Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

domingo, 17 de junho de 2012

Sinopse:
Um romance de magia e amor que está a encantar os leitores de todo o mundo através do fantástico poder da imaginação.
Um misterioso circo itinerante chega sem aviso e sem ser precedido por anúncios ou publicidade. Um dia, simplesmente aparece. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas vive-se uma experiência absolutamente única e avassaladora. Chama-se Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos) e só está aberto à noite. Mas nos bastidores vive-se uma competição feroz – um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, que foram treinados desde crianças exclusivamente para este fim pelos seus caprichosos mestres. Sem o saberem, este é um jogo onde apenas um pode sobreviver, e o circo não é mais do que o palco de uma incrível batalha de imaginação e determinação. Apesar de tudo, e sem o conseguirem evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor – um amor profundo e mágico que faz as luzes tremerem e a divisão aquecer sempre que se aproximam um do outro.
Amor verdadeiro ou não, o jogo tem de continuar e o destino de todos os envolvidos, desde os extraordinários artistas do circo até aos seus mentores, está em causa, assente num equilíbrio tão instável quanto o dos corajosos acrobatas lá no alto.

O Circo dos Sonhos é um bilhete de valor inestimável para um espectáculo de deslumbramento e beleza, um espectáculo de perigos fantasiados e segredos camuflados, um espectáculo onde os artistas darão origem à mais perturbadora história de amor de todos os tempos.
Todo o conceito em torno desta obra grita a palavra originalidade. O desafio, as personagens e a forma como o enredo se desenvolve surpreende ao virar de cada folha, a começar pela primeira página onde o leitor é convidado a entrar num circo que mudará a sua vida.

As personagens são muito variadas e mesmo as principais, unidas por um desafio em que desconhecem as regras, embora tenham em comum um poder, um dom, expressam-se de forma diferenciada, oferecendo duas versões do extraordinário, duas versões de uma maldição.
Celia era ainda menina quando o maior mago de todos os tempos a acolheu. Abusou de si, tornou-a sua, tornou-a uma peça fundamental de um jogo que cresceu dentro de si e que acabou por dominar toda a sua existência. Marco foi também ele escolhido, entre vários no sítio onde se encontrava perdido, e por cada ano que passava eram milhares as páginas de folheava até se tornar gigante sem razão, numa arte que tomou conta da sua vida, vida que pertencia ao seu tutor por ambição.
O tempo passou. E um circo foi criado para a perfeição e encanto do mundo e, até mesmo, dos que dele faziam parte. E um dia, numa audição, Celia fez o impossível e Marco descobriu que daí em diante não seriam apenas os livros e o trabalho a tomar conta dos seus dias.

Nesta história todas as personagens adquirem um papel relevante e, com diferentes tempos de entrada na narrativa, vão oferecendo novas possibilidades ao desenlace final que é totalmente inesperado. Tudo o que é considerado surpreendente para os intervenientes acaba por maravilhar o leitor, e a progressividade com que é introduzida informação possibilita uma descoberta ritmada como se de um passeio ao luar se tratasse, sem cor e a fervilhar de vida. É maravilhoso, simplesmente enfeitiça.

Erin Morgenstern é dotada de uma criatividade transcendente.
A autora tece, com vários fios, uma trama que alcança proporções inesperadas, conferindo assim diferentes tipos de narração, sendo que, por vezes, dirige a sua voz directamente ao leitor introduzindo-o directamente na história, o que permite uma proximidade, invulgar, aos que nesta intervêm.
A sua escrita não impulsiona uma leitura rápida, mas, sem dúvida, é encantatória embalando o leitor cadenciadamente em magia e cor, no preto e no branco, repletos de contrastes alusivos ao fantástico capazes de fazer suster a respiração.
Primorosa nas descrições, são tantos e tão intensos os quadros apresentados, que o leitor se vê domado pela ânsia de vivenciar o que prodigiosamente é representado, pelo que posso afirmar que o livro tem um dom particular para dar a ver o desenrolar da história.
Também nas emoções Erin se esmera, sendo a envolvência com os seus personagens um facto assente. São muitos os momentos em que sustemos a respiração pelo desenlace que teima em fugir daqueles com quem criámos afectos.
Sem dúvida que esta foi uma estreia imensa, que marcará acima de tudo pela diferença sem qualquer tipo de comparação a outras referências fantásticas porque a autora soube, e muito bem, deixar a sua marca própria e singular no grande universo mágico que nos dias de hoje conquista um leque de admiradores muito vasto.

Pessoalmente tinha expectativas bastante elevadas para esta leitura e foram totalmente superadas, posso dizer, literalmente, que fui encantada.
Embora o ritmo de leitura nem sempre fosse o que desejava, a verdade é que as descrições e os pormenores são tão belos que dei por mim a relê-los para reter um pouco mais em cada linha, em cada tenda mágica, de cada sabor e de cada cor que, embora todas elas fossem neutras, me ofuscaram por completo. Também eu fiquei presa neste desafio à vida e à morte, confesso.
A história de amor, por detrás de todo o conceito maravilhoso foi para mim apenas mais um extra, embora seja um ponto-chave. E foi a escrita que mais me surpreendeu, os diferentes cenários, as diferentes vozes e a forma como tudo se conjuga na perfeição que acabou por apresentar um final que me deixou pasmada.
Fica ainda uma nota para a edição que acho particularmente apelativa, desde a capa aos pormenores interiores, que dividem o livro em diferentes momentos de acção, sim, porque as datas são fundamentais. Num todo o livro é perfeito e sei que conquistará um lugar especial em qualquer estante, na minha terá de certeza porque gostei muito desta leitura.

Esta obra é uma aposta Civilização, que sugiro sem qualquer restrição aos apreciadores de fantasia em geral e, aconselho até, aos mais cépticos para que experimentem abrir os seus horizontes para um novo mundo surpreendente.

Título: Circo de Sonhos.
Autora: Erin Morgenstern
Género: Fantasia, Romance
Editora: Civilização

3 comentários :

addle disse...

Já li bastantes críticas a este livro e a verdade é que elas despertaram a minha curiosidade. Além disso, acho a capa fantástica. Diz-se que não podemos julgar um livro pela capa, mas para mim esse é um fator bastante importante.

Anónimo disse...

estou de olho nesse livro!
Já agora, já leu '' valete de copas e dama de espadas '' de joanne haris? é que já vi criticas ao livro que não são as melhores, mas parece até ser um livro interessante..

Elphaba J. disse...

Addle, este é um livro repleto de magia a começar pela própria capa que nos deixa fascinados a olhar para ela, concordo é linda! Acredito que vá gostar :)

Anónimo, não li. Da Joanna Haris só li "Na Corda Bamba" e confesso que já foi à vários anos. Em relação a O Circo dos sonhos eu gostei muito :)

Boas leituras para ambos(as).

Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide