Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quarta-feira, 30 de maio de 2012
Sinopse:
Aos seis anos Wendy escapa à morte quase por milagre - e quem a tenta matar é a própria mãe, acha que a filha não é sua, mas sim uma intrusa, trocada à nascença no hospital. Onze anos mais tarde, a estranha adolescente, de cabelos negros, começa a suspeitar de que a mãe, se calhar, até tinha razão. Na nova escola, mais uma entre tantas, ela sente-se posta à parte por todos. Menos por Finn Holmes, um rapaz silencioso e sombrio que se limita a olhá-la fixamente - e lhe desperta sentimentos contraditórios, um medo enorme, e uma irresistível atração.
Finn é um Achador, que a procura há anos. E agora que a encontrou, quer levá-la para casa, para o reino dos Trylle, onde Wendy vai descobrir o que sempre suspeitou - ela é mesmo diferente, e tem poderes mentais muito mais poderosos do alguma vez tinha imaginado...

A sensação de não pertença nasceu num dia fatídico e plantou a sua semente. A semente cresceu, floresceu, quase invisível mas ainda assim constante, até ao despontar de uma dúvida sombreada pelas pétalas onde se desenvolveu o medo, uma certeza recalcada, de que aquele poderia nunca ter sido o seu lugar.

Trocada é o primeiro livro da saga Trylle e abre-nos as portas para um novo mundo no tão saturado universo fantástico. Tipicamente um romance juvenil, esta é uma história de descoberta que aufere uma nova beleza a seres inexplorados, onde a magia flui a passo com uma verdade há muito tempo preservada.
Amanda Hocking oferece à sua escrita uma simplicidade que nos permite desfrutar da sua leitura num único sopro. Pelo que, após ler a sua narrativa, é fácil compreender o porquê de tantos elogios e creio que, também por cá, conquistará uma legião de fãs juvenis.

Confesso que após ter conhecimento do grande sucesso desta obra no estrageiro, bem como depois de ter efectuado uma análise atenta da informação na capabastante bonita por sinal –, foi com expectativas elevadas que iniciei esta leitura. E, embora não possa dizer que me desiludi, admitido que esperava mais pelo simples facto de este ser um livro que se encontra direccionado para um público muito específico, mesmo no género fantástico.

Com uma introdução que nos desvenda pormenorizadamente os acontecimentos trágicos descritos sinopse, a tentativa de homicídio por parte da mãe da nossa protagonista, seguida da sua descoberta de que a sua vida pode ter sido sustentada pelos alicerces da mentira, penso que o verdadeiro prazer desta leitura se encontra no factor surpresa para Wendy e na forma como o próprio leitor acaba surpreendido pelas novas, e entusiasmantes, informações.
Wendy não é uma adolescente típica, é mais rebelde, mais estranha e mais agressiva do que o normal, algo que tenta controlar sem sucesso, para grande infelicidade de sua disfuncional família que a ama, de forma quase incondicional, apesar das suas falhas. No entanto, ainda que não saiba lidar com isso, esta personagem retém dentro de si emoções muito belas que irão emergir com o aparecimento de Finn.
Finn foi um personagem que me agradou imenso, em diversos sentidos, embora tenha imensas contradições entre o sentir e agir, por força da sua criação, educação, ele é a nossa janela para um submundo maravilhoso e a âncora, embora inconstante, para um casal que descobrira o amor e lutará para se cingir a uma realidade quase cruel.

Todo o conceito que envolve o reino dos Trylle, a sua raça e a forma como subsiste é extremamente original, um ponto alto que se vai revelando e mantendo o interesse ao longo da narrativa, tenho a certeza que por aí cativará muitos leitores. As restrições, as regras, os poderes que se revelam lentamente, a par com a mediocridade que acaba por desiludir a nossa protagonista, conquistaram-me, ficando, no entanto, a marca de que esta é apenas a introdução de uma história com muito por divulgar e, como tal, com muita informação ainda por descobrir.  

No que se refere aos afectos penso que a família de Wendy marcará qualquer leitorprincipalmente aqueles que ainda estão a descobrir o valor do que é realmente ser-se amado ou repudiado por aqueles que, no fundo, fazem de nós aquilo que somos hoje. Neste campo também o romance, porque sim, este livro tem tanto de romance como de fantasia, é outro dos pontos que não desilude, permitindo-nos desfrutar de uma aventura apaixonante, quase extasiante, que faz parte a descoberta do primeiro amor. A amizade é outro dos pontos explorados, embora de forma menos efusiva, também ela contribui para o inicio de um enredo que, quando terminado, deixa em aberto muito do que ainda estará para vir.

Obviamente que num livro de fantasia os cenários são fundamentais e também estes nos descrevem na perfeição o reino mágico onde Wendy, finalmente, pertence. Penso que será interessante pata o leitor verificar o choque da actualidade na sociedade em questão, bem como, os detalhes que preenchem os passos por onde acompanhamos os diversos intervenientes.

Pessoalmente, penso que este livro tem um pouco de tudo o que é necessário para uma boa obraacção, romance, fantasia e mistério – pelo que me custa compreender o porquê de ter sentido a falta de algo mais. Ainda assim, reitero a questão de que a leveza do livro, assim como a sua escrita, são pontos fundamentais que nos mantém amarrados ao folhear das páginas e, que a mim, conseguiram deixar a vontade de continuar a acompanhar a série, a vontade de continuar a admirar este imaginário de Amanda.

Amanda Hocking convence pelo conceito inovador, pela genuinidade da sua escrita e pela fluidez do seu texto, da mesma forma que a sua idealização dos tão pouco cativantes trollsem todas as suas concepções, nos atraem e convencem a querer desvendar com sofreguidão tudo o que ainda está para vir.

Este livro é uma aposta da ASA que aconselho, de forma muito particular e efusiva, a todos os apreciadores de autoras como Alyson Noel ou Carrie Jones, com a certeza de que se irão identificar e apreciar cada momento deste romance. Gostei.


Título: Trocada
Autora: Amanda Hocking
Género: Fantasia; Romance
Editora: ASA   

4 comentários :

Anónimo disse...

obrigada por partilhares a tua opiniao :D

Daniela

Elphaba J. disse...

O prazer foi meu Daniela. Espero ter esclarecido as tuas dúvidas :)

Daniela ♥ disse...

Eu AMO este livro .... simplesmente o Finn é perfeito *.*
P.S.: Já li os outros dois em inglês e o segundo também é perfeito, agora o último é terrível...detestei as escolhas da Wendy e o rumo que ela deu =(
Não vou dizer mais nada mas o fim da serie desilude.
Adorei a opinião.
bjs

Elphaba J. disse...

Obrigado Daniela :)

Eu também gostei bastante de Finn e espero gostar mais do que tu do último livro *.*
De qualquer forma penso que o conceito de Trylle está muito bem idealizado :)

Boas leituras. Beijinhos

Redes Sociais

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta*

*Planeta*
Passatempo - Resultado em breve!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide