que, com o decorrer do texto, tudo acaba por fazer bastante sentido. O mesmo se passa com Gideon que, embora não me fascine por aí além e por vezes demonstre inseguranças, depressa nos permite antever o muito que tem a oferecer.
Algo que também gostei, foi das personagens secundárias. São bastante problemáticas e assentam perfeitamente na relação que tem com o casal principal com as suas psiques controversas.

Relativamente à abordagem utilizada para tratar os temas variados que vão surgindo na obra, esta é actual e desenrola-se de forma interessante. Os dilemas entre personagens são explorados coerentemente e o leitor reconhece com facilidade as hesitações dos intervenientes que não lhe são completamente alheias. O romance surge veloz, arrebatador e com uma ferocidade escaldante que principia muitos relacionamentos fugazes sendo, ainda assim, bonito quando se desenvolve e minimamente credível. A palavra poder, associada ao dinheiro, é em parte partilhada por Eva o que torna tudo um pouco mais atractivo exercendo o devido fascínio por todas possibilidade que acarreta. Por fim, a sexualidade é a abordagem mais constante, com descrições apelativas e que roçando um ligeiro extremo mas não é invulgar, pelo menos neste primeiro livro, o que cria uma certa familiaridade picante que agradará às adeptas deste género de leituras.

Sylvia Day tem uma escrita bastante assertiva e direccionada para o entretenimento, o que proporciona uma leitura surpreendentemente célere e aprazível. Eu li o livro num dia.
O ambiente é envolvente, mas nada de extraordinário, com os cenários servindo apenas para que quem lê se situe de acordo com o que desenrola em redor da acção.
Nesta primeira obra fica, para mim, a sensação que a voluptuosidade tem um lugar de destaque e irrepreensível existindo, desta feito, ainda muito por desenvolver depois deste final que é impróprio para qualquer leitor que se preze.

Quanto a mim, não fiquei deslumbrada por nada em particular mas fui suficientemente envolvida para deseja saber muito mais sobre a série. Gostei muito, como já deu para perceber, das personagens e isso é algo que considero fundamental numa boa leitura. Diverti-me com este texto e tive, definitivamente, um bom momento.

Este livro é, como citei anteriormente, uma aposta 5 Sentidos que tenho tido imenso prazer em descobrir agora com Sylvia Day e, anteriormente, com sensualidade de época pelas magníficas palavras de Lisa Kleypas. Atrevo-me, portanto, a dizer que 5 Sentidos terá de ser presença obrigatória na alcofa de muitas senhoras, e não só.

Título: Rendida
Autora: Sylvia Day
Género: Romance Sensual
Editora: Porto Editora – 5 Sentidos.


4 comentários :

Mafi disse...

Eu também gostei deste, mas achei o 2º ainda melhor! Realmente, na minha opinião é muito parecido com o Grey, mas sem dúvida com melhor qualidade! :)

Elphaba J. disse...

Estou ansiosa pelo segundo :)
E sim, estas personagens são, no mínimo, mais coerentes o que torna o livro o melhor, mas o Grey também tem as suas qualidades... é subjectivo eu acho.

Beijinhos*

Leitura Não Ocupa Espaço disse...

O segundo é espectacular, e distancia-se do Grey a léguas!

Elphaba J. disse...

Que boas notícias Leitura :)

Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide