Livraria das Histórias

Pesquisar Histórias:

A carregar...

Subscrever...

A Elphaba...

Adoradora de literatura em geral.
Viciada em literatura fantástica e romântica.
Fascinada por outros mundos e uma eterna sonhadora, assim eu sou.

Aviso:
Este Blogue e todos os textos escritos podem conter Spoilers!

Contacto:

Blog Archive

Tecnologia do Blogger.

O Que Escrevo...

Seguidores

Próximas Opiniões...

Acasos Felizes
Um Mar de Rosas
Euro Pesadelo: Quem Comeu a Classe Média?
Pivot Point
Kafka Para Sobrecarregados
Amores contados
Maligna
A Revolta
A Marca das Runas
Un mundo feliz
Filha da Magia
Frankenstein
As Cinquenta Sombras Livre

Blogues Com Histórias...

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Depois de décadas sem que a sua obra fosse amplamente reconhecida pela critica e elo público, Lucia Berlin é a descoberta literária do último ano. A Alfaguara orgulha-se de se unir ao fenómeno editorial que está a dar a conhecer esta extraordinária autora norte-americana. Manual Para Mulheres de Limpeza reúne o melhor da sua obra (43 das 77 histórias que escreveu ao longo da vida) e está a transformar-se numa numa obra de culta. 

Título: Manual Para Mulheres de Limpeza
Autor: Lucia Berlin
N.º Páginas: 528
PVP: 19.90 €
ISBN: 9789896650650

Sinopse:
Manual Para Mulheres de Limpeza reúne o melhor da obra da lendária escritora norte-americana Lucia Berlin, comparada a escritores como Raymond Carver, Richard Yates, Marcel Proust e Chekov. Com um estilo muito próprio, Lucia Berlin faz eco da sua própria experiência - tão rica quanto turbulenta - e cria verdadeiros milagres a partir da vida de todos os dias. As suas histórias são pedaços de vidas convulsas. Histórias de mulheres como ela: mulheres que riem, choram, amam, bebem, vivem e sobrevivem. Histórias de mães e filhas, casamentos fracassados e gravidezes precoces. Histórias de emigração, riqueza e pobreza, solidão, amor e violência. Seja em salões de cabeleireiro, lavandarias, consultórios de dentistas ou colégios de freiras, nestas páginas acontece o inesperado. Testemunham-se os pequenos milagres e tragédias da vida, que Lucia Berlin trata por vezes com humor, por vezes com melancolia, mas sempre com comovente empatia e extraordinária vivacidade, como se as personagens e os lugares - extraordinariamente reais, saltassem da página.

«Quem ainda não teve a sorte de conhecer a escrita de Lucia Berlin que se prepare para um prazer extraordinário.» - The Washington Post
«Trata-se de um culto justificado… É um livro a que os leitores voltarão durante meses, anos, até décadas…» - The Independent

Sobre a autora:
Lucia Berlin nasceu em 1936, no Alasca. Publicou os seus primeiros contos aos 24 anos em várias publicações, incluindo The Noble Savage, revista literária dirigida pelo escritos Saul Bellow. Escreveu de forma esporádica até à década de oitenta, altura em que decidiu publicar o seu primeiro livro de contos, Angles Laundromat. As suas histórias estão intimamente ligadas às suas próprias recordações: a infância em comunidades mineiras do interior do continente americano, a adolescência sofisticada em Santiago do Chile, a mudança constante de casa, os três casamentos falhados, o alcoolismo, ou os variadíssimos empregos que teve para criar os quatro filhos: enfermeira, telefonista, mulher de limpeza e professora de escrita criativa. Na década de noventa, foi promovida a professora associada da universidade de Colorado Boulder. Morreu em 2004, no dia do seu aniversário, na California, para onde se mudara poucos anos antes para viver perto dos seus filhos. Ao longo da vida, Lucia Berlin publicou seis livros de contos. A selecção dos seus melhores contos está reunida no presente volume. 


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Com o maravilhoso apoio do Grupo Saída de Emergência, hoje venho anunciar-vos mais um resultado de aniversário do blogue!


Para sorteio estava disponível um exemplar do título O Espião do Vaticano de Luther Blissett, uma história que, confesso, me deixou muito curiosa! 

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

408* Helena Braceira, Beja

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado ao Grupo Saída de Emergência por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 

Boas leituras*



sábado, 20 de agosto de 2016
Sinopse:
Num mundo onde as cinzas caem do céu e as brumas dominam a noite, o povo dos Skaa vive escravizado e na absoluta miséria. Durante mais de mil anos, o Senhor Soberano governou com um poder divino inquestionável e pela força do terror. Mas quando a esperança parecia perdida, um sobrevivente de nome Kelsier escapa do mais terrível cativeiro graças à estranha magia dos metais – a Alomancia – que o transforma num “nascido nas brumas”, alguém capaz de invocar o poder de todos os metais.
Kelsier foi outrora um famoso ladrão e um líder carismático no submundo. A experiência agonizante que atravessou tornou-o obcecado em derrubar o Senhor Soberano com um plano audacioso. Após reunir um grupo de elite, é então que descobre Vin, uma órfã skaa com talento para a magia dos metais e que vive nas ruas. Perante os incríveis poderes latentes de Vin, Kelsier começa a acreditar que talvez consiga cumprir os seus sonhos de transformar para sempre o Império Final…

*Quando leio um livro com a dimensão física e intrincada revelada neste primeiro título da saga MistbornNascida nas Brumas – é extremamente difícil não me alargar na opinião e me dispersar em parágrafo longos. Ainda sim, acreditem, vou dar o meu melhor para o evitar, principalmente no que respeita a spoilers.*

Desde que me conheço, enquanto leitora, que a literatura fantástica é para mim como um ansiado regresso a casa, um lugar reconfortante que se escrito com qualidade consegue superar quase todas as outras viagens entre páginas. Assim, quase dez anos passados após ter descoberto Robert Jordan, era obrigatório para mim conhecer aquele que, após a sua morte, deu vida à sua história, era obrigatório desvendar mais um talento que adivinhava maravilhoso e descobrir um mundo que, previsivelmente complexo, se aproxima do extraordinário. 

Um povo escravizado, submisso, é parte do cenário cinzento, perfeito, para um Império há mais de mil anos dominado por um tirano que tudo controla, que tudo subjuga, quase sem esforço, ao seu poder. É um povo sofrido e sem voz, um povo que sussurra, aquele que O Império Final traz até ao leitor. Um povo que teme a noite como teme as brumas e os seus senhores, também eles temerosos daquele que os reprime e assim exploram, explorando outros sem rosto, sem vida, sem nada – os skaa
Uma sociedade de hierarquia extremamente rígida, onde os ladrões e os nobres dominam como conseguem os que lhes são inferiores, ofereceu a Brandon Sanderson a oportunidade de abordar de forma magnífica uma organização social que se multiplica, conseguindo sempre surpreender. Uma sociedade estruturalmente dominada pela diplomacia e desconfiança em que cada um é controlado pelo valor do seu sangue e o cheiro do mesmo que se entranha marcando, vincando na carne e elevando-se nos corpos dos poucos que no metal encontram alguma salvação – os alomantes
No entanto, até na mais profunda escuridão tem de existir a noção de luz, uma sombra mais ténue, uma falha que se transforme num rasgo de esperança. Até na mais profunda escuridão terá de existir um grupo pouco homogéneo que, sem nada a perder, arrisque a vida para fazer nascer a fantasia. Até na mais profunda escuridão terá de existir alguém que de alguma forma acredite para que se conheça uma amostra de herói de altruísmo egoísta e, também, uma amostra de mulher que só se reconhece no medo e na miséria, uma jovem que se revê na sombra antes de descobrir o valor da indivisibilidade – os nascidos nas brumas. 
Enfim, confesso tinha muitas saudades de heróis assim e tinha, efectivamente, ainda mais saudades de vilões atrozes há muito esquecidos de qualquer noção de humanidade.

Temendo já estar a prolongar-me, permitam-me frisar que a multiplicidade de personagens é extensa no que respeita ao núcleo de intervenientes que considero principais, para lá dos protagonistas – Kelsier e Vin. Estes dois, uma espécie de heróis que fogem às características habituais pelos seus passados e/ou motivações para levar a cabo a sua demanda, têm personalidades muito singulares, pelos seus traumas mas também pelos opostos que representam no grupo de que fazem parte, equilibrando a certeza com a descrença, um olhar visionário com a cegueira total de séculos de escravidão. 
Para lá destes, é impossível ficar indiferente às particularidades de cada um dos outros elementos do bando de ladrões que, nas primeiras páginas, se une por uma causa impossível. Seja pelo seu contributo alusivo ao extraordinário ou por tudo o que cada um desvenda e oferece ao texto, estes servem, principalmente, para nos deixarem ainda mais curiosos pelas suas lacunas e qualidades. São tantos, estes e os outros. 

Como citei anteriormente, existe um vilão que vai sendo construído principalmente na mente do leitor, o Senhor Soberano, uma criatura mitificada na mente de Vin que lhe desconhece o rosto e cuja crueldade associada é aterradora. O seu séquito fiel, de Inquisidores e Impositores, torturadores sublimes, criaturas de pesadelos são algo de que prefiro não falar para que os temam vocês mesmos.
Paralelamente a este género de Deus, religião, existem os nobres, representados belissimamente por personagens como Elend ou Shan, uma vez mais opostos, duas faces de uma moeda fundamental para o funcionamento deste império e que revelam na perfeição como funciona uma boa intriga de corte, jogando com os seus pares e tão depressa parecendo líricos como armas prontas a derrotá-los. 

Por fim, não querendo acreditar que algo de errado existe comigo, não consegui deixar de me fascinar com os muitos piões, figurantes, skaa. A imagem perfeita de povo regrado pelo medo extremo, aos olhos de muitos não chegam sequer a ser números, são corpos a que se questiona inteligência, são sangue e ossos para chocar os seus iguais, algo ao nível do objecto útil e facilmente substituível, sem norte ou dignidade. Dão, juntamente com a glosas no início de cada capítulo, ênfase de forma inteligente ao desenvolvimento do enredo, em minha opinião. 

Em suma, eu podia mesmo passar algumas horas a falar-vos de uma cidade coberta de cinzas, da ausência de cor ou do conforto do silêncio. Poderia falar-vos de morte ou da estranheza do sorriso, da mesma maneira que me perdia em lutas corpo a corpo com poderes fantásticos e batalhas épicas onde morrem milhares. Poderia, até, falar de amor e desgostos ou seres que além de assustadores seriam estranhos à compreensão comum, mas creio que vos tiraria o gozo que é descobrir este mundo construído eximiamente e todas as figuras admiráveis que nele habitam. No entanto, numa próxima opinião, não sei se conseguirei conter-me. 

Por ora, estou maravilhada com esta grande aposta Saída de Emergência que eu espero continuar a descobrir muito em breve. Uma leitura, definitivamente, obrigatória para todos os fãs de fantasia. 

Próximo livro: 

Título: O Império Final
Autor: Brandon Sanderson 
Género: Fantasia


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Quem é o Herói das Eras?

Título: O Herói das Eras - Parte II
Autor: Brandon Sanderson
N.º Páginas: 384
PVP: 17.76 €
ISBN: 9789896379285

Sinopse:
O mundo aproxima-se do fim, esmagado pela força imparável de Ruína. Vin, Elend e os companheiros procuram desesperadamente opor-se-lhe, mas nada do que fazem parece ter algum efeito ou, quando o tem, é o oposto do que pretendem. De que serve a mera alomância contra um deus?
Especialmente quando não parece haver nada além dela, pois até as misteriosas brumas, em tempos aliadas, parecem ter-se tornado malignas. Mas será que desistir é uma opção? Terá chegado o momento de baixar os braços e aceitar o fim de tudo o que se ama?
Num mundo sufocado pela cinza e abalado por erupções contínuas e violentas convulsões sociais que afetam até a sociedade pacífica dos kandra, são estes os dilemas com que os sobreviventes do velho bando de Kelsier vão ser confrontados neste derradeiro volume da saga.


Sobre o autor:
Brandon Sanderson é uma estrela em ascensão na fantasia norte-americana conhecido pela sua saga Mistborn e por ter terminado a série de fantasia épica A Roda do Tempo de Robert Jordan, após o falecimento deste. Em 2010, iniciou uma nova série de fantasia, Stormlight Archive, com o título The Way of Kings, além de outras séries direcionadas para o público jovem-adulto. Dá aulas de escrita criativa e participa em podcasts sobre escrita e o género fantástico.

Saiba mais em: Saída de Emergência


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Uma distopia inteligente, com personagens complexas e muita ação.

Título: O Código da Morte
Autor: Lindsay Cummings
N.º Páginas: 384
PVP: 17.76 €
ISBN: 9789896379315

Sinopse:
Semanas após ser capturada, Meadow Woodson foi feita prisioneira da Iniciativa e está prestes a perder tudo em nome da sobrevivência.
Tentam quebrá-la e forçá-la à submissão, mas a jovem não tenciona desistir e está determinada em não deixar a Iniciativa vencer. Não importam os obstáculos, atribulações e a dor, tudo irá suportar para proteger a sua família, mesmo que implique perder a vida.
Desejoso de obter vingança, Zephyr tem apenas um objetivo em mente: encontrar Lark Woodson, a mãe da rapariga que ama, e a mulher por detrás do segredo do Complexo dos Assassinos. Mas mesmo que consiga resgatar Meadow, ele terá de tomar a escolha de a seguir em direção ao desconhecido e sacrificar tudo aquilo pelo qual lutou, incluindo a sua própria liberdade...
Conseguirão ambos enfrentar a escuridão que os rodeia, derrotar os seus inimigos e, finalmente, encontrar uma luz de redenção e esperança?

Leia um excertoAqui

«Cummings criou um thriller repleto de ação que irá agradar aos fãs de Os Jogos da Fome de Suzanne Collins e Divergente de Veronica Roth.» - School Library Journal
«Uma sequela cuidadosamente... arrepiante.» - Booklist

Livro Anterior – Opinião

Sobre a autora:
Lindsay Cummings tem 22 anos e é autora da série O Complexo dos Assassinos e da trilogia Balance Keepers. Começou por escrever como hobby devido à Síndrome de Fadiga Crónica de que sofre desde o secundário. O hobby tornou-se vocação e vício. Reside em Dallas com o marido, dois cães, um ouriço, um lobo e um cavalo. Lindsay coleciona armas, adora Hot Cheetos, e não consegue parar de pintar o cabelo com cores loucas e esquisitas.

Saiba mais em: Saída de Emergência


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

É chegado o momento de anunciar mais um novo passatempo dos passatempos de aniversário, desta feita com o maravilhoso apoio Suma de Letras


Para sorteio estava disponível um exemplar do título Vida é Fácil, Não te Preocupes de Agnes Martin-Lugand, uma história que esta vossa leitora está ansiosa por ler. 

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi o vencedor/a, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá este exemplar é:

241* Raquel Lima, Guimarães

Os meus sinceros parabéns, espero que usufrua de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado ao Grupo Penguin Random House por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 

Boas leituras*



terça-feira, 16 de agosto de 2016

Olá queridos leitores, 

Sei que andei uns dias desaparecida mas precisei de tirar as folgas mais recentes só para mim e à parte desse tempo abençoado pouco ou nenhum me sobra para o blogue.

Quem me segue desde o início certamente verificou que nos últimos dois anos o meu tempo para este espaço que me-é tão querido reduziu drasticamente e, consequentemente, também para as leituras. A minha vida pessoal mudou e dou por mim mais cansada, física e psicologicamente, dou por mim a adormecer sem ter percorrido uma única página, sem ter vivido uma única história o que, acreditem, me entristece imenso. Ultimamente sinto-o, principalmente, com as histórias que outrora tanto me fascinavam pela sua complexidade, com os meus desafios pessoais, sinto-o quando tenho de me sentar em frente ao computador e não vejo fluir uma única palavra. 
Sinceramente, porque creio que profissionalmente ainda não me encontrei como esperava, porque acredito que precisava de ser imensamente feliz nessa área para que este hobby pudesse ser passado para segundo plano, recuso-me a deixar-me vencer nesta luta com o tempo e a força anímica, recuso-me a fechar As Histórias de Elphaba e o compromisso que com elas e para comigo mesma assumi há mais de seis anos. 

Digo-vos tudo isto, hoje, porque confrontei com mais uma fase em que o PC ficou simplesmente desligado por tempo indefinido, porque Agosto se está a revelar particularmente complicado para mim. Digo-vos tudo isto, hoje, porque quero que saibam que não me esqueço de vocês nem da bruxa por um dia que seja, porque vos quero agradecer continuarem desse lado e dizer-vos que estou parcialmente de regresso nos próximos dias. 

Já não tenho ilusões, não me parece que nada voltará a ser como antes mas enquanto me for comprometendo a dar o meu melhor estou bem para comigo mesma. Assim, aqui vou estar eu, amanhã, a dedicar umas horas às publicações que me trazem sorrisos, opiniões e divulgações, passatempos e os seus resultados, aqui vou estar eu a adiantar publicações para poder regressar ao que mais prazer me dá… as leituras!

Obrigado por me lerem… Boas leituras*



domingo, 7 de agosto de 2016

Finalmente chegou o momento que muitos leitores aguardavam! Vou começar a anunciar os vencedores dos passatempos do 6 aniversário do blogue! 


Para sorteio estavam disponíveis dois exemplares do título Cinzas de um Novo Mundo do autor Rafael Loureiro. Uma fantasia distópica pela mão de um autor nacional que nos chega pela Editorial Presença

Gostaria, como sempre, de agradecer a todos pelas vossas participações. E, se não foi um dos vencedores, não desanime, haverá mais oportunidades em breve. 

Sem mais demoras, quem receberá um destes exemplares são:

102* Micaela Pinto, Santa Maria da Feira
371* Maria Costa, Viseu

Os meus sinceros parabéns, espero que usufruam de uma excelente leitura.
E o meu muito obrigado à Editorial Presença por me oferecer a possibilidade de realizar este passatempo. 
Boas leituras*



sábado, 6 de agosto de 2016

Sinopse: 
As relações entre os dois casais Eric Zimmerman e Judith Flores, e Bjorn e Mel vão de vento em popa. Nada parece fora do lugar, até que de súbito, pessoas e surpresas do passado irrompem nas suas vidas e põem tudo de pernas para o ar.
Serão capazes de superar esta reviravolta inesperada?
Ou mudarão os sentimentos para sempre?
Apesar das discussões que as diferentes personalidades provocam, o empresário Eric Zimmerman e Judith Flores continuam tão apaixonados como no dia em que os seus olhares se cruzaram pela primeira vez. Juntos formaram uma linda família que adoram e pela qual são capazes de fazer qualquer coisa.
Flyn, o menino que Judith conheceu ao chegar a Munique, é agora um adolescente, e como acontece na maior parte dos jovens, a sua vida complica-se e afecta todos à sua volta.
O advogado Björn e a ex-tenente Mel continuam a bonita história de amor, junto da princesa Sami. Sem dúvida que a convivência os beneficiou muito. Mas há algo que Björn não consegue de Mel: que se case com ele.

Não vos vou mentir, quando se trata de escolher uma nova leitura é raro o género erótico estar entre as minhas opções imediatas. No entanto, desde que experimentei Megan Maxwell, fiquei rendida a esta história pela leveza e singularidades das suas personagens e, até ao momento, não consegui perder uma única oportunidade de me reencontrar com as bonitas narrativas de amor desta autora espanhola que tanto partilha da sua cultura em cada nova obra. 

Naquele que, creio eu, será o último livro dedicado a Eric e Judith em conjunto com o igualmente mítico casal Björn e Mel, descobrimos o estado de ambas as relações após 5 anos de vida em comum, aquilo que inevitavelmente mudou e muito que os caracteriza, permanece inalterável e continua a atrair-nos para as suas ficções. Da mesma forma, novos argumentos entram em cena e novas temáticas, muitas delas análogas às de qualquer leitor, vão pôr à prova o verdadeiro amor destes casais, enquanto nos divertem e encantam com a qualidade de sempre e nos fazem suspirar com aquele que promete ser um “e viveram felizes para sempre”. 

Sendo este o quarto livro da série Pede-me o Que Quiseres e tendo em conta a publicação de Surpreende-me, um outro título especialmente dedicado a Björn e Mel onde os protagonistas Eric e Judith foram também relevantes, começa a ser complicado para mim falar destas personagens sem me repetir ou fugir de inevitáveis spoilers, ainda assim, muito sucintamente, permitam-me apresentar estes pares e nomear aqueles que agora dão nova vida a este enredo. 
Os casais principais caracterizam-se por serem opostos que se atraem que, com o passar do tempo, encontraram nas diferenças aquilo que mais os une. Elas são fogo, mulheres de emoções à flor-da-pela que se expressam sem pudores e se derretem com os homens das suas vidas e eles, igualmente apaixonados, são alemães mais contidos que se transformam em verdadeiros príncipes quando a felicidade das suas mulheres está em causa – isto é romance básico, sabemos o que vamos ler e o que encontramos não desilude. 
Todavia, passados alguns anos, os intervenientes mais secundários ganham agora maior relevo e Flyn, o filho de Eric é agora um adolescente que manipula uma boa parte da trama, a irmã de Judith, novamente casada, também tem uma palavra a dizer e o mesmo se passa com os restantes membros de qualquer boa família que se preze e amigos de longa data, que certamente irão surpreender. 

Com o folhear, é-nos então apresentada uma nova faceta das relações outrora incendiárias que agora parecem abrandar um pouco com todos os dilemas inerentes às vidas em comum. Desde a revolta da adolescência e as primeiras paixonetas, passando pela estagnação afectiva à introdução de novas presenças nem sempre bem-vindas na relação, o leitor poderá apreciar um pouco mais daqueles que anteriormente o cativaram e torcer verdadeiramente por todos os que lhes conquistaram afecto. Uma coisa é certa, a carga de luxuria permanece igual não fossem estes pares nitroglicerina pura entre lençóis e, confesso-vos, se houve momentos em que achei que o livro poderia ser menor e dizer o mesmo aposto que muito em breve sentirei saudades daqueles que acompanhei durante centenas de páginas. 

E muito fácil, a sério que sim, perceber porque é que Megan é a autora erótica mais vendida na vizinha Espanha, do drama aos momentos mais hilariantes – sim, ainda gargalhei umas quantas vezes – é impossível ficar indiferente quando vemos desejos secretos ostensivamente revelados e reacções descritas que tantas vezes queríamos ter podido concretizar. É fácil perceber, nas lágrimas, nos risos e no sexo, em todo o amor e na imensa amizade espelhada, que a fantasia pode dar lugar à realidade e que existe uma forte base de verdade e confissões para tornar palpável esta história. 

Em suma, foi um grande final (727 páginas!). Gostei, em particular, de ver cimentada a amizade de Judith e Mel, de ver estas mulheres serem independentes na sua dependência afectiva. Gostei das crianças, das que deram os primeiros passos na meninice e das que caminharam na juventude e gostei, igualmente, dos muitos finais felizes, foi como o último episódio de uma novela, onde todos tiveram um momento de destaque e partilharam as muitas emoções que ao longo da jornada se fizeram sentir, enquanto fui revisitando os muitos lugares com os quais sentia empatia. Não ficou a faltar nada!

Uma aposta Planeta Manuscrito que continua a fazer subir atenção entre as apaixonadas por romances ousadas e que é e sempre será, definitivamente, uma aposta ganha e ligeira para o verão. 

Da mesma autora, no blogue:
Pede-me o Que Quiseres – Opinião
Pede-me o Que Quiseres, Agora e Sempre Opinião
Pede-me o que Quiseres ou Deixa-meOpinião

E ainda…
Surpreender-meOpinião

Título: Pede-me o Que Quiseres e Eu Dar-te-ei
Autora: Megan Maxwell
Género: Romance Erótico


segunda-feira, 1 de agosto de 2016

O fenómeno do ano!
Uma nova história de êxito na auto-publicação.
Mais de 2.500.000 exemplares vendidos da série nos EUA.
1.º lugar no top do The New York Times, durante 4 semanas.

Título: A Rapariga do Calendário - Livro 2
Autor: Audrey Carlan
N.º Páginas: 368
PVP: 17.99 €
ISBN: 9789896578039

Sinopse:
12 MESES. 12 VIDAS. 1 AMOR
A jornada de Mia Saunders, acompanhante por força das circunstâncias, continua neste segundo volume de A Rapariga do Calendário! Nos três meses que se seguem, Mia viaja para Boston, Oahu e Washington DC.
Em Abril, faz-se passar pela namorada do mulherengo Mason Murphy, um jogador de basebol profissional que precisa de melhorar a sua imagem, e acaba por descobrir que ele não é exactamente aquilo de que estava à espera.
Maio encontra Mia a incendiar o sangue de Tai Niko, modelo fotográfico e intérprete da dança do fogo samoano, enquanto participa numa campanha publicitária que tem como objectivo demonstrar que a beleza não é uma questão de tamanho.
Em Junho, a missão de Mia é servir de enfeite de braço a Warren Shipley, membro do grupo conhecido como Um por Cento. Enquanto finge ser uma caçadora de fortunas, descobre que Warren tem de facto um coração de ouro. Pena é que o atraente filho, Aaron, senador pela Califórnia, não seja em nada parecido com o pai.

Uma série sedutora, doce e tão escaldante que o seu livro pode derreter.

Direitos do livro vendidos para 27 países e para série televisiva, pelos mesmos produtores de Gossip Girl.

«Fresca, divertida, e incrivelmente sexy, a série A Rapariga do Calendário vai fazer com se apaixone uma e outra vez e morra de ansiedade por ler o próximo volume.» Meredith Wild, autora da série Hacker, n.º1 do The New York Times

Sobre a autora:
Audrey Carlan é autora best-seller do New York Times, USA Today, e Wall Street Journal. Escreve histórias de amor sensuais e eróticas de forma a dar ao leitor uma experiência romântica e sexy. Vive em California Valley com os dois filhos e o amor da sua vida. Quando não escreve, ensina ioga, bebe vinho com suas souls sisters ou está com o nariz enfiado num romance ímpio.

Saiba mais em: Planeta Manuscrito


sexta-feira, 29 de julho de 2016

Considerado o mestre do suspense, Musso constrói magistralmente uma trama que se move entre o romance e o thriller, com um fim de tirar o fôlego.

Uma intriga magistral protagonizada por personagens inquietantes.

Título: O Apelo do Anjo
Autor: Guillaume Musso
N.º Páginas: 336
PVP: 17,95€
ISBN: 9789896577209

Sinopse:
Nova Iorque, Aeroporto JFK.
Na cheia sala de embarque, um homem e uma mulher chocam, espalhando as suas coisas pelo chão. Depois de uma discussão normal, recuperam os haveres e cada um segue o seu caminho.
Madeline e Jonathan nunca se viram na vida e é improvável que se voltem a encontrar. Mas, ao apanharem as coisas, trocaram inadvertidamente de telemóveis. Quando se apercebem do engano, já estão a dez mil quilómetros um do outro: ela é florista em Paris, ele tem um restaurante em São Francisco.
Não tarda para que os dois cedam à curiosidade, analisando o conteúdo dos telemóveis. Uma dupla indiscrição, que conduz a uma revelação inesperada: as suas vidas estão ligadas por um segredo que pensavam estar enterrado para sempre...

«Um escritor firme, muito inteligente, Guillaume Musso continua a fazer grandes romances.» - Le Parisien
«Guillaume Musso conhece a arte de fazer as suas narrativas sentimentais com a eficácia dos autores de livros policiais.» - L'Express
«Musso confirma o seu talento como um grande contador de histórias.» - TV Mag/Le Figaro

Sobre o autor:
Nasceu em 1974 e descobriu a literatura aos dez anos, idade em que decidiu que um dia haveria de escrever romances. É um dos autores mais populares de França, bem como em todos os países onde as suas obras são publicadas.
Inspirado pela cidade de Nova Iorque, onde viveu quando tinha dezanove anos e travou conhecimento com viajantes de todo o mundo, regressou à sua França natal para estudar Ciências Económicas.
Os leitores facilmente notam nos seus livros as marcas que os EUA deixaram nele. Guillaume Musso divide o seu tempo entre o trabalho como professor num liceu no sul de França e os seus romances.

Saiba mais em: Planeta Manuscrito



terça-feira, 26 de julho de 2016

E cá estou, uma vez mais, a contornar a minha adorada rubrica. Não vos vou obrigar a ler o meu *mimimi* pessoal, digo-vos apenas que espero, no próximo mês, conseguir fazer esta publicação normalmente. Por ora, a minha intenção é mesmo actualizar as aquisições dos últimos dois meses no blogue, bem como alguns links pertinentes – o que já é muita coisa! 

Para quem não conhece a rubrica referida, espreitem aqui


Tudo ao Molho – Aquisições de Maio
(Nem tanto assim que por cá tratamos bem os livros.)


Porto Editora: recebi Maria, não acredito que o vá ler por não se tratar do tipo de leituras que me cative, por isso é provável que acabe por ir para passatempo. 
Editorial Presença: fiquei verdadeiramente surpreendida e feliz com este lançamento. Este ano, com o trabalho, por vezes deixo passar o que está para ser publicado e confesso-vos que quando soube que Cline ia finalmente ser publicado em português pedi à editora um exemplar para recensão. 
Grupo Penguin Random House: não me pedi nenhum dos dois mas eram exactamente os livros que gostava de adquiri deste grupo editorial em Maio. Illuminae porque já me tinha chamado à atenção – como vão confirmar em breve – e Lucia Berlin porque já o tinha namorado na loja e pareceu-me mesmo muito interessante.  


Da minha cota de compras, como podem observar, estive em sintonia com as editoras nacionais *.*
Comprei uma edição quase dada de Furtunately, The Milk de Neil Gaiman; esta edição já se encontra traduzida pela Presença mas eu encontrei o hardcover a pouco mais de 6€ e não resisti. É amoroso, quando me apetecer algo simples e rápido em inglês vai ser a opção. 
Sem saber que o Illuminae ia ser publicado em português – estou sempre na Lua – tinha-o encomendado no original. Não me arrependo, adorei o livro e a edição original está 5 estrelas. 
Com uma vontade imensa de ler pela primeira vez Cline, comecei a folhear este título, senti-me à vontade com a escrita e por isso quando vi mais um hardcover a bom preço, encomendei. Curiosamente, o outro título do autor foi publicado uns dias depois por cá – perfect
Os restantes dois livros, Julia Quinn e Sarah Lark, foram para terminar a série e a trilogia, respectivamente, o primeiro porque eu sou fã o segundo porque a minha mãe adora a Lark – acho que também vou gostar muito quando experimentar.  

Tudo ao Molho – Aquisições de Junho
(Nem tanto assim que por cá tratamos bem os livros.)


Grupo Penguin Random House: inesperadamente, recebi Dicionário-de-Sonhos que quero experimentar em breve e depois deixar-vos-ei um pequeno feedback sobre a minha apreciação do mesmo e, também uma surpresa, A Rapariga Que Sabia Demais, que entretanto soube ter adaptação cinematográfica para breve e ser sobre zombies – estou entusiasmada, confesso. Entretanto, chegou também O Erro e como eu li o livro anterior recentemente e gostei fiquei toda contente, claro!
Editorial Presença: eu mesma pedi para ler Maestra à Presença porque tive oportunidade de folhear o livro e não só fiquei intrigada com o enredo como gostei da escrita. Aliás, hoje em dia tento pedir livros que eventualmente já li as primeiras páginas ou conheço bem, pois o tempo para ler é cada vez menor. 
Topseller: a terminar, pedi A Loucura de Lorde Ian Mackenzie. Eu gosto deste género de leitura e este foi um dos que me chamou à atenção. Acho que não me vou arrepender. 


Quanto às minhas aquisições pessoais, fui muito mimada. 
O Tempo Entre Costuras e A Rapariga Corvo estavam na minha wish há tempo suficiente para sempre comprados na Hora H da Feira do Livro de Lisboa e, apesar de eu não ter tido oportunidade de passar por lá, uma amiga soube dos meus desejos e trouxe estes dois – fiquei muito contente, obrigado menina Mafalda
Quanto aos livros das Campas. Primeira Campa à Direita, Segunda Campa à Esquerda e Terceira Campa em Frente, foram prendinhas muito bem-vindas para fazer companhia ao quarto e quinto da série que já tinha comprado em segunda mão por estarem esgotados na editora. Traição foi também uma prenda da minha avozinha emprestada… um amor! 

O Mais Desejado Maio


Tinha de escolher o Ready Player One, da mesma forma que tenho de vos confessar que o facto de já o ter lido influencia completamente a minha escolha. Este é provavelmente um dos livros que mais prazer me deu, não só no acto de ler mas na forma como me fez pesquisar e divagar sobre as suas temáticas durante o folhear. Foi uma experiência muito boa mesmo. 

O Mais Desejado Junho


Foram as Campas, afinal eu quero esta colecção há imenso tempo e finalmente estar a vê-la compor-se deixa-me muito contente. 

 Coisas Boas – Maio 
(Não, eu não colecciono só livros, mas também tudo o que está associado aos meus adorados.)


E Maio foi tão bom nestes mimos literários...! Primeiro, a short-story do Tom Fox que será a minha rampa de lançamento para Dominus. Depois, muitos mascadores giros e novos do Book Depository que eu tanto gosto – este ano quase não tenho comprado e a minha colecção já se andava a queixar. Por fim, bonecada!


Como é que se resiste às Lego Minifigures e aos Funko Pops do Harry Potter? Claro que não vou comprar todas, não tenho dinheiro para tal e não abdico dos meus livros, mas alguns vou ter mesmo que adquirir. Destas figuras, já tinha a Bruxa e resolvi aproveitar para partilhar convosco agora que também tenho um Chester e um Capitão Gancho… já sabem como eu sou com vilões! *.*

Coisas Boas – Junho 
(Não, eu não colecciono só livros, mas também tudo o que está associado aos meus adorados.)


Pois é, cá estão mais marcadores lindos e originais, um *novo” número da Estante para a colecção e uns blocos adoráveis do Wilde e da Woolf – adoro! 


Claro que, agora que ando numa de bonecada, trouxe mais duas boascriaturas para casa. Rubeus é um senhor do meu coração e a Maleficent era obrigatória, mais uma vilã de que gosto imenso. 

Opiniões – Maio 

A Rainha de Tearling | Erika Johansen (Opinião)
A Prometida do Capitão | Tessa Dare (Opinião)
Quando Hitler Roubou o Coelho Cor-de-Rosa | Judith Kerr (Opinião)

Opiniões – Junho

Numa Floresta Muito Escura | Ruth Ware (Opinião)
As Raparigas Esquecidas | Sara Blædel (Opinião)

Mais Coisas

Estão a decorrer os passatempos de aniversário do blogue, todos com datas diferentes para terminar que variam entre 27 de Julho e 6 de Agosto, se ainda não participaram ou desejam fazê-lo novamente, aqui ficam os títulos para sorteio. 

Cinzas de um Novo MundoAqui
A Vida é Fácil, Não te PreocupesAqui
Tudo Vale no AmorAqui
O Trono dos CrâniosAqui
A Viúva – Aqui 
Promessa de CasamentoAqui
O Espião do VaticanoAqui 
A Livraria dos Finais Felizes – Aqui 
A Rapariga do Calendário, Vol. 1 – Aqui
Pack O Pacto e O ErroAqui
Pack O Lago dos Sonhos e A Torre de Espinhos Aqui

Em Suma

Desta vez atrasei-me tanto nesta publicação que acabei por fazê-la com a cabeça na próxima, que mais uma semana ou duas e deve estar a ser publicada. Entretanto, não tenho lido muito mas tenho tentado actualizar-me e nesse sentido, não atrasando mais opiniões, acho que as coisas estão a correr bem. Certo é que com tantos passatempos e futuros resultados, podem contar com publicações quase diárias durante o próximo mês de Agosto, com novas opiniões e, muito provavelmente, um novo passatempo também – só para aquecer as coisas mais um pouco este Verão.  
Dito isto…

Boas leituras*



segunda-feira, 25 de julho de 2016

O outro lado da história do bestseller de Jennifer Armentrout Espero por ti

Confia em mim conta a apaixonante história de amor entre Avery e Cameron, a partir do ponto de vista deste, e é a arrebatadora sequela do livro que alcançou o primeiro lugar na lista de e-books mais vendidos do New York Times e USA Today, destronando autores já consagrados.

Título: Confia em mim
Autor: Jennifer Armentrout
N.º Páginas: 272
PVP: 16.60 €
ISBN: 978-989-745-028-0

Sinopse:
Cameron Hamilton está habituado a ter o que quer, especialmente no que toca às mulheres. No entanto, quando Avery Morgansten irrompe na sua vida, finalmente conhece alguém que consegue resistir aos seus encantos. A distância que a rapariga impõe entre os dois constitui um desafio perturbador e excitante, que o intempestivo jovem não tarda a abraçar. Só que Avery tem demasiados segredos, dilemas sombrios que a impedem de admitir os seus verdadeiros sentimentos por Cam. Será que a persistência, e algumas bolachas caseiras deliciosas, vão ajudar Cameron a quebrar todas as barreiras e ganhar a confiança de Avery? Ou será que os segredos que ambos guardam os afastarão em definitivo, deitando a perder a primeira e derradeira oportunidade de um tipo de amor que dura para sempre?

Leia um excertoAqui

«Confia em mim é a sequela perfeita de Espero por ti […]. A escrita de [Jennifer Armentrout] é tão límpida e viciante como sempre, e deixa os leitores ansiosos por mais.» - RT Book Reviews
«Definitivamente, o melhor livro do género que eu li até agora. Os personagens e enredo são fantásticos!... E depois há Cam [!] Ele cativou-me ao primeiro "querida".» -  The Secret Life of a Bookworm
«Uma leitura apaixonante e sexy, com uma história sensacional e personagens incríveis – o que mais poderíamos pedir?» - Book Passion For Life

Livro Anterior – Opinião


Sobre a autora:
Jennifer Armentrout, autora bestseller do New York Times e do USA Today, vive em Martinsburg, na Virgínia Ocidental. Para além de literatura romântica, escreve livros de ficção científica e fantasia. Espero por ti, inicialmente publicado em edição de autor no formato eletrónico, alcançou um feito inédito ao obter o 1.º lugar dos tops norte-americanos de livros digitais, superando as vendas de e-books de autores conhecidos e consagrados.
Mais informações sobre a autora em www.jenniferarmentrout.com

Saiba mais em: Porto Editora


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Sinopse:
Se a vida fosse um romance, o da Sara certamente não seria um livro de aventuras. Em vinte e oito anos nunca saiu da Suécia e nenhum encontro do destino desarrumou a sua existência. Tímida e insegura, só se sente à vontade na companhia de um bom livro e os seus melhores amigos são as personagens criadas pela imaginação dos escritores, que a fazem viver sonhos, viagens e paixões. Mas tudo muda no dia em que recebe uma carta de uma pequena cidade perdida no meio do Iowa e com um nome estranho: Broken Wheel. A remetente é uma tal Amy, uma americana de 65 anos que lhe envia um livro. E assim começa entre as duas uma correspondência afetuosa e sincera.
Depois de uma intensa troca de cartas e livros, Sara consegue juntar o dinheiro para atravessar o oceano e encontrar a sua queria amiga. No entanto, Amy não está à sua espera, o seu final, infelizmente, veio mais cedo do que o esperado. E enquanto os excêntricos habitantes, de quem Amy tanto lhe tinha falado, tomam conta da assustadora turista (a primeira na história de Broken Wheel), Sara decide retribuir a bondade iniciando-os no prazer da leitura. Porque rapidamente percebe que Broken Wheel precisa de um pouco de aventura, uma dose de auto-ajuda e, talvez, um pouco de romance.
Em suma, esta é uma cidade que precisa de uma livraria. E Sara, que sempre preferiu os livros às pessoas, naquela aldeia de poucas gentes, mas de grande coração, encontrará amizade, amor e emoções para viver: e finalmente será a verdadeira protagonista da sua vida.

Pensem num romance suave, naquela companhia perfeita para passar momentos descontraídos e encontrar sorrisos fáceis. Pensem num livro para apaixonados por livros, para aqueles que tantas vezes desejam ver o seu prazer por um folhear partilhado e encontrarão, em A Livraria dos Finais Felizes, o vosso livro, um livro para os amantes de livros.
Fui comprada com o primeiro olhar, a capa, o título e a sinopse foram em partes iguais responsáveis pela imensa vontade que senti de descobrir esta história e se forem como eu, viciados nestes objectos especiais que nos deixam sempre ansiosos por uma nova aventura, Katarina Bivald compôs a narrativa perfeita para vós.

Numa narrativa encantadora, é-nos apresentada uma mulher que viaja entre continentes para, mais do que alargar os seus horizontes, se descobrir a si mesma extravasando o romance em que sempre se imaginou.
Como promete a sinopse, uma troca de correspondência tradicional e a uma paixão em comum levam Sara à pequena cidade, quase abandonada, de Broken Wheel, só que, uma vez chegada ao local, uma fatalidade espera-a em vez da gentil idosa que com tanto carinho prometia acolhê-la. Disposta a aproveitar, ainda assim, as férias desejadas, Sara acabará por surpreender-se além do imaginado e, na descoberta do próximo, ver que esta comunidade aparentemente tão distante do que conhece poderá ter tanto para oferecer como ela, mesmo sem saber, sempre esteve disposta para oferecer.

Além da temática principal, livros, por si só atractivo suficiente para os entusiastas desta fonte de lazer, as figuras ficcionais desta obra são simplesmente irresistíveis. Singulares, sim, mas principalmente curiosas e repletas de lugares-comuns que criam empatia com o leitor, é fácil sorrir com a dona de um bar feminista e irreverente que foge de afectos, maravilhar-nos com a beata que descobrirá o outro lado do pecado da forma mais improvável ou mesmo gargalharmos com o casal gay que gere um bar onde as mulheres os vêem como a mais ricas das atracções. São muitos, todos diferentes e capazes de complementar Sara na perfeição. No entanto, tenho de admitir, apesar de a protagonista ter qualidades várias, de onde destaco o seu espírito empreendedor, as suas emoções e genuína bondade, foi no seu amor pelos livros que a vi como igual, imaginando-a para lá de personagem – afinal, todas as vidas têm uma boa história para contar.


Grande parte do enredo gira, previsivelmente, em torno de uma livraria e eu, actualmente como livreira, confesso não ter algumas das ilusões narradas. Ainda assim, não perdi a capacidade de sonhar e a livraria da minha vida é o meu lar, o refugiu onde componho e transformo as minhas estantes, onde me sento tantas vezes com amantes de livros chegados e falamos sobre histórias e neste ponto, meus caros, Bivald construiu algo muito bonito. Porque sim, existe um livro para cada leitor e estes podem, com toda a certeza, mudar a vida de alguém com a sua influência na mente de cada um.

Por tudo isto, pelo ritmo do texto encantatório, os seus desenvolvimentos e o tema agradável, esta é efectivamente uma aposta assertiva para quem procura entretenimento e descontracção, para quem procura uma leitura definitivamente feliz sobre o amor e amizade, uma leituras cheia de pontos de encontro nas vidas espelhadas e nos muitos títulos citados que certamente vos irá agradar descobrir.

Uma aposta inesperada da Suma de Letras deliciosa que, quase seguramente, voltarei a reler para recordar o meu amor maior, os livros.

Título: A Livraria dos Finais Felizes
Autora: Katarina Bivald
Género: Romance

Editora: Suma de Letras


Redes Sociais

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo - Até 9 de Agosto!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo - Resultado em breve!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo - Resultado em breve!

*Saída de Emergência*

*Saída de Emergência*
Passatempo - Resultado!

*Quinta Essência*

*Quinta Essência*
Passatempo - Resultado em breve!

*Planeta Manuscrito*

*Planeta Manuscrito*
Passatempo - Resultado em breve!

*1001 Mundos*

*1001 Mundos*
Passatempo - Resultado em breve!

*Quinta Essência*

*Quinta Essência*
Passatempo - Resultado em breve!

*Suma de Letras*

*Suma de Letras*
Passatempo - Resultado!

*Editorial Presença*

*Editorial Presença*
Passatempo - Resultado!

2016 Reading Challenge

2016 Reading Challenge
Elphaba J has read 4 books toward her goal of 60 books.
hide