Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Com tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Adolescente de 17 anos desvenda profecia
que anuncia o fim do mundo em 2012

Títulos: Maya Fox, A Escolhida
Autores: Silvia Brena e Iginio Straffi
Título Original: Maya Fox, La Predestinada
Tradução: Filipe Guerra
Páginas: 320
Colecção: Maya Fox Nº 1
PREÇO COM IVA: 14,90€
ISBN: 978-972-23-4582-8

Sinopse:
Maya Fox descobriu que tem um poder inquietante: a capacidade de dialogar com o além. Tem apenas cinco dias para aprender a viver com isso… e para salvar a própria pele. Mas, nesta luta contra o tempo, em quem poderá confiar Maya? Rodeada pelo seu grupo de amigos, pela mãe e pelo pai, Maya terá de enfrentar o seu destino… e uma profecia enigmática, que apenas se cumprirá no ano de 2012. Maya é a única a possuir a chave para decifrar o mistério e salvar-se a si mesma. E a toda a humanidade.

«O fim está próximo.

Só ela pode mudar um destino já traçado.

Não devias ter-me prendido.
E agora pior para ti.
Não sabes o que desencadeaste.
Há certas coisas de que é melhor estarmos longe.»

Sobre os autores:
Sílvia Brena é escritora e jornalista, com uma longa experiência nas redacções das principais publicações femininas, entre as quais Io Donna e Cosmopolitan, de que foi directora. Presentemente, é professora na Faculdade de Teoria e Técnica da Comunicação na Universidade Católica de Milão. A série Maya tem conhecido um grande sucesso em todo o mundo, e este volume, A Escolhida, está publicado em diversos países - França, Espanha, Itália, Croácia, Ucrânia, Brasil, entre outros.

Iginio Straffi iniciou a sua carreira profissional como ilustrador de livros de banda desenhada. Mais tarde começou a trabalhar na produção de desenhos animados, tendo realizado diversas séries de animação para televisão e filmes de animação para o cinema. O seu projecto mais famoso foi a série Clube Winx. Preside à empresa que fundou, a Rainbow S. p. A., uma sociedade dedicada à criação e distribuição de produtos multimédia em todo o mundo.

Site: www.mayafox.com
segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Depois de A Sacerdotisa da Luz, chega agora o segundo livro da trilogia A Idade dos Cinco, que tem cativado os fãs de autoras como Juliet Marillier.

Títulos: O Tecedor De Sonhos
A Idade dos Cinco – Livro II
Autor: Trudi Canavan
PVP: 20,95 €
544 páginas
Tradução: Catarina F. Almeida

Sinopse:
A guerra entre Adoradores do Círculo e Pentadrians chegou ao fim, mas os custos foram elevados para ambos os lados.
Embora tenha sido a arquitecta da vitória dos Brancos, Auraya não está feliz.
Passa os dias a tentar reconciliar Sacerdotes e Tecedores de Sonhos e, durante a noite, é perseguida por terríveis pesadelos.
Os mortos reclamam vingança e o único em cuja ajuda confiava desapareceu.
Ainda em conflito com as poderosas memórias do falecido Mirar, Leiard, o Tecedor de Sonhos, foge para as montanhas com Emerahl, talvez a última mulher nascida com o sangue dos Selvagens.
Emerahl socorre-se dos seus Dons para ajudar Leiard a ordenar o caos de memórias que o habita. A descoberta que fazem mudará a vida de ambos – e o mundo – para sempre.
Auraya e o Tecedor de Sonhos são a última barreira entre o Povo do Céu e o avanço da Morte Branca.
Será Auraya capaz de sacrificar tudo em que acredita para salvar Si?

Comecei a escrever A Idade dos Cinco aos meus catorze, quinze anos. Tentei imaginar como seria viver num mundo onde os deuses fossem reais, tivessem mau feitio e o hábito de interferir nos assuntos humanos. Procurei também incorporar a magia no ecossistema, como se fosse apenas mais uma força à qual animais, plantas e pessoas pudessem recorrer para garantir a sua sobrevivência. - Trudi Canavan

Sobre a autora:
Trudi Canavan vive na encosta de uma colina, perto de uma floresta, em Melbourne, na Austrália. A sua primeira história publicada ganhou o Aurealis Award para Melhor Conto de Fantasia, em 1999.
Em 2009 tornou a ganhá-lo, na categoria de Melhor Romance Fantástico, com O Mágico Negro, uma trilogia best-seller, e as suas obras são, hoje em dia, grandes êxitos de vendas no Reino Unido, na Austrália e nos EUA.
Visite o site da autora em www.trudicanavan.co.uk
domingo, 27 de novembro de 2011
Maggie Quinn é uma jovem repórter, aluna do quadro de honra, jornalista do jornal da escola e fotógrafa do livro de curso.

Sinopse:
Faltam seis semanas para a formatura e tudo o que ela quer é sair inteira da secundária Avalon. Uma croma sensata teria mantido a cabeça baixa e continuado a contagem decrescente até ao dia da entrega dos Diplomas. Mas o destino parece ter planos diferentes para Maggie.
A escola secundária pode ser um terreno fértil para a proliferação do mal, mas o cheiro a fogo e enxofre ainda continua a ser algo de invulgar. É o cheiro identificativo do enxofre que faz com que Maggie desconfie que há algo que não está bem. E, quando começam a acontecer coisas que parecem saídas do Twilight Zone, Maggie percebe que depende dela entrar em contacto com a sua Nancy Drew interior e descobrir o que soltou aquele mal antigo, antes que vá tudo para o inferno, literalmente.
Maggie sempre desconfiou que o baile de finalistas é uma obra do diabo, mas parece que a sua presença é obrigatória. Às vezes, uma rapariga tem de fazer certas coisas bastante desagradáveis para salvar a sua cidade de demónios, vindos do inferno, que esmagam a alma. E também das chefes de claque.


Sombras, ironia e aventura são os adjectivos que dominam esta narrativa!
Um Baile de Finalistas Infernal conta-nos como Maggie virou o seu mundo de pernas para o ar e escapou ao baile de finalistas da secundária… o que, entre feridos e o sobrenatural, poderia sem dúvida ter corrido muito pior!
Rosemary Clement-Moore trás para terras lusas um livro muito divertido, direccionado para um público mais juvenil com sede de novidades fantásticas. Com um ritmo célere e um humor muito característico, esta é uma leitura irá com toda a certeza maravilhar muitos adeptos deste género literário.

A nossa heroína esta longe de adivinhar o que final do ano lectivo lhe reserva, e tudo devido a uma fotografia quase inocente.
Ser repórter não é fácil, principalmente quando tudo o que Maggie deseja é passar despercebida, obviamente que a sua avó, disfuncional, não ajuda mas tudo corria bem… até ao momento em que ocorre um estranho acidente na terrível disciplina de Educação Física.
O cheiro é estranho, precede a morte, e terá sido uma sombra o que viram os seus olhos na piscina? Ou estará Mags a ser influenciada pela hiperactividade mental da avó?
Estas e muitas questões necessitam de resposta, mas com sal e mesinhas a esperança terá de prevalecer, se a sua paciência perante a presença permanente do metediço de Justin sobreviver, efectivamente!

Embora esta não seja uma história complexa, diversos são os atributos que proporcionarão prazer aos leitores desta narrativa, que se deixarão enredar pelo mistério constante, a adrenalina vivida pela protagonista ou mesmo as peripécias caricatas em que a nossa jovem se vê envolvida, durante uma aventura que retracta o dia-a-dia de qualquer adolescente, os seus medos e anseios, abrilhantados às mãos da autora por trevas, suspense e muitos sobressaltos até à última página.

Como protagonista Maggie é extremamente apelativa, com características muito peculiares e um humor pouco banal, desde cedo se confirma que ela é a alma do livro e até ao final revela-se uma verdadeira caixinha de surpresas. Ela irá mostrar-nos que nem tudo é o que parece e que por vezes os nossos maiores receios estão mais perto do que imaginamos.

As personagens secundárias são também elas bastante atractivas, umas mais influentes que outras, mas no geral todas elas pontuam a nossa história com um certo encanto, como é o caso de alguns dos colegas de Mags, o reitor, ou até mesmo a influente Avó Quinn que desde cedo nos atrai marcando pela diferença e oferecendo momentos místicos e de humorismo tipicamente familiar.

Em suma, este é um livro acima de tudo divertido que nos mergulha gradualmente no maravilhoso ao longo de uma trama simples que no fundo se resume num bom momento de entretenimento.

A escrita da autora, Rosemary Clement-Moore, está adaptada ao público a que pretende chegar, que irá com toda a certeza delirar com os diálogos de Maggie e reencontrar-se na sua vida quotidiana.

Esta é uma aposta Asa, da colecção 1001 Mundos, que será encarada de bom grado pelos leitores de títulos como Hex Hall ou Desejar. Uma excelente prenda que recomendo no sapatinho de muitos jovens!

Título: Um Baile de Finalistas Infernal
Autora: Rosemary Clement-Moore
Género: Fantasia
Editora: ASA – Colecção 1001 Mundos

Este é o final da Saga da Herança, muito aguardado em todo o mundo por uma legião de fãs ansiosos.

Títulos: Herança
Autor: Christopher Paolini
N.º Páginas: 850
Preço: 22€
ISBN: 9789895579129

Sinopse:
No início existiam dragões: criaturas altivas, ferozes e independentes. As escamas eram como joias e todos os que contemplavam essas criaturas desesperavam, pois a sua beleza era grandiosa e assustadora. Durante muitas eras os dragões viveram sozinhos em Alagaësia. Depois, o deus Helzvog criou os vigorosos e robustos Anões da pedra do Deserto de Hadarac. E ambas as raças lutaram bastante.

A seguir, os Elfos viajaram pelo mar prateado, até Alagaësia, e também eles lutaram contra os dragões. Porém, os Elfos eram mais fortes que os Anões e poderiam tê-los destruído, assim como os dragões poderiam ter destruído os Elfos. Por isso, dragões e Elfos selaram um pacto entre si e dessa aliança criaram os Cavaleiros do Dragão, que mantiveram a paz em Alagaesia, durante milhares de anos.

Entretanto os humanos viajaram por mar até Alagaësia, tal como os Urgals e os Ra’zac – os caçadores das trevas que devoram carne humana –, e os humanos também se reuniram ao pacto com os dragões.

Eragon – Aniquilador de Espectros, Cavaleiro de Dragão – não era mais que um pobre rapaz fazendeiro, e o seu dragão, Safira, era apenas uma pedra azul na floresta. Agora o destino de toda uma sociedade pesa sobre os seus ombros.

Longos meses de treinos e batalhas trouxeram esperança e vitórias, mas também trouxeram perdas de partir o coração. Ainda assim, a derradeira batalha aguarda-os, têm de confrontar Galbatorix. E, quando o fizerem, têm de ser suficientemente fortes para o derrotar. Eles são os únicos que o podem conseguir. Não existem segundas tentativas.
O Cavaleiro e o seu Dragão chegaram até onde ninguém acreditava ser possível. Mas serão capazes de vencer o rei tirano e restaurar a justiça em Alagaësia? E, se sim, a que custo?

Sobre o autor:
Christopher Paolini nasceu a 17 de Novembro de 1983, no Sul da Califórnia. Viveu a maior parte da vida em Paradise Valley, no Montana, com os pais e a irmã mais nova, Angela. Desde muito cedo adquiriu o gosto pela escrita e sempre escreveu poemas e contos, fazendo visitas frequentes à biblioteca e lendo tudo o que podia. A ideia para Eragon nasceu das fantasias de adolescente. A paixão de Christopher por histórias e magia levou-o a esboçar a história que gostaria de ler. O projeto que começou como um entretenimento cedo se tornou um desafio. Christopher tinha quinze anos quando terminou o primeiro rascunho de Eragon. Depois de muitas alterações, e reescritas, Christopher e os pais publicaram uma edição de autor no Montana e o livro chegou à atenção da editora Alfred A. Knopf, que depressa o publicou e, pouco tempo, demorou a tornar-se num fenómeno de vendas mundial.



Títulos: O Ano do Dilúvio
Autor: Margaret Atwood
Género: Ficção Literária
Tradutor: Miguel Batista
N.º de páginas: 480
PVP: 18,50 €

Sinopse:
Um livro visionário, profético, de dimensões bíblicas, que põe a nu o mais ridículo e o mais sublime do ser humano, a nossa capacidade para a destruição e para a esperança. Negro, terno, inquietante, violento e hilariante, revela Margaret Atwood no seu melhor.
O sol já brilha no céu, dando ao cinzento do mar o seu tom avermelhado. Os abutres secam as asas ao vento. Cheira a queimado. O dilúvio seco, uma praga criada em laboratório pelo homem, exterminou a humanidade. Mas duas mulheres sobreviveram: Ren, uma dançarina de varão, e Toby, que do alto do seu jardim no terraço observa e escuta. Está aí mais alguém?

«Inquietante, num tempo em que a escassez de recursos naturais, as espécies em vias de extinção, as experiências ao nível da genética e o aquecimento global são tudo menos ficção.» - USA Today

Sobre a autora:
Margaret Atwood nasceu em Otava em 1939. É a mais conhecida autora canadiana e publicou mais de quarenta livros de ficção, poesia e ensaio. Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Arthur C. Clarke, o Booker Prize, o Governor General’s Award e o Giller Prize, bem como o prémio para Excelência Literária do Sunday Times (Reino Unido), a Medalha de Honra para Literatura do National Arts Clube (EUA), o título de Chevalier de l’ Ordre des Artes e des Lettres (França) e foi a primeira vencedora do Prémio Literário de Londres.
Os seus livros estão traduzidos para trinta e cinco línguas. Vive em Toronto com o escritor Graeme Gibson.
www.margaretatwood.ca
quarta-feira, 23 de novembro de 2011
Sinopse:
“Não é que Janey não tenha ficado feliz por ver a irmã, mas ser acordada às sete da manhã por Maxine, trajada de noiva e com escolta policial, não foi bem a maneira como planeara começar o seu domingo. Contudo, a vida nunca é entediante quando Maxine está por perto e Janey, a reconstruir a vida após o desaparecimento do marido, fica encantada com o regresso da irmã. As coisas só começam a aquecer quando Maxine põe a vista em Guy Cassidy, um fotógrafo de moda tão competente quanto deslumbrante - é que Janey sabe que não há limites para as tropelias que a irmã vai fazer para destruir a concorrência. O que elas não sonham é que a concorrência está mais perto de casa do que imaginam...”


Hilariante é a primeira palavra que me vem à memória quando recordo a leitura e os fantásticos pormenores que constituem Pura Malícia.
Este foi, até à data, o livro de Jill Mansell que maior capacidade teve de me divertir e no final deixou-me sem dúvida a suspirar, por mais!
O amor é a palavra de ordem neste romance surpreendente onde a autora uma vez mais dirige de forma magistral diversas vidas díspares com um único objectivo comum, encontrarem a felicidade. Com uma escrita leve e há vontade na criação de laços, este novo título vem reafirmar o motivo por que Jill é adorada e considerada uma das favoritas no género comédia romântica.

Imperdível, esta narrativa conta-nos como Guy, Maxine, Janey entre muitos outros se cruzam e permitem que o acaso mude os seus destinos, e seja através de uma coincidência ou apenas por pura determinação, o amor, seja ele de que forma for, prevalecerá enternecendo corações de todas as fachas etárias e económicas.

Guy, o nosso protagonista é um verdadeiro cavalheiro, moderno e bem-sucedido esta personagem trás à história os contornos de uma viuvez prematura e a desenvoltura necessária para criar dois filhos menores, tentando pelo meio não os desiludir e ser feliz em mesma medida, o que não é fácil mas é, sem dúvida, um cenário digno de ser apreciado.

Maxine é a típica jovem em busca do sonho americano, e que sorte a sua! Guy é solteiro, mora perto e precisa de uma ama para os seus filhos. Esta protagonista irá por à prova o significado de malícia, com uma personalidade mordaz é um verdadeiro íman para o leitor, marcará pela diferença.

Janey é uma mulher comum, tremendamente comum quando se tem Maxine como irmã, ela é a guerreira da nossa história e aquela com que muitas mulheres se identificarão, não nos seus dramas, mas nas dificuldades em supera-los. Quer seja pela baixa auto-estima ou pela modéstia, ela criará empatia como por magia e será impossível largar a sua história.

Estas e muitas outras personagens farão as delícias dos leitores de Pura Malícia que se reencontraram com toda a certeza em algum dos pontos desta história que, apesar de descontraída, aborda temas muito proeminentes. A morte, a perda, o abandono são disso isso exemplo e a magnificência de Jill Mansell está na forma desinibida com que nos apresenta estes dramas abrindo sempre uma divertida janela num futuro em que só a morte não tem solução.

Algo que me agradou particularmente foi as personalidades dos filhos de Guy, Ella em particular, que me arrancou gargalhadas inesquecíveis, mas como ela muitos outros momentos são proporcionados por esta autora que não se coíbe de colocar os seus personagens nas mais caricatas situações subjugando-as aos desígnios da paixão.

Resumindo, este foi para mim o melhor livro da autora até a data, pelas suas personagens, pelas suas virtudes humorísticas e admito, também pela capa que está maravilhosa, bem como todas as outras novas reedições. Esta foi também a obra que abordou temas mais apelativos e que conseguiu surpreender-me até à última página deixando em mim uma imensa saudade da sua escrita.

Como já vem sendo hábito, e desta vez mais ainda, esta foi para mim uma leitura gulosa e voraz, uma verdaeira fonte de entretenimento inesgotável que, tenho a certeza, preencherá as medidas de mulheres de todas as idades. Jogando e brincando com o destino - desengane-se quem acreditar adivinhar o final deste livro pois este é realmente surpreende - na escrita de Jill Mansell tudo pode acontecer.

Um livro imperdível, que recomendo efusivamente a qualquer leitora ou leitor que não se prive de encontrar na leitura uma fonte de emoção e sorrisos para o seu dia. Um livro Edições Chá das Cinco com o carimbo do Grupo Saída de Emergência que não poderia faltar na minha estante.



Outras opiniões da mesma autora:



Título: Pura Malícia
Autora: Jill Mansell
Género: Comédia, Romance
Editora: Edições Chá das Cinco

Mais uma fabulosa e misteriosa nova trilogia da autora.

Títulos: Os Pilares do Mundo
Autor: Anne Bishop
N.º Páginas: 384
Preço: 19.95 €
ISBN: 9789896373856

Sinopse:
Ari, a última descendente de uma longa linhagem de bruxas, pressente que o mundo está a mudar... e está a mudar para pior. Há várias gerações que ela e outras como ela zelam pelos Lugares Antigos, assegurando-se de que o território se mantém seguro e os solos férteis. No entanto, com a chegada da primeira Lua Cheia do Verão, as relações com os seus vizinhos azedam-se. Ari já não está segura. Há muito que o povo Fae ignora o que se passa no mundo dos mortais. Só o visitam, através das suas estradas misteriosas, quando desejam recrear-se. Agora esses caminhos desaparecem a pouco e pouco, deixando os clãs Fae isolados e desamparados. Onde sempre reinara a harmonia entre o universo espiritual e a natureza, soam agora avisos dissonantes nos ouvidos dos Fae e dos mortais. Quando se espalham nas povoações boatos sobre o começo de uma caça às bruxas, há quem se interrogue se os diversos presságios não serão notas diferentes de uma mesma cantiga. A única informação que têm para os nortear é uma alusão passageira aos chamados Pilares do Mundo..



Do mesmo autor do best-seller "Quem Mexeu no Meu Queijo?", este é um livro imperdível, que ensina a ser feliz e a ter sucesso no trabalho e na vida, hoje mesmo.

Títulos: O Presente
Autor: Spencer Johnson
PVP: 12 €
120 páginas
Tradução: Victor Antunes

Sinopse:
Presente é o mais valioso que alguém pode receber. Porque, numa época de grandes mudanças, é a única coisa que não muda.
Já adulto, sente-se desiludido com a sua vida profissional e privada.
Volta à presença do ancião para que este o ajude a encontrar o Presente, que lhe responde: «Só tu tens o poder de encontrar o teu Presente.»
Seguindo o conselho do velho sábio, o jovem inicia a procura da prenda mágica que nunca se altera num universo em mutação e que guarda o segredo da felicidade e do êxito.
Só depois de muito procurar e de estar prestes a desistir é que descobre o Presente – e todas as promessas que este traz consigo.


Sobre o autor:
Depois de obter um bacharelato em Psicologia pela University of South Califórnia, formou-se em Medicina no Royal College of Surgeons e concluiu especialidades na Mayo Clinic e na Harvard Medical School.
Foi director de Relações Públicas da Medtronic, a empresa que inventou o pacemaker, investigador clínico no Institute for Inter-Disciplinary Studies, consultor do Center for Study of the Person, e professor associado da Harvard Business School.
É muitas vezes referido na abordagem de problemas complexos e na apresentação de soluções simples e funcionais.
Os seus livros estão traduzidos em quarenta e sete línguas.

Títulos: Jesus, O Homem Que Era Deus
Autor: Max Gallo
N.º Páginas: 304
Preço: 15,90€
ISBN: 978-989-23-1640-6

Sinopse:
Aos pés da cruz erguida no monte Gólgota, Flávio, o centurião romano encarregado de comandar o suplício, vê Jesus de Nazaré agonizar em silêncio. À sua volta, ressoam gritos de ódio e altercações, mas também orações e lágrimas. E quando o condenado morre e um trovão rasga os céus, nasce dentro de Flávio uma dúvida lancinante: e se aquele homem fosse realmente o Filho de Deus? Encarregado por Pilatos de vigiar os “onze lunáticos e as poucas mulheres” que se dizem discípulos de Jesus, o centurião decide reconstituir os seus passos, guiando-nos pelo périplo breve e intenso dos seus trinta e três anos de existência terrestre. Uma obra feita de emoção e reflexão, que nos envolve na mais extraordinária história de todos os tempos.
“Sejam quais forem os fenómenos inesperados que o futuro nos reserva, Jesus não será ultrapassado. O seu culto rejuvenescer-se-á constantemente; a sua lenda provocará lágrimas infindas; o seu sofrimento enternecerá os corações mais bondosos; todos os séculos proclamarão que entre os filhos dos homens nunca nasceu um maior do que Jesus.” - Ernest Renan

Sobre o autor:
Max Gallo nasceu em 1932, em Nice, França. Professor de História, doutorado em Letras, dedicou-se ao ensino até entrar no mundo do jornalismo e ocupar funções políticas como secretário de Estado, porta-voz do governo ou deputado europeu. Escreveu uma vasta obra, que contempla ficção e não-ficção. Nas suas obras de ficção reconstitui os grandes momentos da História e o espírito de uma época. É também autor de biografias de grandes personagens históricas, como de Gaulle, César, Victor Hugo ou Napoleão. É membro da Academia Francesa desde 2007 e Comendador da Legião de Honra de França desde 2009.
terça-feira, 22 de novembro de 2011

Títulos: Peto
Autor: Paula Cairo
N.º Páginas: 200
Preço: 15,00 €
ISBN: 978-972-20-4872-9

Sinopse:
O Peto apareceu na rua, ainda bebé, e lá viveu durante doze longos anos, comendo dos caixotes do lixo. A certa altura, duas senhoras repararam nele e foram-no protegendo como podiam, dando-lhe comida e água. E ele por ali foi ficando. Foi recolhido duas vezes por pessoas que o voltaram a abandonar porque, afinal, era grande demais ou deixava a casa cheia de pelos. Na sua vida na rua, foi agredido diversas vezes e durante muito tempo teve dificuldade em usar as patas traseiras. Foi também atropelado mais do que uma vez. Chegou a ser esfaqueado na barriga. Tinha Leishmaniose, e por dormir tantos anos ao relento sofria ainda de artrite, passando a ter de tomar medicação quatro vezes ao dia. Foi atacado diversas ocasiões por cães com «donos perigosos» e o seu corpo ficou marcado por várias cicatrizes.
Enfrentou duas denúncias de vizinhos, que não o queriam ali. Numa das vezes acabou num canil para ser abatido, como tantos outros cães vadios. Mas foram buscá-lo e ele voltou à sua rua. A sua sorte mudou quando, um dia, Paula, reparou no cão meigo e triste que se arrastava cheio de sangue, terra e pó. Começou por lhe limpar as feridas. Acabou por saber a sua história e seis meses depois, em Novembro de 2005, levou-o para casa e encheu-o de amor. Peto escapou da morte nesse inverno.

Sobre a autora:
Paula Cairo nasceu em Palmela e vive por acaso no Seixal. Passou parte da infância no Alentejo onde conviveu com toda a espécie de animais e desde que se lembra sempre os adorou por os considerar seres sensíveis, puros e genuínos. Para além de cães e gatos teve um pato, um porco, uma galinha, uma pomba e ratos de estimação. Todos, em alturas diferentes da vida andaram por sua casa, uma imensidão de 12 assoalhadas. Sempre gostou de ouvir histórias contadas. Mais tarde começou a escrever algumas coisas, mas acabaram sempre no lixo. Mas foi o Peto que lhe deu coragem para se expor escrevendo para os outros lerem. Estes textos foram escritos ao longo de três anos. Neste momento tem três cadelas que
adotou, uma delas em cadeirinha de rodas.

Títulos: Autobiografia
Autor: Agatha Christie
N.º Páginas: 744
Preço: 19,00€
ISBN: 978-989-23-1641-3

Sinopse:
Agatha Christie ficará para sempre conhecida como a Rainha do Crime. Publicada em todo o mundo, os seus livros estão traduzidos para mais de cem línguas e venderam já mais de dois mil milhões de exemplares. Um sucesso à escala planetária, ao qual a autora contrapôs uma vida pessoal envolta em mistério. Mas, embora se tivesse mantido afastada das luzes da ribalta, escreveu secretamente uma autobiografia. Publicada apenas após a sua morte, revelou-se tão fascinante que foi imediatamente considerada a sua melhor obra! Com rara paixão e audácia, Agatha Christie fala-nos sobre a sua infância no final do século XIX, as duas guerras mundiais que testemunhou, os dois casamentos e as experiências como escritora e entusiasta de viagens e expedições arqueológicas, em que participava ativamente com o segundo marido. Uma obra que revela a face humana e surpreendentemente extravagante por detrás da mais lendária escritora do século XX.

Sobre a autora:
Nascida em Torquay em 1890, Agatha Christie começou a escrever durante a Primeira Guerra
Mundial. Entre romances de mistério, poesia, peças para rádio e teatro, contos, documentários, uma autobiografia e seis romances publicados sob o pseudónimo de Mary Westmacott, é autora de cerca de trezentas obras. No entanto, foi sempre uma pessoa bastante reservada e, apesar de Hercule Poirot e Miss Marple serem personagens conhecidos em todo o mundo, a autora era para os seus leitores um enigma que apenas a publicação da sua autobiografia veio desvendar. Deixando para trás um legado universal celebrado em mais de cem línguas e com inúmeras adaptações para teatro, cinema, televisão e rádio. A Rainha do Crime, ou Duquesa da Morte (como ela preferia ser apelidada), morreu a 12 de janeiro de 1976. A sua obra, essa, mantém-se intemporal.
Para mais informações pode consultar o site oficial da autora em
www.agathachristie.com
sábado, 19 de novembro de 2011
Sinopse:
«A romancista bestseller Kate Drake é uma de sete irmãs dotadas de poderes misteriosos. Ao regressar a casa para o desfile anual de Natal da sua cidade do norte da Califórnia, Kate entra no espírito da época e decide abrir uma livraria num histórico moinho encantador mas em ruínas. O condecorado e ex-Ranger Matt Granite, actualmente construtor local, não se importa de trabalhar na casa inegavelmente estranha – não se isso significar ficar por perto de Kate. Existe algo nesta mulher calma e sensual que o atrai profundamente. Assim que um sismo fende os alicerces do moinho e revela uma cripta, Kate sente que algum segredo com centenas de anos acabou de ser libertado… e que veio para a perseguir. Apesar de Matt prometer protegê-la dia e noite, Kate sabe que terá de convocar todas as suas forças e as das suas irmãs para lutar contra a escuridão que ameaça destruir tanto o Natal como o dom da paixão ardente que o herói da sua cidade natal quer que ela preserve para sempre…»



A magia, o amor e o espírito natalício dominam as páginas desta história que vos deixará suspensos no poder de uma paixão e de uma maldição.
Crepúsculo de Natal conta-nos a história de como Kate e Matt abrem a porta dos seus corações para o amor e fala-nos da sua luta, conjunta, para salvar a vila que tanto estimam, Sea Hevan.
Christine Feehan é conhecida pelos seus romances sensuais mágicos, e este não é excepção, oferecendo ao leitor uma linda história de amor, envolvida em mistério, que conquistará as leitoras mais emotivas.

Algo que me conquistou neste segundo livro de Christine Feehan foi as suas personagens, em particular Kate. Com uma personalidade contraditória, esta protagonista é escritora de profissão e vive segundo a sua necessidade de fuga ao real, procura incessantemente paz interior e curiosamente o seu poder é transmitir calma e felicidade a quem a rodeia. Falta-lhe confiança e encontrar dentro de si a coragem necessária para se permitir disfrutar da vida, a sua evolução ao longo da narrativa é muito apelativa.
Matt por seu lado é o típico homem de sonho, com um passado difícil e de coração doce, que vive perdido pelos encantos de Kate desde que a viu pela primeira vez e sonha todos os dias com o momento em que a poderá proteger eternamente.

O romance desenvolvido por estas duas personagens deixa, numa primeira impressão, a sensação de que foi mal trabalhado uma vez que o casal protagonista já tem um passado, uma atracção, que é desconhecida ao leitor. Só muito lentamente quem lê acabará então por tomar conhecimento de toda a história que envolve este amor, que, com o desenvolver da trama, é exaustivamente trabalhado pela autora.

Uma agradável surpresa nesta leitura é a irmã de Kate, Hannah, que volta mais uma vez a ter momentos de destaque com a autoridade local, sempre muito divertida esta será das personagens mais gozo terei em folhear num próximo livro, individualmente, é notável o carinho que a autora tem pela mais jovem das Drake cimentando a cada livro que passa um possível romance e uma afeição crescente no leitor.

Mas o que sem dúvida vos conquistará nesta série de Feehan é a mística que envolve toda a família Drake e neste segundo livro temos um ambiente sombrio que criará uma atmosfera de suspense para contrabalançar com todo o amor e afecto que as suas personagens deixam por onde passam.
Todas as questões relacionadas com o fantástico estão bem trabalhadas desde os rituais conjuntos das irmãs ao poder individual que cada uma carrega, alguns destes poderes já bem conhecidos do livro anterior proporcionarão um agradável reencontro neste livro que vem reafirmar a sensualidade da escrita de Christine Feehan e o valor que esta atribui ao conceito familiar.

Em suma este é um livro que nos abre a mente para o encantado universo natalício, as suas histórias, lendas e simbologia, o que faz desta leitura o livro ideal para a época que se aproxima, bem como, uma prenda com acertada para quem aprecia o género romântico. Uma fantástica aposta com a assinatura Saída de Emergência. Recomendo.

Título: Crepúsculo de Natal
Autora: Christine Feehan
Género: Romance paranormal
Editora: Saída de Emergência

Visionário, hiper-realístico! O poder criativo de Egan em velocidade cruzeiro. A Ruína lê-se como Kafka, Calvino ou Poe, onde o absurdo cruza o surreal.

Títulos: A Ruína
Autor: Jennifer Egan
PVP: 17,97 €
ISBN: 9789896373863
224 páginas

Sinopse:
Danny era um jovem popular e promissor. Howie era obeso, solitário e objecto de chacota. Os dois primos ficaram marcados na adolescência por uma brincadeira com consequências trágicas que mudou as suas vidas para sempre. Principalmente a da vítima, Howie. Vinte anos mais tarde, Howie pede ajuda a Danny para restaurar um castelo na Europa de Leste. Aparentemente os papéis inverteram--se: o popular Danny é agora um desempregado a fugir de cobradores a quem nunca devia ter pedido dinheiro. E Howie é um excêntrico milionário da alta finança que sonha criar o mais invulgar retiro alguma vez imaginado. O castelo, agora em ruínas, é um lugar afundado numa herança de sangue e orgulho, invocando todos os elementos do gótico: um lago, catacumbas secretas, uma velha baronesa e uma torre misteriosamente intacta... Após a sua chegada, Danny começa a perceber que cometeu um erro terrível: aquele refúgio perfeito transforma-se no único lugar de onde se devia manter afastado para sobreviver. Num ambiente de total paranóia, a ruína torna-se no cenário ideal para a derradeira vingança de Howie. 
Desta vez, uma brincadeira com resultados ainda mais catastróficos. Enquanto isso, um homem cujo nome desconhecemos encontra-se numa prisão de alta segurança por ter cometido um crime misterioso. Na sua cela, escreve uma história inesquecível: a de dois primos que se reencontram vinte anos mais tarde para restaurar um castelo em ruínas na Europa de Leste...

"Nesta novela Neo-gótica, Egan mostra que a imaginação é a maior de todas as drogas. Uma lufada de ar fresco na literatura contemporânea." -The New Yorker  

Leia  excerto e saiba mais em: Saída de Emergência!

Redes Sociais

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Até 13/08!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo 1 - Resultado!

*Marcador*

*Marcador*
Passatempo 2 - Resultado!

*Clube do Autor*

*Clube do Autor*
Passatempo 3 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 4 - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo 5 - Resultado!

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo 6 - Resultado!

*Penguin Random House*

*Penguin Random House*
Passatempo 7 - Resultado!

2017 Reading Challenge

Elphaba J has read 0 books toward her goal of 50 books.
hide