Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Sinopse:
Uma batalha entre as forças do bem e do mal está prestes a começar.
De um lado Lilith, a vampira mais poderosa do mundo. Do outro, a deusa
Morrigan, que tudo fará para a travar com o seu círculo…

Tendo crescido numa família de caçadores de demónios, Blair Murphy tem os seus próprios demónios pessoais com que lidar – o pai treinou-a, mas depois abandonou-a, e o noivo afastou-se após descobrir a sua verdadeira identidade.
Agora vê-se na posição de treinar um feiticeiro da Irlanda do século XII, uma bruxa de Nova Iorque, um erudito e um metamorfo da terra mítica de Geall. Para piorar as coisas, tem que se controlar para não ir à caça do sexto membro do círculo, um vampiro criado por Lilith, a rainha dos vampiros que têm de derrotar.
Não sendo mulher para fugir a uma boa luta, Blair encontra um desafio à sua altura no bonito e galante Larkin, o metamorfo.
Mas um desafio ainda maior serão os confrontos com seguidores de Lilith que irão testá-la até ao limite. Conseguirá Blair manter-se viva tempo o suficiente para derrotar o exército de Lilith? Ou irá ceder à única coisa que jurou nunca mais voltar a sentir?


O Baile dos Deuses é o segundo livro pertencente à Trilogia do Círculo que se iniciou com o título A Cruz de Morrigan. Após a apresentação daqueles que, sendo tão diferentes e de tempos tão distantes, se uniram impedir que um grande mal se espalhasse por todos os mundos, é chegada a hora de conhecerem melhor o seu inimigo, limarem os seus poderes singulares e prepararem a sua estratégia para a batalha final sem que, em momento algum, se esqueçam da arma mais poderosa que o bem possui, o amor.

Depois de um primeiro volume claramente introdutivo e com muita informação para o leitor assimilar, esta narrativa trás finalmente a merecida acção para uma história bem imaginada e com protagonistas bem caracterizados.
Se anteriormente nos focámos em Glenna e Hoyt, a bruxa e o feiticeiro, quem agora merece destaque é a guerreira e o metamorfo, Blair e Larkin, duas personagens cativantes, com elevado sentido de humor e que sabem manter entre si um nível elevado de sedução sem que nunca ponham de parte o seu objectivo principal, preparar a batalha que, eventualmente, eliminará a terrível Lilith, uma vampira milenar que domina tudo o que a rodeia pela sua sede de sangue.
Com aptidões específicas, muito diferentes das que foram exploradas anteriormente, este novo casal trás consigo, por um lado, um passado que é relevante para o enredo, e por outro, novas criaturas para regozijo dos amantes de fantasia. Blair e Larkin são uma verdadeira lufada de ar fresco para dar novo ritmo à história que anteriormente, embora tenha criado expectativa, deixou a sensação de que muito tinha ficado por explorar e que, agora, começa finalmente a revelar todo o seu potencial.

A autora é, em primeiro lugar, uma romancista, o que fica evidente no momento em que ela une mais dois protagonistas do Círculo composto por Morrigan, de três homens e três mulheres para combater os vampiros. No entanto, é muito importante afirmar que embora o amor seja uma emoção crucial e que impulsiona vários momentos da narrativa, este não é, de todo, o único factor central de interesse uma vez que a magia e a fantasia dominam, quase na totalidade, estas páginas.
Para quem leu o livro anterior, poderá contar com a exploração, mais aprofundada, de todas as personagens envolvidas, paralelamente aos conhecimentos relacionados com os vampiros, permitindo antever o lado mais maléfico e cruel destas criaturas. Pormenores relacionados com a interacção dos intervenientes vindos do passado na actualidade voltam a ser muito apelativos, ainda mais se se tiver em conta que Larkin é um protagonista desinibido e simpático contrastando com os carrancudos Hoyt e Cian.
Como aperitivo digo-vos ainda que existirá uma nova alteração de cenário muito, muito bem-vinda e que irá estimular ainda mais esta história que se encontra no seu auge prometendo deixar os leitores do livro anterior, certamente, ansiosos pelo final desta trilogia.

Nora Roberts é uma autora de talento, ou não teria ela publicado dezenas de romances com uma legião de fãs por todo o globo.
A sua escrita é simples e acessível adaptando-se a qualquer tipo de leitor, assim como as suas descrições, que sem serem demasiado extensas, são suficientemente pormenorizadas para que nada seja deixado ao acaso, principalmente agora que o lado mais medieval começa a ser explorado.
Trabalhando primorosamente as batalhas, assim como todo o lado afectivo, penso que o público em geral ficará satisfeito com o resultado final que tanto agradará aos leitores de romances como aos adeptos do género fantástico.
Penso que autora cuida a sua escrita, maioritariamente, nas relações desenvolvidas entre os seis personagens principais mas, afinal de contas, são eles que criam empatia e conquistam o leitor nesta luta entre o bem e o mal, nesta luta onde apenas o amor poderá sair vitorioso, ou pelo menos eu assim o espero. Veremos, tudo pode acontecer e Nora já mostrou anteriormente saber dar reviravoltas ao enredo.

Para mim que sou uma estreante com esta autora, após reticências iniciais, fui com este segundo livro completamente seduzida pela sua história.
Embora, por vezes, gostasse de ver um enredo um pouco mais sombrio, ou com um pouco mais de terror, afinal estamos a falar de vilões sanguinários, penso que na criação de tensão, quando se trata de anteceder pequenas batalhas ou mesmo com a aproximação da batalha final, o efeito geral está bem conseguido.
Gostei muito do casal explorado, acho que fazem uma dupla extremamente apelativa e cativante, mas confesso-vos que estou particularmente curiosa para ver como a próxima relação, com as personagens mais discrepantes entre as seis exploradas, se irá desenvolver.
Com o final deste livro fiquei, claro está, cheia de vontade de pegar no próximo volume e começar já a folhear para saber como tudo termina, o que se deve, em parte, ao facto deste volume se ter revelado uma surpresa tão agradável e com um nível visivelmente superior ao seu antecedente.
É importante ainda frisar que este livro trás uma surpresa no final para os amantes de Kim Harrison que eu, sendo uma fã inveterada, gostei muito!

1 Volume - Trilogia do Círculo
Esta história é uma boa posta Chá das Cinco, do Grupo Saída de Emergência, que procede ao livro A Cruz de Morrigan pertencente à mesma trilogia. Já no próximo mês de Agosto os fãs podem contar com a publicação de O Vale do Silêncio, um livro que eu não vou querer perder. Uma leitura que sugiro aos amantes de fantasia e de romance que procurem um bom escape com elevado entretenimento.


Título: O Baile dos Deuses
Autora: Nora Roberts
Género: Fantasia. Romence.
Editora: Chá das Cinco – Grupo Saída de Emergência 

Uma batalha entre as forças do bem e do mal está prestes a começar. De um lado Lilith, a vampira mais poderosa do mundo. Do outro, a deusa Morrigan, que tudo fará para a travar com o seu círculo…

Título: O Vale do Silêncio
Autora: Nora Roberts
N.º Páginas: 304
PVP: 17,76 €
ISBN: 9789897100376

Sinopse:
Após ter viajado no tempo através do Baile dos Deuses para o antigo reino de Geall, Moira toma o seu lugar como rainha. Ao lado dos seus cinco companheiros, Moira terá que liderar os seus súbditos, na maior batalha alguma vez vista, contra o exército de vampiros de Lilith que tudo fará para destruir Geall. Moira também não esqueceu que os vampiros mataram a sua mãe e esta é a oportunidade de se vingar. Mas há um vampiro a quem confiaria a sua alma: Cian foi transformado em vampiro por Lilith há séculos, mas agora é fiel ao Círculo. Sem hesitação, irá matar outros da sua espécie, ganhando o respeito da rainha. Mas Cian quer mais do que o respeito de Moira, mesmo sabendo que esse amor o deixa vulnerável. Pois como poderá um imortal amar uma mulher que está condenada a morrer – ou pelas mãos de Lilith ou pela maldição do tempo?

Não perca a emocionante conclusão da Trilogia do Círculo onde Nora Roberts volta a fazer magia com uma escrita sensual e cativante.

Sobre a autora:
Com mais de 200 milhões de cópias vendidas em todo o mundo e cerca de 90 bestsellers na lista do New York Times, Nora Roberts foi a primeira autora a ser convidada para o Romance Writers of America Hall of Fame. Nascida em Silver Spring, Maryland, é a mais nova de cinco filhos e vive em Keedysville, onde continua a escrever.

Saiba mais em: Saída de Emergência


Um romance sobrenatural divino.

Título: Anjo Sombrio
Autora: Cynthia Hand
N.º Páginas: 288
PVP: 17,91 €
ISBN: 9789896374464

Sinopse:
Durante meses, Clara Gardner treinou para enfrentar o incêndio das suas visões, mas nada a preparou para a escolha que teria de fazer nesse dia. E no rescaldo do incêndio, descobriu que ao contrário do que pensava, nada é o que parece quando se tem sangue de anjo.
Agora, está dividida entre o amor que sente por Tucker e as dúvidas que Christian lhe desperta, pelos papéis que ambos parecem estar destinados a assumir num mundo que tem tanto de belo como de perigoso. Clara debate-se ainda com uma revelação chocante: alguém que ama vai morrer dentro de meses. Perante um futuro incerto, a única certeza que Clara possui é a de que o incêndio foi apenas o início. Depois de Celestial, Cynthia Hand retrata a alegria do primeiro amor, a angústia da erda e a desorientação por que passamos ao descobrir quem somos.

«Encantador, emocionante e romântico. Não era capaz de parar de ler.» - Melissa Marr

Sobre a autora:
Cynthia Hand divide o seu tempo entre o sul da Califórnia, onde vive com o marido e o filho, e o sudeste de Idaho, perto das Montanhas Teton. Dá aulas de escrita criativa na Universidade de Pepperdine.

Saiba mais em: Saída de Emergência

sábado, 28 de julho de 2012


Com o magnífico apoio da editora ASA chega ao fim mais um passatempo no blogue.

Para sorteio encontrava-se um exemplar do apaixonante livro A Casa dos Primatas de Sara Gruen pertencente à colecção Livros com Sentido. Uma história que tocou o meu coração.

Gostaria de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime haverá mais oportunidades em breve.

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*60Ana (…) PimentaCandoso S. Tiago

Os meus sinceros parabéns ao vencedor/a, espero que disfrute de uma excelente leitura.
Boas leituras para todos. 

Sinopse:
Grania Ryan tem em Nova Iorque a vida com que sempre sonhou. Tudo é perfeito até ao dia em que o seu desejo mais íntimo é brutalmente estilhaçado. Arrasada, Grania decide voltar à Irlanda e aos braços da sua adorada família. E é aqui, à beira de uma falésia, que conhece Aurora Lisle, a menina que vai mudar profundamente a sua vida.
A ligação entre ambas é imediata e profunda. Pouco a pouco, Grania descobre que as histórias das suas duas famílias estão estranha e intrinsecamente ligadas…
De um agridoce romance na Londres do tempo da grande guerra a uma relação tempestuosa na Nova Iorque contemporânea; da devoção a uma criança terna e carente a memórias esquecidas de um irmão perdido, o passado e o presente das famílias Ryan e Lisle estão unidos há um século. Cem longos anos de equívocos e segredos, paixões e ódios… Apenas a intuição e a coragem de Aurora poderão quebrar o feitiço e vencer as barreiras que o passado ergueu.

A Menina na Falésia é uma história maravilhosa. Adaptada a públicos variados, devido à singularidade e mestria do seu texto, esta narrativa chega a ser encantatória envolvendo totalmente o leitor nos conflitos e amores que tomaram conta de várias gerações entre duas famílias destinadas a estar unidas.

Existe na memória uma força poderosa que faz crescer o medo e, mesmo que essa memória seja tão antiga como os erros e as paixões que dominam estas personagens, é imprescindível aprofunda-la, conhece-la minuciosamente, para que se possa vencer os medos, regressar do passado e, finalmente, viver livremente no presente.
Aurora é sem dúvida a grande personagem deste livro. Embora ainda seja criança, e viva na actualidade, é ela quem nos introduz em cada fase desta complexa história que vai desde a Primeira Grande Guerra aos dias de hoje, com cenários diversificados. Com uma beleza rara, esta menina que Grania conhece na falésia, é dotada de uma grande astucia e inteligência, sendo no entanto carecida de afecto e atenção o que permitirá Grania entrar na sua vida. De mãos dadas estas almas mergulharão no passado, descobrirão que ainda é possível ser-se feliz e, embora existam lágrimas, tentarão encontrar no amor a cura para a tragédia que tomou conta das suas famílias.

Com diversos pontos de interesse, destaco a brilhante Aurora pela forma como agarra o leitor do princípio ao emocionante final deste livro. Através de palavras sinceras, desabafos doces e lembranças fiéis, ela tem a capacidade de provocar um turbilhão emocional em todos os tempos vivenciados. O ambiente místico, a sensação de que algo transcende a realidade credível descrita, é outro dos motivos que intensifica e cativa a percorrer estas páginas que são repletas de personagens variadíssimas e, todas elas, com um papel crucial no enredo.
Este é também um livro muito rico em pormenores, em qualquer data ou local que o leitor esteja a folhear. Da diferença entre classes sociais em Londres no início do século XX, aos problemas actuais de qualquer jovem em ascensão na actual Nova Iorque, passando pela mentalidade de uma Irlanda rural, nada é deixando ao acaso e em cada vida, das muitas exploradas, existe algo que marca pela diferença. Nada é demasiado aprofundado, mas tudo é suficientemente retractado para que seja possível sentir, enquadrar, o universo ficcional.
Uma história de vida, de vidas, de medos e que conquistas, de paixões e separações. Uma história de guerra e de amor, sobre a família e a sua simplicidade, por vezes complicada, mas sempre, sempre transbordante de sentimentos. A história de uma herança e de Aurora.

Lucinda Riley tem uma imaginação prodigiosa, algo que se verifica pela forma como entrança os fios de vidas tão variadas que, por sua vez, enlaçam o leitor completamente no seu enredo.
A sua escrita tem tanto de simples como de bela e as suas descrições são primorosas transportando com facilidade quem lê para os cenários repletos de significado e fielmente adaptados à época em questão.
As emoções transmitidas são papáveis e fácil criar empatia com os retractos representados e neste caso, creio, que a diversidade conquista na mesma medida que a singular da magnífica Aurora
Uma autora que chegará a muitos leitores com a sua voz sublime, com a capacidade de transmitir afecto e com as suas personagens apaixonantes, transportando o leitor ao longo dos tempos numa história fascinante que conquistará aqueles de coração aberto se entregarem a estas suas famílias.

Eu confesso-vos que adorei este romance. Já tinha recebido alguns comentários positivos mas, sem expectativas, fui facilmente atraída para esta narrativa que me surpreendeu totalmente.
O meu ritmo de leitura foi voraz o que se deveu, em grande parte, à intensidade do enredo. Quando na primeira página li a introdução da protagonista foi impossível não querer desvendar o seu passado e a verdade é que quanto mais descobria mais me enternecia, num ciclo vicioso, com uma ou outra lágrima e muitos sorrisos, que me envolveram emocionalmente.
Adorei Aurora. É uma protagonista indescritível e que supera largamente aquilo que normalmente tenho oportunidade de folhear, é de uma ternura e inocência tocantes que, ao mesmo tempo, não põem de parte a sua inteligência por um bem maior que deve prevalecer sempre, o amor e as muitas formas que existem de amar.

Esta é uma aposta lindíssima por parte da ASA que abraçará muitos corações de forma complexa mas através das emoções simples. Um livro que sugiro, sem qualquer restrição, a todos os leitores de romances.

Título: A Menina na Falésia
Autora: Lucinda Riley
Género: Romance
Editora: ASA 

Quem escreveu a carta sabia-o. Mas não temeu as consequências. Muitos anos fora cometido um erro terrível. A verdade há muito que devia ser conhecida…

Título: Uma Carta Inesperada
Autora: Barbara Taylor-Bradford
N.º Páginas: 432
PVP: 16,90 €
ISBN: 9789892319797

Sinopse:
Justine Nolan é uma mulher de sucesso com uma carreira artística fulgurante. Mas as memórias que guarda com mais carinho remontam à sua infância, um tempo que recorda como mágico. De visita a casa da mãe, Justine abre inadvertidamente uma carta que vai mudar tudo o que ela julgava saber sobre a sua família e até sobre si própria.
As revelações são tão chocantes que a jovem pede a ajuda e o conforto de Richard, o seu irmão gémeo. Juntos, resolvem descobrir a verdade custe o que custar. Mas para o fazer, ela terá de viajar até Istambul – a vibrante e sedutora cidade onde se cruzam Ocidente e Oriente. É um lugar com os seus próprios segredos e cujo magnetismo aproxima Justine de um homem fascinante que parece saber mais do que aquilo que está disposto a revelar.
E quando os enigmas ocultos durante décadas pareciam finalmente deslindados, Justine recebe um revelador livro de memórias. No coração deste diário reside a sua verdadeira identidade. Esta é a sua grande oportunidade de sarar as feridas de traições do passado e de abraçar um novo amor e uma nova vida…

Mais uma grande história de uma escritora magistral.” - The Sun

Sobre a autora:
Barbara Taylor Bradford nasceu e cresceu em Inglaterra. Começou a sua carreira no Yorkshire Evening Post e trabalhou depois como jornalista em Londres.
O seu primeiro romance, Uma Mulher, foi um bestseller instantâneo e, desde então, já escreveu mais vinte e seis romances. Os seus livros venderam já mais de 82 milhões de exemplares em mais de noventa países e quarenta línguas, tendo sido por diversas vezes adaptados para o cinema e a televisão. Em 2007 foi agraciada pela rainha Isabel II com a Ordem do Império Britânico pelos seus serviços à literatura. Vive atualmente em Nova Iorque com o marido, o produtor televisivo Robert Bradford.
Uma Carta Inesperada é o seu primeiro romance a ser publicado na ASA.

Saiba mais em: Chocolate Para a Alma


A Menina que Deus Despertou é uma história real. É uma história sobre o poder da fé, narrado por uma Mãe que nunca desistiu. E agora tem ao seu lado uma filha a quem tudo o que Deus parecia ter tirado foi devolvido – a dobrar.

Título: A Menina Que Deus Despertou
Autora: Linda Barrick
N.º Páginas: 272
PVP: 14,50 €
ISBN: 9789892319865

Sinopse:
Jen tinha 15 anos quando um grave acidente a atirou para um coma profundo. Deram-lhe um dia de vida. Mas passado um mês ela despertou. Não se lembrava do seu apelido, não somava dois mais dois. Mas cantava com a voz de um anjo. Cântico de louvor a Deus, pois tinha sido salva - por um milagre.
O acidente foi notícia de abertura de todos os telejornais no dia 5 de Novembro de 2006. A família Barrick ia a caminho de casa, vinda da Igreja. No caminho foram surpreendidos por uma camião que vinha aos ziguezagues em sentido contrário, a 130 quilómetros por hora. Os dois veículos chocaram de frente com uma violência insana. A carrinha ficou desfeita.
O filho mais novo escapou miraculosamente intacto, mas os pais ficaram com múltiplas fraturas. E Jen entrou em coma. Parecia o princípio do fim. Mas a fé começou a produzir um milagre. Jen, estudante de nota máxima a todas as disciplinas, atleta de eleição, resistiu às múltiplas fracturas cranianas, à quase cegueira. E acordou cinco semanas mais tarde. Não conseguia falar com ninguém, não ligava duas frases. Mas recordava passagens inteiras da Bíblia, falava com Deus - e Deus respondia-lhe. O Milagre de Jen é uma história real - profundamente real. É uma história sobre o poder da fé, narrada por uma mãe que nunca desistiu.
 
Sobre a autora:
Linda Barrick, mãe de Jen, é uma oradora motivacional, que trabalha sobretudo em rádio e relevisão. Lidera um grupo de Estudos Bíblicos com mais de 500 mulheres, e co-apresenta um programa de TV, Lighting the Way, com o seu pai. A família Barrick vive em Lynchburg, no estado da Virginia (EUA).
quinta-feira, 26 de julho de 2012

Sinopse:
Emmi e Leo são os protagonistas de um amor virtual apaixonante, que passou por todo o tipo de emoções, menos a de um encontro físico. A relação, iniciada no irresistível Quando sopra o vento norte, parece ter chegado a um impasse. Leo decide partir para os EUA, renunciando a um amor impossível.
Quando regressa, longos meses depois, o encontro entre ambos concretiza-se. Mas Emmi continua casada e Leo tem em Pamela o amor estável com que sempre sonhara.
Só que, na verdade, os dois amantes nunca estiveram mais apaixonados. Conseguirão eles, por fim, vencer o destino que parece teimar em separá-los?

Emmi e Leo, A sétima onda é um delicioso romance leve, divertido e, acima de tudo, extremamente actual. Sem grandes complicações ou complexidade este enredo conquista por isso mesmo, pela forma simples como é dada ao leitor a oportunidade de explorar e conhecer a relação, que começou no anterior título Quando sopra o vento norte, entre Emmi e Leo, dois jovens adultos complexos e com um prazer em comum, comunicar.
Este segundo livro começa exactamente onde o anterior terminou e daí que seja indicado para quem já conhece a base da história, no entanto é em Emmi e Leo, A sétima onda que o desenlace ocorre após a positiva surpresa que, acredito ser, para muitos leitores, folhear pela primeira vez este autor.  

Os pontos de interesse são muito variados, começando pelas personagens com as quais é fácil criar empatia e até mesmo uma ligação imediata pela sua credibilidade.
Emmi é uma jovem mulher casada que sente o peso da responsabilidade pela família de adoptou. Ela é irónica e perseverante nos seus desejos deixando, ainda assim, antever as suas fragilidades e medos através do correio electrónico, o seu escape para a rotina na qual já não se sente enquadrada. O mesmo acontece com Leo, se bem que ele é um pequeno génio da linguagem que, no entanto, nem sempre se consegue expressar para a mulher que idealizou perfeita e agora irá, finalmente, conhecer.
A troca de comentários, informações, divagações ou revelações entre as personagens é deliciosa  e, curiosamente, foi a dificuldade que sentem em expressar-se no dia-a-dia que os leva a aprofundar uma relação que vai tomando proporções cada vez mais perigosas, atendendo à vida que ambos levam por trás dos monitores dos seus computadores.

A exploração dos pós e contras das relações virtuais e a forma como estas podem alterar e influenciar a vida comum é certamente outro dos pontos-chave e que dá que pensar. Se reflectirmos um pouco, desde o aparecimento da Internet que a sociedade mudou de forma radical e a maneira simples, utilizada pelo autor, para caracterizar esse fenómeno é fascinante.
À parte do que já foi dito, e até porque como citei este é um livro simples e a complexidade partirá do nível de reflexão que o leitor desejar atribuir ao enredo, esta é essencialmente uma história com um grau de entretenimento bastante elevado que é ideal para as férias ou para quem pretende, simplesmente, oferecer à mente algo com que se distrair sobre a tecnologia, as emoções humanas e, claro está, o amor.  

Daniel Glattauer tem um talento imenso. Não que a sua escrita seja tocante ou profunda, porque não o é. No entanto, abordagem que utiliza para chegar ao leitor, essa sim, marca pela diferença chegando positivamente a quem o lê.
No que respeita a descrições são escassas, breves e o cenário que envolve as personagens é parco, mas se se pensar nas descrições emocionais, das personagens, então existe algo de puro e comum que, sem qualquer, dúvida sensibilizará. Um retracto cuidado e minucioso, juntamente com desabafos e pensamentos que o leitor gostaria de roubar para si, caracterizam as duas vidas que são exploradas acabando por oferecer, de uma forma muito singular, beleza à palavra escrita.
Acredito que o autor terá tido em mãos uma tarefa muito árdua para conferir a totalidade de um enredo aos diálogos de duas personagens, mas é aí que está a magia de Daniel Glattauer que conquistará e apaixonará muitos corações.

Para mim que tinha lido Quando sopra o vento norte estava realmente ansiosa por pegar na continuação da história e não poderia ter ficado mais feliz com o resultado final. Os protagonistas finalmente conhecem-se, as emoções intensificaram-se e o humor continuou totalmente presente abrilhantando as sábias palavras do autor.
Foi uma leitura muito simples mas, confesso-vos, viciante. Li o livro num dia, em todos os minutos e em desespero total por cada email, tal e qual como Emmi sofreu. Incorporei a protagonista, é um facto, e ela presenteou-me com uma bela surpresa no final
Como sempre eu não me fico pela capa do bolo e, claro, andei a pensar para lá do romance. Fiquei fascinada a reflectir na forma como a Internet alterou o mundo e, neste em particular, as questões éticas e morais no que respeita a relacionamentos. À distancia de um clique sabemos o que se passa no globo, e a possibilidade de um endereço de email errado nos dar a conhecer, profundamente, uma pessoa proporcionou-me, efectivamente, algo para reflectir.

Livro Anterior
Este livro, tal como o seu antecedente, são uma aposta Porto Editora que eu sugiro, de forma particular, aos leitores de romance, mas também a todos aqueles que procurem algo diferente e descontraído.





Título: Emmi e Leo, a sétima onda
Autor: Daniel Glattauer
Género: Romance
Editora: Porto Editora

Finalista do Creative Scotland Book of the Year Award, Tudo o que sei sobre o Amor capta de forma brilhante o êxtase, a confusão e a frustração das relações. Seguindo as vidas interligadas de quatro personagens que vivem numa pequena vila escocesa, Rogerson explora as formas através das quais diversas pessoas, de diferentes contextos, culturas e idades, abordam o amor.

Título: Tudo o que sei sobre o amor
Autora: Cynthia Rogerson
N.º Páginas: 248
PVP: 16,60 €
ISBN: 9789722524247

Sinopse:
A pequena vila escocesa de Evanton parece calma, mas no coração dos seus habitantes vivem-se grandes tumultos. Ania, conselheira matrimonial, julga que compreende o amor. Mas quando se vê incapaz de resistir à forte atração por um estrangeiro que aparece na vila, todas as suas regras e listas deixam de fazer sentido.
Rose está farta do marido e o seu casamento está por um fio. O filho adolescente, Sam, acha que os pais enlouqueceram de vez, até que ele próprio descobre o amor.
Maciek, filósofo a trabalhar numa pizaria, fugiu da Polónia para esquecer um romance que acabou mal. Mas a vida num país estrangeiro complica-se ainda mais quando Maciek se apaixona por uma mulher casada.
A vida de cada um deles entrelaça-se com tantas outras, potencialmente com um efeito desastroso, enquanto todos tentam descobrir o que é afinal o amor.

«Uma excelente observadora das idiossincrasias humanas.» - Sunday Herald
«Um romance espirituoso, de uma autora de grande talento.» - The Guardian

Sobre a autora:
Cynthia Rogerson. É uma autora norte-americana que vive nas Terras Altas da Escócia. É autora de três romances. Nomeada para diversos prémios, ganhou o V.S. Pritchett Prize e já viu a sua obra escolhida para antologias e adaptada ao rádio e televisão.

Sebastian Barry foi, com esta obra, finalista do Man Booker Prize e vencedor do Walter Scott 2012, na categoria de romance histórico. O autor de «Escritos Secretos» e «A História de Eneas» mostra-nos mais uma vez a beleza da sua escrita e o seu dom para contar histórias.

Título: Do Lado de Canaã
Autor: Sebastian Barry
N.º Páginas: 232
PVP: 15,50 €
ISBN: 9789722523769

Sinopse:
Do Lado de Canaã conta a história da inesquecível Lilly Bere, que no início do livro está de luto pela morte de Bill, o seu neto. Mas depois somos levados ao passado, ao tempo em que Lilly foi obrigada a fugir de Dublin, em finais da Primeira Guerra Mundial, e seguimos a sua vida no mundo novo que é a América, um mundo cheio de esperança, mas também de perigo. Ao mesmo tempo épica e intimista, a narração de Lilly vai-se desenrolando numa vida trágica e rica e ela tenta dar um sentido aos seus desgostos e perdas.
Ao longo de quase sete décadas, concentradas num período de dezassete dias no presente, Lilly passou por duas guerras mundiais e viveu intensamente, através do filho e do neto, as guerras do Vietname e do Iraque. Conheceu a crueldade e a ternura dos homens, foi perseguida por uns e acolhida por outros e viveu duas grandes histórias de amor.

«Uma obra de grande beleza lírica.» - The Times

«Uma evocação lírica do exílio e do trauma, que contém uma série aparentemente infinita de imagens fortíssimas.» - Guardian

Sobre o autor:
Sebastian Barry nasceu em Dublin em 1955, onde estudou e foi Writer Fellow. Dramaturgo, romancista e poeta, conquistou diversos prémios literários, incluindo o Irish-America Fund Literary Award, o Christopher Ewart-Biggs Prize, o London Critics Circle Award e o Kerry Group Irish Fiction Prize. Foi finalista do Man Booker Prize por três vezes, com A Long Long Way, Escritos Secretos (vencedor do prémio Costa) e Do Lado de Canaã. Vive em Wicklow com a mulher e os três filhos.
quarta-feira, 25 de julho de 2012


Com o apoio maravilhoso da Contraponto terminou mais um passatempo no blogue.

Para sorteio encontrava-se um exemplar do livro A Estranha Viagem do Senhor Daldry do autor Marc Levy. Uma história fascinante que eu gostei muito.

Gostaria de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime haverá mais oportunidades em breve.

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

*85Susana (…) BértoloAmadora

Os meus sinceros parabéns ao vencedor/a, espero que disfrute de uma excelente leitura.
Boas leituras para todos. 

Não minto quando vos digo que fico muito feliz por poder oferecer um livro. Um dos meus mantras, em relação ao blogue, sempre foi impulsionar o gosto pela leitura e incentivar (mais e mais) as pessoas a ler.

Denise, a vencedora do passatempo Anne Bishop, foi extremamente atenciosa e não só me avisou da recepção dos seus livros, como me enviou esta linda fotografia!



Eu é que agradeço Denise! Espero que gostes muito destas histórias.

Boas leituras!

P. S. Convido todos aqueles que receberem um livro através do meu cantinho a enviarem as fotos. Não ficam lindas?

terça-feira, 24 de julho de 2012

Sinopse:
Carrie McClelland é uma escritora de sucesso a braços com o pior inimigo de qualquer artista: um bloqueio criativo. Em busca de inspiração, ela decide mudar de cenário e visitar a Escócia, onde se apaixona pelas belas paisagens e pelo Castelo de Slain, um lugar em ruínas que lhe transmite uma inexplicável sensação de pertença e bem-estar. Tudo parece atraí-la para aquele lugar, até mesmo o seu coração, que vacila sempre que encontra Stuart Keith, um homem que acaba de conhecer mas lhe é, também, estranhamente familiar.
Com o castelo como cenário e uma das suas antepassadas – Sophia – como heroína, Carrie começa o seu novo romance. E rapidamente dá por si a escrever com uma rapidez invulgar e com um imaginário tão intrigante que a leva a perguntar-se se estará a lidar apenas com a sua imaginação. Será a “sua” Sophia tão ficcional como ela pensa?
À medida que a sua escrita ganha vida própria, as memórias de Sophia transportam Carrie para as intrigas do século XVIII e para uma incrível história de amor perdida no tempo. Depois de três séculos de esquecimento, o “segredo de Sophia” tem de ser revelado.


O Segredo de Sophia é um belíssimo romance que une a ficção com factos históricos de forma tão homogenia como se da mais bela realidade se tratasse
Envolvendo intimamente o leitor com a escrita, esta é uma narrativa que se divide entre o presente e o passado, entre duas mulheres e o seu amor pela Escócia mas, acima de tudo, o seu amor por aqueles que lhes tocam o coração e dão sentido à sua própria história.

Não sei até que ponto é correcto separar as protagonistas deste livro, Carrie e Sophia, uma vez que ambas se unificam de uma forma tão perfeita que se traduzem na própria essência do livro.
Carrie é a personagem feminina na actualidade. Sendo escritora, ela tem algo de fascinante para quem gosta de ler retractando com primor todas as questões que abordam o desenvolvimento do processo de escrita, da árdua pesquisa à inspiração. A sua história é extremamente simples, mas nem por isso menos interessante, marcada pela sua sede de saber a respeito de gerações anteriores, do passado, e pela forma intensa como conjuga, e se permite envolver, numa época tão diferente da sua.
Por outro lado Sophia, no século XVIII, é um retracto fiel de uma jovem que se viu envolvida na guerra do seu país mas que, ainda assim, foi abonada pela sorte tendo o privilégio não só de encontrar abrigo, como de conhecer o amor. Não deixa de ter tido uma vida dura, é um facto, mas sem dúvida que foi para si enriquecedora devido ao afecto e apoio que foram as suas melhores armas contra a falsidade a perda entre as intrigas que moveram um reino e o destino Sophia, uma verdadeira princesa num castelo à beira mar,

São diversificados os pontos de interesse desta narrativa a começar pela veracidade das personagens históricas. O facto de muitas delas terem realmente existido, transporta a ficção para um patamar elevado conferindo-lhe um valor requintado que será, creio, muito apreciado pela maioria dos leitores.
O amor é um factor crucial e daí que este seja um romance histórico e ficcional. O amor que move os homens pela pátria querida, mas que deixa claro, em qualquer época, em qualquer tempo, que a mais gloriosa das suas batalhas é aquela que serena os corações.
Os finais, do passado e do presente, são lindíssimos, muito bem conseguidos, transformando as histórias  numa só, é perfeito. Sim, fica claro que existe por parte da autora algum embelezamento, no entanto é algo que não retira qualquer mérito à obra.


Susanna Kearsley é uma escritora de imenso talento e isso é revelador através da sua escrita cuidada e de todo o trabalho visível para credibilizar a sua história sem que, em momento algum, se percam os pormenores ficcionais que facilmente conduzem o leitor ao entretenimento.
As descrições, em ambos os tempos, são magníficas, havendo uma visualização do espaço prodigiosa no que que respeita a pormenores de época. O mesmo se passa com os intervenientes, palpáveis, que deixam transparecer a realidade das acções que há centenas de anos seriam usuais.
Por fim, penso que existe muito da própria autora na personagem Carrie o que só serve para transmitir uma maior empatia com o leitor que, se for adepto que de romances ou do género histórico, ficará sem dúvida deliciado com esta narrativa.

Para mim este livro foi uma verdadeira surpresa e causou-me um impacto bastante positivo, deixando-me a vontade de ler mais obras da autora.
Das personagens ao enredo penso que foi tudo criado com extremo zelo e é visível o imenso trabalho de Susanna Kearsley que transformou a ficção em algo credível com um cuidado e carinho que para mim foi evidente.
Este não é, de todo, o típico romance de entretenimento mas ele está lá e, portanto, senti que esta não só foi uma leitura extremamente gratificante como me deu imenso prazer. A Escócia é um país lindo que tenho muita vontade de conhecer e depois desta leitura, tenho a certeza que muitos leitores partilharam a minha vontade. Gostei mesmo muito.

Esta é uma aposta da ASA que chegará a muitas prateleiras pelas suas características singulares mas, principalmente, pela grandiosidade da sua narrativa. Uma leitura que sugiro a quem gosta de romances e de história, evidentemente. 

 
Título: O Segredo de Sophia
Autora: Susanna Kearley
Género: Romance Histórico; Ficção
Editora: ASA

Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide